Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dia de Clássico

MENU

O Sporting, com o presidente Bruno de Carvalho à cabeça e com os recursos que lhe advém da condição de membro do triunvirato dos grandes, lançou uma campanha a que dificilmente posso deixar de chamar terrorista. Reclamar de decisões da arbitragem em que se sente prejudicado, sem qualquer tipo de distinção entre eles, metendo tudo no mesmo saco, é uma coisa. Eliminar, riscar ou omitir outras tantas em que foi beneficiado, é outra. Juntar esta berraria ao silêncio dos jogos a fio em que beneficiaram de penaltis e de sucessivos golos em fora de jogo, de que o jogo com o Benfica em Alvalade é apenas um exemplo, é ainda outra. Todas juntas são qualquer coisa muito perto de um terrorismo inaceitável que, como já pôde comprovar, também alguns sportinguistas repudiam.

A manipulação e a distorção da realidade, o espalhafato, a gritaria e os berros não são, ao contrário do que alguns possam julgar, sinónimo de liderança. São frágeis as lideranças que não encontram outras formas de se afirmar. Mas sabemos que povo da bola é, nesta matéria, pouco exigente, e facilmente embarca neste tipo de liderança bacoca e populista, do tipo agora é que eles vão ver de que massa somos feitos.

Não sei se Bruno de Carvalho é outro Vale e Azevedo. São muitos os traços em comum, tantos quantas as diferenças nas circunstâncias, pelo que diferentes poderão ser também os pontos de chegada.

Encetou no Sporting um processo meritório, que o mundo da bola generalizadamente aplaudiu. Toda a gente, e não só os simpatizantes do Sporting, apreciou a forma como o futebol do Sporting se virou para a sua academia, construindo a sua equipa de futebol na base dos seus jovens em formação, em detrimento das contratações que não estava mais em condições de prosseguir (as que apesar de tudo insistiu em fazer, correram mal). Toda a gente apreciou o processo de emagrecimento que instalou no Sporting, bem embrulhado num falso – mas eficazmente popular – afrontamento à banca. Era o exemplo para o futebol em Portugal, era este o caminho a seguir, mais cedo ou mais tarde todos os clubes aí terão de chegar, disse-se por todo o lado...

O problema – percebe-se agora – é que Bruno de Carvalho é o caso típico do actor que não joga com a personagem. E, porque assim é, criou aquilo a que chamaria o paradoxo do downsizing!

Bruno de Carvalho não tem uma estratégia de downsizing desenhada para salvar e recuperar o Sporting. Não está a dar dois passos atrás para depois dar um em frente (dar apenas um atrás na expectativa de, depois, dois em frente já não é coisa que se aplique ao futebol em Portugal). Esta não é a estratégia de qualquer adepto, e este presidente do Sporting quer fazer-se passar apenas por adepto. Esta é a estratégia que a banca impôs ao Sporting, que só pode ser levada a cabo por um presidente, nunca por um adepto.

É este o paradoxo. É por isso, por este paradoxo, que todos, no Sporting de Bruno de Carvalho, se acham capazes de ganhar tudo, deixando o treinador a falar sozinho. É por isso que, quando naturalmente não ganham, têm que criar factos atrás dos quais se possam esconder. É por isso que inventam fantasmas para tudo. Até para alianças… É por isso que vai correr mal!

34 comentários

De Equipa SAPO a 13.11.2013 às 16:22

Boa tarde,
este post está em destaque na área de Opinião do SAPO.
Cumprimentos,
Isabel Oliveira Dias - Portal SAPO

De Eduardo Louro a 13.11.2013 às 18:16

Obrigado pelo destaque.

De João Perdigão a 13.11.2013 às 18:43

Mais um frete do Sapo ao seu clube de estimação e mais um rombo na isenção deste pasquim online...

De Daniel João Santos a 13.11.2013 às 20:03

Podia esclarecer a afirmação?
Se não percebeu, devia ver que ali na barra do lado estão autores do Porto e do Benfica, neste blogue não existe só uma cor.. Não devia comentar de ouvido ou seja: devia ler primeiro.

De O Caralho Mais Velho a 13.11.2013 às 17:11

Estou cansado das críticas aos árbitros, sejam lá elas quais forem, tenham mais ou menos razão... Nada disto interessa. O futebol não é matemática e tem pessoas a decidir no momento e no campo, pessoas não máquinas, falíveis, portanto, porque são pessoas, tal como os jogadores também são pessoas e falham o remate, a defesa, o penalti, etc. O fueebol é assim mesmo, composto de acertos e de erros e até de diferentes visões interpretativas. Ora, sendo o futebol assim, nâo podemos ansiar que seja de outra maneira e é uma autentica estupidez criticar a falibilidade de quem quer que seja (árbitos, jogadores, etc.). O futebol não é uma ciência exata. Os comentadores opinantes dos media, os treinadores ou os dirigentes quando vêm a público queixarem-se do árbito, do relvado o do raio que os parta, queixam-se por ignorância e por terem a mente curta, isto é, são parvos, tão parvos como aquele que reclame contra o santo a quem pôs a vela e deu esmola e não lhe cocedeu a graça desejada que era a de lhe sair o euromilhões. Não está na natureza das crenças sobrenaturais fazer sair o euromilhões mas há mentes curtas que acreditam nisso. De igual forma não está na natureza do futebol que ninguém erre mas também há mentes curtas que nisso acreditam. Por fim, afirmar que ainda bem que o futebol é tão falível e tão imprevisível, pois é este aspeto que faz dele a paixão quase mundial que detém e, caso assim não fosse, não teria o mesmo interesse. Como produção hunana e não robótica, vivam os erros, dos árbitos, dos jogadores, dos treinadores, etc. Façam, por favor, crítica inteligente e construtiva e não estes vergonhosos comentários, constantes, cada semana, ora por uns, ora po outros... Uma mesquinhez e outros adjetivos acabados em ez, cono estupidez ou puta que os pariiuez.

De Makiavel a 14.11.2013 às 00:48

Excelente comentário.

De José Mensurado a 13.11.2013 às 17:20

Os adeptos do Benfica andam sempre em eterna demanda para esconjurar o fantasma do Vale e Azevedo.

E a única forma de ultrapassar o trauma é encontrar um homónimo noutro clube rival, claro.

Podem procurar muito e bem, porque Vale e Azevedo só houve um. O presidente do Benfica, claro!!...

De jorge costa a 13.11.2013 às 18:04

Dá vontade de chorar ao ler este artigo porque se o BC é o Va então o que diremos do Vieira o homem que quadriplicou o passivo do slb , o homem que um dia se juntou ao Dias da Cunha para uma verdade desportiva , mas desde que o Benfica imponha essa mesma verdade , o homem do Capela e do limpinho , perdão bem sujinho Duarte Gomes que um dia resolveu em pleno relvado de Alvalade jogar um pouco de pujilato com o treinador de guarda redes da equipa de PB.
Por isso este artigo está ao nivel do clube que está a defender uma merda sem valor.
Os ultimos dois campeonatos do Trap que fugiu envergonhado com o escandalo Paraty e o do Jesus em que valia tudo menos tirar olhos foram roubados , repito roubados , sendo assim sempre que escrever a respeito do Sporting tenha vergonha.Junte-se a todos os Manhas deste país que mais não são que merda ambulante

De JCP a 13.11.2013 às 18:24

Que o Sporting foi prejudicado no jogo com o Benfica, é uma facto. Que já foi beneficiado, uma evidência. Agora, centrar o assunto em torno das declarações de BC é um grande pecado, quando ouvimos as patéticas apreciações de Jorge Jesus às arbitragens. Perante o ridículo de JJ, as bocas de BC nem se ouvem...
e nem serve dizer que um é presidente e outro treinador.
Basta dizer que um é mais ridículo que o outro. E, nesta vertente, JJ destaca-se.

De Eduardo Louro a 13.11.2013 às 18:34

Parece-me evidente - poderei estar errado, mas é daquelas evidência que me entram pelos olhos dentro - que não há sequer por onde comparar aquilo que está a comparar. O que Jesus disse é uma cretinice ("um vintém é um vintém e um cretino é um cretino", portanto não sou o primeiro!), um disparate estúpido, frequente em quase tudo o que diz. O que BC disse e fez é outra coisa... Não dá para comparações.

De Krinas a 13.11.2013 às 18:45

Ficam muito bem juntos os dois clubes corruptos aqui reunidos. Um tem o inenarrável poeta PC, o outro tem LVV e JJ, magnânimos bébés chorões do futebol portuuguês. Ora o autor pode ter as umas grandes palas que lhe impeçam de avaliar o assalto corporativo de que o Sporting é alvo e só abrandou na viragem do século, está no seu direito.

Quando se prestam a defender essas quimeras (Sporting benificiado LOL) de modo despudorado não me restam dúvidas, farinha do mesmo saco. Uma coisa é defender a bipolarização do futebol português a todo o custo e com todos os meios, inclusive pela sistemática manipulação da opinião pública, outra é ser cego.

De Anónimo a 13.11.2013 às 18:55

Grande palhaço vermelho encapuçado! Escreves com uma caneta vermelha..vermelhona!!

De Daniel João Santos a 13.11.2013 às 20:09

Encapuçado? O Eduardo? Que dá o nome e cara? Encapuçado?

Agradeço o comentário ao senhor Anónimo da Silva, que, presumo, seja o nome que tem no cartão de cidadão.

De Nuno Santos a 13.11.2013 às 18:56

Não foi JJ que disse o comentário \"um vintém é um vintém um cretino será sempre um cretino\" isto foi dito por Manuel Machado
Para a próxima pesquise antes de comentar seu CRETINO

De Eduardo Louro a 13.11.2013 às 21:46

Já que a coisa vai no CRETINO, tenho de lhe dizer, seu CRETINO, que não digo em lado nenhum que a frase é do Jesus. Um CRETINO que não sabe ler é analfabeto e cretino. Não aprecio a linguagem, pelo que não vale a pena insistir... Não haverá mais resposta.

De Artur a 13.11.2013 às 19:02

Boa tarde a todos!
Li com atenção o que aqui foi escrito e não posso deixar de comentar. Enquanto adepto de futebol acho a constante critica aos árbitros no futebol português não passa de um encobrimento dos erros próprios de quem critica.
Agora em relação ao Sr. Bruno de Carvalho a minha opinião é que não passa de mais um paraquedista do futebol português (talvez mais um Santana Lopes) que não estão no futebol para servir o clube mas sim para se servirem do clube. Se virem bem esse senhor (Bruno Carv.) aproveita todas as oportunidades que lhe são dadas para se promover e aparecer nos media.
Cumprimentos.

De Daniel João Santos a 13.11.2013 às 20:11

Muito bem!

De luis Pais a 13.11.2013 às 19:10

Sendo um apaixonado,pelo chamado desporto rei,e adepto do Sporting,tento dentro do possível ser coerente,com as arbitragens.o que não consigo compreender,é esta algazarra em torno do presidente do Sporting,quando outros fazem pior,e invadem estúdios de televisão sem serem convidados.Bruno de Carvalho,apenas faz o que está previsto nos manuais do futebol.quanto a mim,apenas quero continuar a ser imparcial nas minhas análises.

Comentar post

Pág. 1/3

Pesquisar

Pesquisar no Blog

  • Benfica

  • Porto

Últimos comentários