Sexta-feira, 27.03.15

Notícias

 

A notícia, mesmo que mal amanhada, enchia ontem a primeira página do Record. Mas é tal qual a ouvi num telejornal da hora de almoço que verdadeiramente ganha expressão: "O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras visitou os três grandes à procura de ilegais. Encontrou quatro em Alcochete e nenhum no Seixal. Do Olival nada se sabe"!

Significativo. Tanto como a capa do Record...

Eduardo Louro às 15:13 | link | comentar
Quinta-feira, 26.03.15

O Estofo insustentado e a Amnésia dos Santos

Após o agitado fim-de-semana pude assistir a diversos fenómenos que evidenciam a ginástica mental dos comentadores. Vamos lá reflectir sobre alguns casos flagrantes: Rodolfo faz um discurso solene que espoletou vários sorrisos inflamados ao Rui Santos e restantes participantes no programa. Era vê-los a vibrar com a referência do comentador associado ao FC Porto que afirmou que a equipa não tem "estofo" de campeão. É lamentável ver um velho capitão pactuar com um alinhamento antiportista que nem sequer promoveu a referência ao facto da presença dos Dragões nos quartos de final da Champions. Ribeiro Cristóvão enxovalhou o Porto na Bola Branca das 22:30, dizendo que só por muita sorte não perderam na Choupana! Esqueceu-se de referir as bolas no ferro e a excelente exibição do guardião Gotardi. Mas esse tem um desconto.... No programa Grande Área, Manuel José e os seus pares desencadearam uma miríade de factores para menorizar o treinador do Porto e a equipa. Todos eles ignoraram as bolas nos ferro do FC Porto (nunca foram referidas no programa); destacaram-se apenas as duas oportunidades do Nacional. Apesar da minha insistência na participação interactiva, as minhas questões sobre o lance de Quaresma na grande área do Nacional nunca foram referidas. Há algo que sai sempre ferido com esta onda vermelha. Chama-se verdade. Omitem-se ocorrências, critica-se deliberadamente Julen Lopetegui, apresentando-se laivos de chauvinismo nunca antes vistos com outros treinadores estrangeiros no futebol português. Criticam o treinador Basco por reproduzir palavras após orientações do clube. Mas esses críticos esquecem-se de que o Presidente do Clube que parece que até ganhou este fim-de-semana necessita inexoravelmente de um papelinho para dizer duas ou três frases com algum nexo. Em suma, este PORTO tem estofo de campeão, tem um grande treinador, tem a hipótese de ganhar apenas por 2-0 porque a golaverage está bastante aproximada, uma vez que basta uma goleada caseira para ultrapassar o SLB. Este PORTO que, apesar de uma exibição menos conseguida, mandou duas bolas aos ferros da baliza de Gotardi que fez uma excelente exibição. Espero que não venham agora anunciar que o Benfica também estará interessado neste guarda-redes, tal como fizeram com o guardião do Arouca. Falaram tanto na gastroenterite de Tiago Rodrigues que até se esqueceram de reflectir sobre a bárbara entrada de Pizzi sobre Ukra que lhe daria vermelho directo. É comparar essa entrada à de Maicon no jogo contra o Boavista. E o que ainda é mais hilariante é a omissão da análise do lance em que Quaresma é claramente empurrado antes de sair das quatro linhas aos 86 minutos. Talvez aí todos se lembrariam de que o BENFICA PERDEU e o Porto ganhou mais um pontinho quando em Paços de Ferreira a equipa da Luz poderia distanciar-se até ao 9 pontos. Por isso um conselho: Mais vale ser dono do silêncio do que vítima das palavras. Assim o foi no passado recente. Assim poderá ser no futuro, porque acredito muito no estofo do melhor clube em Portugal: o FUTEBOL CLUBE DO PORTO!!!! Hélder Rodrigues

helderrod às 16:39 | link | comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 23.03.15

Subitamente fiquei com a sensação que sou adepto de um supermercado

Em declarações reproduzidas por alguns meios de comunicação social britânicos, Alan Pardew, técnico que comanda os destinos do Crystal Palace, revelou que tem recebido algumas chamadas relacionadas com possíveis transferências de jogadores do Benfica.

Daniel Santos às 22:08 | link | comentar
Domingo, 22.03.15

E agora, Julen ?

Nos últimos tempos o treinador do Porto tentou desculpar o segundo lugar pelo beneficio que o Benfica tem tido pela arbitragem, palavras dele. Lopetegui adoptou o discurso oficial azul e banco, rápida adaptação ao modo de estar da direção do Porto, onde a culpa dos maus resultados é sempre dos outros. Desta vez, esperemos que seja caso raro, o Benfica perdeu. O Porto não soube aproveitar devidamente a derrota benfiquista e empatou com o Nacional. Assim, somando dois mais dois, o discurso de Juan Lopetegui cai pela base. Não vi as declarações do treinador portista, mas aguardo com enorme expectativa as desculpas que agora vão passar a fazer parte do discurso oficial do Porto.

Daniel Santos às 21:20 | link | comentar | ver comentários (2)
Sábado, 21.03.15

Ponto Por Ponto

A jornada de hoje é a exacta percepção da "agridoçura" que o futebol nos proporciona. Quando a onda vermelha passou por um daqueles dias difíceis (e o Benfica nem jogou em casa), o FC Porto sentiu a onda da responsabilidade na ínsula onde ficaram 5 pontos de seis possíveis. Num jogo onde a equipa podia ter fechado mais cedo o resultado com a bola na barra de Maicon e com a possibilidade de desempate por Danilo, com a bola no poste, é possível afirmar que foi um mal menor. Até porque o Nacional teve uma oportunidade de baliza aberta que nos deixaria "mortos na praia". E assim lá vai o FC Porto. Ponto por ponto vamo-nos aproximando do primeiro lugar. A maré mediática e o histerismo amainarão um pouquinho, pelo menos até à dupla jornada caseira. Contudo, este "saber a pouco" parece muito após quatro meses à espera de aquistar pontos ao adversário. Provavelmente ainda teremos uma palavra a dizer neste campeonato e mais uma vez cai por terra a teoria na qual se diz que o nosso campeonato é pouco competitivo. Quanto mais não seja pela equipa extra que já condicionou irrevogavelmente as contas do mesmo. Cá estaremos para ver o que acontecerá nas derradeiras oito jornadas do campeonato. São vinte e quatro pontos de sangue, suor, lágrimas e marés mais calmas porque não há onda nenhuma. Deixem-se disso, porque é dentro das quatro linhas o local onde se atesta a efectiva qualidade das equipas. A ver vamos! Força, grande Porto!!!!! Hélder Rodrigues

Afinal a Liga também é para NOS não é só para eles....

helderrod às 23:48 | link | comentar

Lembrando o velho Trapattoni

 

Não há muito a dizer sobre a derrota do Benfica (1-2) hoje em Vila do Conde. A ganhar desde muito cedo, o Benfica deixou perceber, também ainda muito cedo, que corria muitos riscos de não ganhar aquele jogo. Porque até parecia que não o queria ganhar, com toda a gente mal, incluindo Jorge Jesus, logo à partida com a péssima ideia de recorrer a Talisca para substituir o castigado e indispensável Gaitan. 

Limito-me portanto a dizer que, dos três jogos que o Benfica perdeu, este foi o que claramente mais mereceu perder. O Rio Ave, que hoje teve nos centrais do Benfica os seus grandes construtores de jogo - Luisão e Jardel foram, e logo dois, os homens do último passe da equipa do Pedro Martins -, mereceu ganhar o jogo. E mereceu aquele golo no último lance do jogo, mesmo que tenha sido irregular.

O Benfica, como em Paços Ferreira, não soube cumprir aquele velho princípio de Trapattoni: quando não se consegue ganhar, tem que ao menos se empatar. Não demorou muito a perceber quanta razão tinha a velha raposa italiana, com o empate do Porto na Madeira. Ironicamente através de um golo em que tirou partido da inferioridade numérica do adversário, mesmo sem qualquer expulsão!

Pois é. A esta hora já toda a gente sabe o importante que teria sido, desta feita a jogar com 10, garantir o empate: tinha ficado tudo na mesma. E assim não ficou. O Porto já depende apenas dos seus resultados!

Eduardo Louro às 23:02 | link | comentar
Sexta-feira, 20.03.15

O Respeitinho é muito bonito e o PORTO gosta!

Quis o sorteio que os bávaros viessem ao reino do Dragão. Agora, há que transmitir confiança e força ao grande FC Porto! Tal como é possível observar na foto portista deste blogue, nós temos uma história muito bonita com o Bayern. O futebol é outro, os protagonistas são outros, mas a esperança é a mesma. Em 1987, o meu pai dizia-me que só um milagre poderia dar-nos a vitória. Não houve milagre. Houve garra, força e génio. E o nosso FC Porto tem tudo isso! É importante enfatizar que em nossa casa mandamos nós. Somos um clube praticamente imbatível em casa e nada nem ninguém nos pode atemorizar. O respeito pelo melhor clube português é imenso. Desta forma, há que jogar à Porto em casa e atestar a nossa grandeza europeia. Por isso, força, GRANDE PORTO!!!!!!

Wir werden gewinnen !!!!

Hélder Rodrigues

P.S: - neunzehnhundert sieben und achtzig

helderrod às 11:56 | link | comentar
Terça-feira, 17.03.15

O génio do comentário

João Marques de Almeida escreve no jornal online "Observador". Marques de Almeida escreve bem. Sim, escreve bem sem erros. Quanto aos conteúdos, na seu momento de colunista, não se percebe se fala sério ou se é apenas uma questão de provocação para ter leitores. A crónica, O génio benfiquista, debruça-se sobre o facto de os adversários do Benfica terminarem quase sempre com 10 jogadores. Em tantas linhas, todas escritas com esferográfica azul, não se pode ler um argumento convincente que defenda o beneficio propositado ao Benfica. João Marques de Almeida ficciona e adiciona pitadas de humor na crónica, cujo objectivo é apenas disfarçar uma enorme dor de cotovelo e já agora, porque não dizer, não ter nada de válido para dizer sobre a liderança do Benfica na liga.

Daniel Santos às 21:28 | link | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 15.03.15

Com dez às duas por três e um Perfeito Estranho outra vez

Um perfeito estranho veio hoje ao Dragão. Um tal de Jorge qualquer coisa veio apitar um sério candidato ao título. Há no entanto a queda de um mito. Aquele que muitos semanalmente procuram enfatizar. Aquela ideia de que os pequenos são sempre prejudicados. Tem havido imensos penalties que ficaram por marcar a favor do Porto. Ao contrário da época passada na Luz em que só um penalty inventado por Sulejmani permitiu o empate do SLB ante o Arouca, nesta época surgem árbitros pequenos que protegem os mais pequenos no Dragão. Se a expulsão de Fabiano é francamente discutível, considerando a proximidade de Ricardo no lance, já o penalty sobre Quaresma é inequívoco. Todos os penalties são para se marcar... Toda a conjuntura acicatada pela madrugadora expulsão do guarda-redes do Porto permitiu uma forte reacção estratégica de Lopetegui. O treinador Basco deu um sinal fortíssimo à equipa, para que a mesma percebesse que era imprescindível ir para cima do Arouca para conseguir os inevitáveis três pontos e continuarmos na luta! Se à partida a saída de Ricardo podia ter sido discutível, a mesma foi fundamental para jogarmos tudo na busca do golo. Foi com o regresso de Helton à Liga a um dia de marcar o ano da sua ausência que o Porto continua sem sofrer golos em sete jogos, quebrando recordes. Foi ele também fundamental ao defender superiormente um remate do jogador do Arouca que recebe um cruzamento de um colega em claro fora de jogo. O Perfeito Estranho parecia um mercenário da Onda Vermelha dos descontos e do histerismo colectivo. Apesar de tudo, o Porto ganhou e está na luta para a conquista de mais um campeonato que está difícil, mas não impossível. Tal como cri anteriormente, continuo a crer no meu FC Porto para conquistar mais uma época de ouro!

Força, Porto! Hélder Rodrigues

helderrod às 23:02 | link | comentar | ver comentários (2)

Às três é de vez!

 

Mais do que marcado pelas incidências do pré-match, e em particular pelas encenações de Sérgio Conceição e António Salvador, este Benfica-Braga que encheu a Catedral e assinalou a marca dos 40 mil minutos do capitão Luisão, estava marcado pelos resultados nos dois jogos anteriores. Entre o “não há duas sem três” e o “às três é de vez”!

De tal forma que quando surgiu o primeiro golo, numa bela triangulação concluída com o remate espectacular de Jonas – mais um grande jogo –, ao contrário do que é corrente perante equipas muito fechadas, como voltou a ser o Braga, ninguém teve a sensação que o mais difícil estava feito.

Não houve grande alívio. Afinal o primeiro golo era quase que um mal necessário. Fosse possível chegar a dois ou três a zero sem passar pelo primeiro e todos os benfiquistas dispensariam aquele primeiro golo. Lá estava o não há duas sem três, e toda a gente se lembra bem das sucessivas oportunidades de golo desperdiçadas nos dois jogos anteriores que deixaram único o primogénito.

À medida que o tempo ia passando, sem que o desejado segundo aparecesse, ia-se no entanto percebendo que dificilmente a história se repetiria. O Benfica tinha aprendido a lição, e não deu nunca qualquer hipótese ao Braga. Não marcava – o guarda-redes repetia a sua própria exibição da primeira volta, e a do seu colega russo, na Luz, no fatídico jogo para a Taça de Portugal – é certo, mas o jogo era muito mais maduro.

Na primeira parte os jogadores do Braga, levaram para o jogo a réplica das encenações da semana com Ruben Micael, como sempre, e Salvador Agra no banco, à cabeça. Não há nada a fazer. É assim … Mas só isso – provocações – e defender à frente da sua baliza, que isso o Braga sabe fazer bem.

Na segunda ainda entraram com alguma genica – só isso, nada mais que isso – e os primeiros cinco minutos ainda podiam deixar a ideia que o Braga queria finalmente discutir o jogo. Sol de pouca dura. Voltou tudo ao mesmo, o Benfica ia jogando o seu futebol, atingindo frequentemente o brilhantismo e desperdiçando oportunidades, umas atrás das outras, muitas vezes na mesma jogada. Como sucedeu na sequência do livre a cobrar a falta que deu mais uma expulsão (Tiago Gomes). Que, ao contrário do que pretende muita gente, ainda não é ilegal. Mas pelo que voltou hoje a ver não tarda aí uma lei a proibir a expulsão de adversários do Benfica. Os penaltis já estão!

Para provar que era dia de “às três é de vez”, à entrada do último quarto de hora, chegou o segundo golo Ao terceiro remate para golo, Eliseu foi finalmente feliz. Nos outros dois tinha brilhado o guarda-redes bracarense. Ás três foi mesmo de vez!

Se, fazendo deste o jogo de uma vida, o Braga só joga isto, é muito pouco. Defende bem, sem dúvida, mas é curto… Há gente que quando se põe em bicos de pés desequilibra-se logo!

Eduardo Louro às 00:29 | link | comentar
Sábado, 14.03.15

Coisas estranhas

 

Não admira que observadores do fenómeno do futebol tenham reparado na forma macia, há quem diga subserviente, como o Braga defrontou o Porto, há uma semana. Não admira que a muita gente tenha ficado convencida que o Braga jogou em poupança. Poupando jogadores para o jogo seguinte, muito mais importante. Poupando-os fisicamente e popupando a improváveis cartões amarelos muitos jogadores que estavam em risco de ficar de fora. E sabe-se como a intensidade posta no jogo desgasta fisicamente. E como faz aumentar o risco de entradas mais próximas da penalização disciplinar...

Não admira que o Sérgio Conceição se revolte contra essa gente, e grite nas conferências de imprensa que não admite isso a ninguém, como já gritara há uns meses atrás, por ninguém lhe dar o mérito que ele acha que tem. Não admira que o Sérgio, um rapaz com escola, ignore que este comportamento bracarense nos jogos com os do Porto não é novidade nenhuma. Que tem história...  São muitos anos... E que, com recurso aos velhos métodos da escola, aproveite a circunstância para mobilizar as suas tropas. O que, prova-o também a história, não é tarefa difícil. Até porque - diz-se por aí - o presidente Salvador, á última da hora, triplicou o valor do prémio de vitória!

Não admira que o Braga - o presidente, o treinador, os jogadores e os adeptos - queiram ganhar ao Benfica. E que tudo faça para que não haja duas sem três. Isso é que é competir!

O que admira é que tenha sido o próprio presidente Salvador a dizer em frente às câmaras, logo que terminou o jogo com o Porto, que os jogadores iriam fazer tudo, mas tudo, para ganhar o próximo jogo. Ora isto quer simplesmente dizer que, naquele, não o tinham feito... E isso, Sérgio Conceição não admite a ninguém!

Eduardo Louro às 00:00 | link | comentar | ver comentários (9)
Sexta-feira, 13.03.15

Os Rambos do futebol

 

O treinador de futebol Vítor Pereira continua a surpreender a Grécia, infelizmente pelas piores razões. Talvez influenciado por alguns clubes onde passou, o Rambo de Espinho "que não tem medo de nada e de ninguém" incendeia bancadas ao provocar os adeptos rivais mas é o primeiro a fugir quando voam objectos e petardos provenientes das claques, em cenas que envergonhariam Stallone. As suas celebrações orgásticas inclusive já obrigaram mais uma vez a jogos à porta fechada. Outro tipo de Rambos estacionaram à porta do Bessa para satirizar as queixas do Guimarães em relação à arbitragem do recente jogo com o Boavista. Com a anuência da Direcção, um grupo de corajosos axadrezados enviou pelo correio uma caixa de biberões, babetes e fraldas por causa da "choradeira vimaranense". Estes Rambos são falsos, o verdadeiro herói iria do Porto a Guimarães entregar pessoalmente o embrulho, nunca a 50 quilómetros de distância!

Dylan às 14:09 | link | comentar

pesquisar

 

posts recentes

subscrever feeds

feedback

+ comentados

tags

links

arquivo