Domingo, 17.08.14

Quebrado o enguiço

 

Benfica inicia defesa do título com triunfo

 

Aí está o campeonato. O campeonato do regresso do Boavista, agora certamente Boavistinho, que isto já não dá para Boavistões. E também o campeonato da Liga sem patrocínios, bem estampado na monocromia dos painéis expostos na zona das entrevistas rápidas. Preocupante, sem dúvida!

O Benfica contrariou a regra de não entrar a ganhar. Desta vez arrancou com uma vitória que, valendo os mesmos três pontos de qualquer outra, tem o seu quê de especial. Desde logo por quebrar um enguiço que quem assistiu ao início do jogo apostaria estar aí para durar…

Porque o Paços de Ferreira, marcado pelo regresso – com toda a dignidade, é de salientar – de Paulo Fonseca, entrou muito bem, superiorizando-se no meio campo e assegurando a partir daí o controlo do jogo, mas também porque desde logo se percebeu que Cosme Machado estava ali por encomenda. Bem se esforçou para que a tradição se mantivesse, começando por amarelar logo a abrir o Enzo Perez para, pouco depois, inventar um penalti contra o Benfica. Depois, e até ao fim, foi sempre igual a si próprio, ele que é um velho conhecido…

O Benfica não jogou especialmente bem, durante muito tempo faltou-lhe velocidade e dinâmica, com os jogadores muitas vezes sem profundidade. Mas passados os primeiros vinte minutos, em que o Paços foi claramente superior e em que Artur, apostado em vender caro o lugar, segurou o jogo quando defendeu o penalti, e alcançado o golo inaugural numa combinação de excelências – o excelente toque do excelente Gaitan para a excelente desmarcação, com o não menos excelente remate do excelente Maxi (o homem do jogo) –, o Benfica assegurou definitivamente o domínio do jogo.

Os problemas que o jogo pôs, para além dos postos pelo Paços, tiveram a ver com Enzo, que nunca se encontrou com o jogo, o que só por isso não é tão estranho como a sua saída, ainda na primeira parte, e que deverá querer dizer algo de muito parecido com adeus. E com Talisca, que sendo evidentemente jogador, não é um avançado... Por isso Jorge Jesus teve de andar às voltas com aquele meio campo, que só verdadeiramente estabilizou com André Almeida e Rúben Amorim. 

No fim de contas valeram os dois golos da ala direita, porque também o segundo, do Salvio, foi excelente. E valeu que Luisão voltou a mostrar por que é que não pode sair para lado nenhum! 

E parece que afinal, porque saiu quem saiu e virá a sair quem vier ainda a sair, Jara vai mesmo ficar no plantel. E hoje até jogou qualquer coisa... Se o Jesus vier a fazer dele jogador será certamente a cereja no topo do bolo. Não acredito, mas cá estarei para, com todo o gosto, dar a mão à palmatória.

Eduardo Louro às 23:00 | link | comentar | ver comentários (3)

Querem ver que Jesus é que sabe?

Depois de dois jogos, zero golos sofridos, um troféu e 3 pontos conquistados, se calhar Jorge Jesus tinha razão: quando fosse a competir as coisas mudavam em relação ao que se fez na pré-época.

Daniel Santos às 21:40 | link | comentar
Sexta-feira, 15.08.14

O Improvável Jovem das Neves

Fantástica e histórica. Dois adjectivos para caracterizar a fabulosa estreia de Ruben Neves. Tornou-se hoje no mais jovem jogador do FCP a estrear-se a titular e a marcar um golo com esse estatuto! Só por isso o jovem trinco de 17 anos estaria de parabéns, mas conseguiu ainda ser o melhor em campo. Noite de sonho na estreia dos Dragões na nova temporada.

Num estádio repleto de gente (mais de 48000 espectadores), viu-se a bola a correr muito e a ansiedade foi evidente em alguns jogadores. Há efectivamente algumas arestas para limar, o que é normal nestas situações! Perante um Marítimo plantado na defesa não foi fácil arranjar espaços, nem com os chamamentos do último reduto portista. Neste particular, parece-me que Fabiano teve bola a mais e confesso estar cansado com a Moda Neuer a qual parece impor a obrigatoriedade da permanente passagem da bola pelos pés do guarda-redes. 

Contudo, destaca-se também um fortíssimo Brahimi sempre agitador na frente e o inevitável Jackson que abriu já contagem rumo ao título de melhor marcador.

Agora é em França. Agora há que impor a irreverência da juventude na relva gaulesa, esperando que não haja um lamentável penalty fantasma que permitiu a vitória do Lille no terreno do Caen. 

No fim quero voltar a dizer: "Ça va bien, jovem das Neves!!!!"

 

Allez, Porto, Allez!!!!!

 

Hélder Rodrigues

helderrod às 23:41 | link | comentar
Quinta-feira, 14.08.14

Super Benfica

 

                                      Foto: EPA

 

Em noite de Super Lua o Benfica voltou a fazer história no futebol português ao vencer a supertaça - quarto título na mesma época e no mesmo ano civil.  Tal como aquele corpo celeste mostrou porque é enorme, deitando por terra a teoria dos adeptos do Anti-Benfica FC, o segundo maior do país, de que a crise no BES enfraqueceria o clube e o arrastaria também para a falência.

  
Dylan às 18:52 | link | comentar
Segunda-feira, 11.08.14

A supertaça? Partiu-se logo...

 

Artur Moraes dá a quinta Supertaça ao Benfica

 

Foi um jogo de sentimentos contraditórios, um jogo de sinais contrários, como que um jogo de espelhos.

O Benfica jogou bem e criou muitas oportunidades de golo. Mas falhou-as sucessivamente, umas atrás das outras, e sabe-se que haverá poucos jogos com metade das oportunidades hoje criadas. O que quer dizer que, com esta taxa de eficácia, não se ganham jogos. E viu-se que não é com Talisca que se marcam golos. E esperar que sejam os defesas adversários a fazê-lo… Bom, foi até Jardel quem mais perto esteve disso…

Jogou bem, e Enzo e Gaitan fizeram a diferença. Mas sabe-se que qualquer deles, ou mesmo ambos, poderão sair até ao fim do mês. 

Jogou bem, a equipa mostrou rotinas. Mas também só no prolongamento teve mais que dois jogadores chegados esta época. E lá vem o copo: meio cheio ou meio vazio. Meio vazio porque o Enzo já disse adeus, e o copo fica logo vazio. Meio vazio porque já não houve banco…

Meio cheio para os militantes do optimismo, porque só falta a finalização... E como vem aí o tal avançado...

Mas também o próprio jogo foi todo ele feito de uma coisa e do seu contrário. O Benfica só atacou, mas não conseguia marcar, e o Rio Ave, que só defendeu, não podia. O inevitável prolongamento parecia ser mais penalizante para a equipa de Vila do Conde, que jogara a pré-eliminatória para a Liga Europa na passada quinta-feira, quando o Benfica tinha feito o último jogo há uma semana. Mas também poderia ser ao contrário: o Rio Ave está muito mais adiantado na preparação, e no Benfica três jogadores chave – a dupla de centrais e Enzo – jogaram pela primeira vez nesta época. E foram mesmo os jogadores do Benfica que mais acusaram o esforço do prolongamento. Sem golos, evidentemente. Porque o Benfica continuou a falhar e porque o Jardel falhou o auto-golo.

Chegaram os penaltis, e aí o favoritismo ia todo direitinho para o Rio Ave. De um lado estava um guarda-redes moralizado, que tinha defendido tudo, e ainda sem sofrer um único golo nos três jogos oficiais. Do outro estava o super causticado Artur, um dos réus da pré-época e inclusivamente posto de fora por toda a imprensa da especialidade.

E foi precisamente o Artur a resolver, defendendo não um, não dois, mas três penaltis…

No meio disto tudo, se calhar o menos importante é que a supertaça tenha voltado às vitrinas do museu do Benfica. Sempre me pareceu que a supertaça não tinha grande importância. O que importa é o que ela diz, o que em cada momento simboliza… Se calhar é por isso que logo se fez em cacos!

Eduardo Louro às 01:12 | link | comentar
Segunda-feira, 04.08.14

A pergunta que se impõe fazer

O Benfica vendeu hoje algum jogador?

Daniel Santos às 17:48 | link | comentar
Domingo, 03.08.14

A partir de agora é que é a sério...

Tal como ontem, frente ao Arsenal, o Benfica sofreu três golos em dez minutos e afundou. Depois de uma primeira parte que nem foi má de todo, e donde, através de um golo logo aos dois minutos – o primeiro de Derley –, até saiu a ganhar.

Logo no arranque da segunda parte entraram Rodrigo e André Gomes…para o Valência. Para o Benfica entrou uma invenção chamada Luís Filipe, e saiu João Cancelo. Pode parecer um pormenor, mas não é. O Valência começou a jogar à bola e o Benfica sem ninguém a defender o flanco direito. E o Artur regressou à sua verdadeira condição de guarda-redes sem ponta por onde se pegue, com dois frangos monumentais…

Para que a equipa voltasse minimamente a estabilizar e limitar os danos, Jesus teve de retirar do campo esse tal de Luís Filipe, uma contratação que é um verdadeiro atentado à inteligência dos benfiquistas, e de chamar André Almeida, que jogava a trinco, para o lado direito da defesa.

E assim se junta à destruição da equipa, a destruição de qualquer réstia de equilíbrio emocional aos jogadores, que saem da pré-época completamente de rastos. E de repente se dá cabo do prestígio internacional que tanto custou a recuperar…

Ah... E o Jara lá vai continuando a sua saga... E o Jesus o seu festival de comunicação!

E no meio disto tudo a BTV lá vai tentando lavar o cérebro a quem gosta de se deixar lavar… Ou levar!

E pronto, a partir de agora é a sério. Mesmo que até agora também devesse ter sido...

 

Eduardo Louro às 19:38 | link | comentar

Pré-época 2014/2015

Acredito que nos dias de hoje, infelizmente, o poderio económico dos clubes Europeus, principalmente os grandes, seja capaz de destruir uma equipe que ganhou tudo em Portugal numa época. No entanto, o que está a acontecer no Benfica é absolutamente lamentável. Seria de esperar que muitos saíssem, mas seria de esperar que se apostasse em bons jogadores ou, defendo eu, nos jovens valores que estão no Benfica e que raramente são aproveitados. Estranho é apostar nas contratações mais ou menos manhosas que têm trazido pouco, pelo menos para já, ao Benfica. 

Talvez seja como disse Jorge Jesus há uns tempos: muito do que faz o treinador as pessoas não percebem. Pode ser que assim seja, mas seria importante perceber de que forma uma equipe realizar vários jogos seguidos todos os dias é bom. 

Daniel Santos às 12:56 | link | comentar
Sábado, 02.08.14

O que é isto, afinal?

Não bastava destruir uma equipa. Vender ao desbarato e comprar em solidariedade com o Jara... Tinham ainda de inventar um programa de quatro jogos em quatro dias, todos com equipas do topo europeu...

Este é um programa de preparação da nova época ou um programa de exterminação final? 

Eduardo Louro às 23:21 | link | comentar
Sexta-feira, 01.08.14

Força Calado

Depois de ouvir os comentários de um jornalista profissional, de nome Nuno Dias, durante o jogo do Sporting com a Lazio, transmitido em canal aberto pela nossa RTP só tenho que dizer: desculpa, Calado. Força, continua que estás perdoado!

Eduardo Louro às 22:49 | link | comentar
Quinta-feira, 31.07.14

A solidariedade compensa. Sempre!

Não sei se, por esta altura, há benfiquistas muito felizes. Não serei um deles, mas tenho de confessar que compenso muita da tristeza, e até da angústia que me invade, com a enorme onda de solidariedade que, mais que simplesmente notar-se, se sente na equipa.

Aquilo a que assistimos, e pudemos voltar hoje a ver na Suíça, no jogo com o Athletic de Bilbau, é a extraordinária solidariedade de todos jogadores com um colega que invariavelmente os visita em cada Verão, com quem partilham todos os anos os meses de Julho e Agosto. Não querem mais bullingcomo aqui lhe chamei, sobre o pobre do Jara e, num gesto de solidariedade nunca visto, decidiram ser onze Jaras em campo!

Claro que, se como já lá diz o Jorge Jesus só trabalho não basta, é também preciso qualidade, também para tamanha campanha de solidariedade só os jogadores não bastam, é também precisa a administração. E é também preciso o próprio treinador!

E a grande verdade é que não fugiram, não viraram a cara à missão… Foram também de uma solidariedade fantástica e trataram de arranjar mais e mais jogadores, cada um pior que o outro e todos ainda piores que o próprio Jara…   

Digam lá se não é bonito?

Confesso-me tocado, bem lá no fundo do meu coração benfiquista. Com este tão bonito e tocante acto de solidariedade, e com os apelos que os comentadores da BTV - sim, encurtou o nome, já não é Benfica, é apenas B - lançam ao meu melhor espírito de compreensão, e com as explicações que encontram para tudo isto, já me sinto outro. Qual angústia, qual carapuça...

Eduardo Louro às 22:02 | link | comentar
Quarta-feira, 30.07.14

Bons ventos para grandes casamentos

Ventos de mudança evoluem no seio do Dragão. Não adiantam os lirismos chauvinistas nem os profetas do assobio e da pipoca. Há que entender que por vezes é preciso mudar. É preciso inovar. É preciso subir à torre para ver quem passa melhor para deixar a marca. E nunca se atrapalhem com a qualidade, porque esta nunca se desperdiça. Será apenas propulsora de força e ambição.

Assim, desta forma, deixe-se o assobio e a pipoca para outra andança porque largos dias tem a mudança!

 

Força, Porto!

 

Hélder Rodrigues

 

Um abraço especial a todos os parceiros deste blogue! Muitos desafios e carateres nos esperam, mas sempre com a elevação que nos caracteriza.

helderrod às 11:19 | link | comentar | ver comentários (1)

pesquisar

 

posts recentes

subscrever feeds

feedback

  • Acho que tudo está no ponto só está mal uma coisa ...
  • Que leitura mais enviesada, meu caro... Também se ...
  • Li o princípio do artigo por me ter chamado à aten...
  • Depois desta grande aposta do FCP nas contratações...
  • Só é pena não haver qualquer destaque nos noticiár...
  • Se a dificuldade não era muita, porque é que nenhu...
  • Venceu três competições nacionais em que participa...
  • Tenho de discordar com aqueles que aqui criticam -...
  • Triplete é quando se ganha uma competi&cced...
  • 8 marés vermelhas? quando vi este título só pensei...

+ comentados

tags

links

arquivo