Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dia de Clássico

MENU

O futebol é algo de indescritível. É algo que supera as palavras e as distingue das acções...Esta época foi paradigmática. Um "case study" de um emblema tão propalado, tão publicitado, tão evidenciado que se vitimiza dessa alucinante popularidade. O Benfica é isto mesmo: um alvo de convergência espiritual que diverge no essencial, designadamente na essência das vitórias.

Jorge Jesus chegou ao Benfica e transformou indubitavelmente a forma de jogar. Traçou um futebol rápido e de ataque pleno. Apesar do caso do túnel, o SLB aquista o campeonato com mérito pois foi sempre mais forte do que os rivais. Mas é justamente aí que JJ se começa a assemelhar perigosamente de Ícaro. Quis começar a voar muito alto, com uma imprensa empolada, enfatizada pela vertigem da velocidade. Correram muito depressa e tropeçaram várias vezes. Recordo-me de António Tadeia dizer categoricamente que o FCP de Villas-Boas estava já afastado da Taça de Portugal e, depois, foi o que se viu. Hoje, recordei esse momento quando Tadeia volta a referir que o SLB recuou propositadamente para controlar o jogo. Fiquei com a sensação de que nascera uma nova maldição: a Maldição Tadeia.

Lutando com afinco ante um benfica apático, o Guimarães acredita na reconquista e vence na recta final. Dá-se aqui o paradoxo supracitado: a reconquista cristã Afonsina deu-se, mas Jesus sai de cena. Parece-me um dado adquirido e, na minha opinião, ele não merecia sair assim.

 

 

Hélder Rodrigues

Pesquisar

Pesquisar no Blog

  • Benfica

  • Porto

Últimos comentários

  • Eduardo Louro

    Também concordo, Joana.

  • Joana

    Concordo! No entanto, como benfiquista, posso afir...

  • Anónimo

    ManostaxxO creme facial personalizado de 5 mil eur...

  • Anónimo

    ManostaxxO creme facial personalizado de 5 mil eur...

  • Dedetê

    O Vieira armou-se em Corrup(in)to da Costa e quis ...