Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dia de Clássico

MENU

A temporada já lá vai. Mas há muito por explicar. E muito se vai explicar.

Não adianta querer pôr o dedo nos olhos das pessoas. Aliás é importante evidenciar o caro desconforto de alguns adeptos benfiquistas que começam a perder o sabor destas vitórias.

Se há dias ouvia o treinador do Benfica a tentar justificar o que toda a gente viu, impingindo uma depuração impossível de muitas circunstâncias ocorridas neste campeonato e na Taça de Portugal, o que tenho vindo a assistir é bem pior. Curiosamente, tudo se passou no mesmo canal de televisão que apresentou num Telejornal o equipamento alternativo do Benfica postado num manequim...hilariante. Quase tão hilariante como o episódio em que Madonna quis transformar o salão de festas do FCP, numa espécie de Isla Bonita. O problema é que agora há imensa informação e a artista já o fizera em Paris...Nem todos comemos dessa ração de silly season patrocinada por uma companhia de aviação.

Depois, vejo noutro canal uma espécie de Perdoa-me aos Pecadores que, à pala dos umas transferências espectaculares, procuram limpar a imundície que se vai descobrindo. Numa constante e persistente publicitação das aparentes grandes transferências do clube da Luz, onde destacam os 15 milhões do Hélder Silva e, sobretudo, a de Gonçalo Guedes por uns espantosos 30 milhões, talvez para tirar umas fotos com a Madonna, estes especialistas do mercado que tanto gostam do "é disto que estamos a falar" procuram menorizar as graves revelações daqueles emails de Pedro Guerra. Um fica indignado pela forma como o Director de Comunicação terá obtido acesso aos emails (parece que nunca ouviu falar em wiki leaks ou coisas do género), o outro (que se deve achar a última bolacha do pacote) menoriza as pessoas em causa nos emails. Ficou muito mais preocupado no momento em que o Presidente do FC Porto terá ou não beneficiado de segurança pessoal. Estes jovens fantoches de cartilha são inclusivamente mal educados e arrogantes com o único comentador que procura ser mais equilibrado nas opiniões, confrontando-o com perguntas (substituindo o pivot) e rindo em tom de gozo das suas considerações.

Para ajudar à festa um Diamantino que chega ali como uma virgem ofendida, porque se deveria estar a falar de futebol, mas depois dá as chancadinhas procurando fazer de todos nós burrinhos ou ceguinhos. Não somos. Lembro-me das mãozinhas do Vata e de um fiscal de linha de Carlos Valente nas Antas, no ano em que o César Brito fez dois golos, que não deixou o Porto atacar cortando todos os lances de real perigo nessa partida. Uma vergonha.

Depois a CMTV que nem merece consideração.....

Mas o mais grave é que estes são os mesmos que procuram enfatizar a proeza e neutralidade do vídeoárbitro. Os mesmos que andam há exactamente 14 dias sem denunciar que a cotovelada de Lindelof a Marega dentro da grande área do Benfica, na final da Taça de Portugal nunca foi alvo de análise do Vídeoárbitro. Isto é particularmente grave porque a hipocrisia e a parcialidade têm limites. Onde está a análise a este lance? (ver foto). Não está. Sabem porquê? Porque interessa a muita gente. A muitos profetas da verdade. A muitos defensores da verdade. Mas que, da verdade, nem a veresimilhança se aproveita...

Todavia, não há fumo sem fogo e, quanto mais se querem limpar, mais evidenciam a conduta pecaminosa e insuportável desta espécie de Opus Aguiae em que todos querem rezar, mas cujas heresias vão acabar pelo menos no veredito do povo.

Esta vergonha já passou as fronteiras e espero que chegue rapidamente à UEFA para que alguém possa fazer justiça.

 

Força, Porto!

 

Hélder Rodrigues

 

P.S. Cada insulto de que tenho sido alvo aqui é directamente proporcional à verdade das palavras que escrevo.

 

Screenshot_2017-06-11-03-43-20.jpg

 

 

 

 

Há males que vêm por bem

helderrod 22 Mai 17

Pronto. Chegámos ao fim de mais um campeonato e com ele a segunda derrota no mesmo, num jogo em que o FC Porto volta a sofrer mais do que um golo nesta competição. 

Importa agora entender em jeito de balanço que, mesmo ganhando, este Porto de Nuno Espírito Santo poderia apenas ter igualado a pontuação do ano anterior. 

Não obstante as circunstâncias específicas deste campeonato, é necessário perceber o insucesso do trabalho desenvolvido pela presente equipa técnica. Essa carência de praticidade e, se quiserdes, de qualidade efectiva deixou-nos sempre longe do primeiro lugar. 

Fui dizendo aqui que não adianta andarmos para a frente se passarmos a vida a olhar para trás. Cai por terra a ideia repisada dos desenhos e do discurso monocórdico e passivo. Entende-se no presente momento que a oportunidade apresentada ao percussor do Somos Porto esfumou-se. 

Com efeito, o Somos Porto foram apenas duas palavras que perderam o seu sentido a cada jornada que íamos passando. Aqui no Porto dizemos muitas vezes "menos paleio e mais acção" e, na realidade, faltou muita acutilância nos jogos em casa.

Desde as opções iniciais com impedimentos ambíguos, às trapalhadas no miolo do campo e na típica substituição aos 65 minutos, a maioria dos portistas foi percebendo que ainda não seria este o ano da mudança. Urge sangue novo na casa do Dragão. Gente mais irreverente, mais cáustica até, cuja energia se paute pela capacidade técnica e competência. Pedimos que não nos percamos em lirismos, exigimos a simplicidade e o inconformismo doutras primaveras.

O futebol é demasiado concreto para estarmos constantemente a abstraí-lo. Aguarda-se uma resposta cabal no curto prazo. Uma resposta assertiva e inequívoca. A ver vamos. Desejo todas as felicidades do mundo ao NES, com a esperança que esse futuro não passe pelo Dragão. 

Todavia, para lá desta parca competência em momentos-chave do campeonato, seria preciso um FC Porto muito forte para contrariar a imensurável trafulhice inquinada neste campeonato. 

O vencedor teve pouco brilho. Este campeonato foi coisa muito feia. Inúmeras condicionantes foram empurrando a ansiedade para se dar um tetra já pouco inédito na História do futebol português.

A máquina propagandística da Luz continua a carborar a alta velocidade. São capazes de tudo para ludibriar a boa gente. Custa muito ver estes unanimismos nas TV, nos jornais e na rádio que visaram sempre normalizar a grande quantidade de actos injustos em campo e nos bastidores.

Veja-se agora a colagem do slb à Sic publicitando a proximidade encarnada perante o Vídeo Árbitro.

Não deixa de ser risível esta hipocrisia na véspera de uma final onde os encarnados nem sequer mereciam o direito à presença na mesma. Recorde-se o fora de jogo visto por todos a olho nu no campo do Estoril e da inacreditável anuência da equipa de arbitragem.

É o culminar de um verdadeiro embuste, digno da mais reboscada manobra de diversão de uma série de ocorrências só credibilizadas por um povo benfiquista sedento de vitórias.

Aliás é perceptível o complexo de inferioridade relativamente ao grande FC Porto. Não adianta quererem iludir a verdade. A verdade de um triplete é a conquista do campeonato, da taça do país e de um título internacional e não o embuste que quiseram impingir ao zé povinho, quando deturparam a essência da coisa.

Como cidadão, custa ver como em pleno século XXI é possível ver a forma como as massas conseguem ainda ser manipuladas. 

Perante evidências de corrupção, de dívidas bancárias, de dualidade de critérios querem conferir legitimidades.

Lamentavelmente, este foi um campeonato ferido na verdade, dilacerado pela impunidade de uns contrapondo com a opressão de outros. Lá no fundo, estas vitórias ilegitímas terão com certeza um sabor diferente. São vitórias de macete numa sueca aldrabada. Assim foi. O inédito treta do Benfica chega ferido na equidade e no mérito. E provavelmente nem teria sido preciso poupar o quinto amarelo a jogadores, adulterar repetições de lances capitais, suprimir grandes penalidades sucessivas ao adversário directo e castigar jogadores fundamentais. Provavelmente, teríamos o mesmo campeão. Mas impoluto.

É importante que saibam da atenção de muitos portistas e que esta máquina das TV compradas, da imprensa e da rádio em conluio com as trapalhadas na Luz funciona só para quem vive este desporto de uma forma supérflua. 

Pois quem estiver minimamente atento aperceber-se-á da podridão que subjaz nas vitórias mais recentes das águias. Disso jamais se poderão escapar. 

Esperando mudanças profundas para a próxima época, desejo que o FCPorto possa a voltar em força para suprir as adversidades endógenas e exógenas.

Estou confiante!

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

SMS para o meu querido Proença!

helderrod 20 Ago 15

Pedro, Sei que és um moço cuja seriedade é directamente proporcional ao gasto do gel que plasmas no teu cabelo. Por isso, e porque conto com a tua seriedade, espero que o precedente que se abre para levar o jogo Arouca-Benfica para Aveiro seja estendido a todos os outros jogos da Liga NOS. Caso contrário, tornas-te em mais um falhado que se cala com tamanha falta de equidade. Um abraço, Hélder Rodrigues

Fica! Afinal não...afinal sai para o clube A, mas tinha acordo com o clube B! Nada melhor do que o período do defeso para vender jornais e silenciar algum azeite que parece vir à tona. Tal como a verdade, na semana passada algo surgiu na superfície quando Marco Ferreira foi claro ao afirmar que recebera um telefonema de Vítor Pereira pressionando-o, coagindo-o a ser "cuidadoso" no jogo Rio Ave-Benfica. Com efeito, o Rio Ave venceu e o chefe da arbitragem deve ter ficado com o orelhas a arder e a morder-lhe as orelhas. Marco Ferreira tinha deixado "cair o bebé". Marco Ferreira falhara como baby sitter e haveria como houve efectivamente consequências. Elas aí estão: um dos melhores árbitros da Liga Portuguesa acabou por ser despromovido e empurrado para fora da arbitragem. Esta irradiação proactiva deve ser alvo de uma reflexão. Mais sorteio, menos sorteio, este caso DEVE SER INVESTIGADO. Está aqui em causa a verdade de um campeonato. Um CAMPEONATO ROUBADO NÃO PODE SER HOMOLOGADO. Aqui não houve escutas. Neste caso gravíssimo, foi o próprio receptor da chamada telefónica que confirmou em directo na televisão a existência de uma potativa coacção. Esta situação tem andado a passar por entre os pingos da chuva. Fala-se de transferências, do futebol na areia e no Tour de France. Onde estão os profetas da Verdade Desportiva? Onde estão? Vamos debater? Vamos falar de baby sitting a sério? Este campeonato aquistado pelo SLB deve mesmo ser auditado minuciosamente. Este silêncio, além de absurdo é muito suspeito. Mas há muitos portistas como eu que preferem falar disto em vez do ADN e da Mística ou falta dela que os Media andaram a criar. O meu ADN é o seguinte: A de apurar; D de definitivamente e N de negligências na época 2014/2015. Este ADN (Apurar Definitivamente Negligências) é urgente ser resolvido com mais ou menos sorteios e mais ou menos contratações. Fica aqui o meu desafio: ESCLAREÇA-SE, INVESTIGUE-SE, ADESTRE-SE o que está torto para que a pouca vergonha da época passada não se volte a repetir. P.S. Até pode ser que o Gil Vicente e o Penafiel regressem à Liga NOS! Força, Porto! Hélder Rodrigues

Caro Ex Ministro,

Não sou amigo pessoal de Lopetegui, mas como sócio do melhor clube português sinto-me na obrigação de lhe corresponder neste muito nobre género epistolar. Na verdade, sou um assíduo espectador do programa Dia Seguinte. Gosto de ver para poder criticar com propriedade o péssimo serviço que o senhor presta à verdade. Ou melhor, devo adir que não presta um serviço por si só. Revela uma rara capacidade de manipular as evidências para conduzir os seguidistas da sua retórica a crerem efectivamente na calúnia impostora que tanto gosta de cultivar. Penso inclusive, que o senhor ex ministro teria sido um fabuloso e decisivo elemento na Alemanha Nazi de Hitler. Se Hitler o tivesse conhecido, tê-lo-ia contratado imediatamente pela forma soberba como é capaz de enfatizar a propaganda de uma mentira, de uma ilusão. A psicanálise do seu behaviorismo traria, com certeza, elementos riquíssimos no que ao fundamentalismo diz respeito.

Porém, deixe-me dizer-lhe algo. O senhor tem filhos. Como tal não quererá que os mesmos percebam que o sucesso individual e/ou colectivo possa ser feito à guisa da batota. Provavalmente, conhecerão as regras básicas do futebol. Se assim for, rapidamente descobrirão que o título que agora festejam não é mais do que a celebração daquilo que podemos denominar como a personificação da batota.

E não vale a pena sugerir escutas. Sabe porquê? É que quando se pesquisa no Google as tais escutas, aparecem também como entrada na pesquisa as escutas do Senhor seu Presidente e, apesar de não lho revelarem, muito provavelmente também já ouviram Luís Filipe Vieira a escolher árbitros para a Taça de Portugal. E aí hão-de pensar que o pai não lhes conta toda a verdade. E isso é mau. Pense!

Depois perceber que se dirige na carta a um imigrante que foi alvo dos maiores laivos de xenofobia que nós assistimos nos últimos anos. Aliás, é vergonhoso ver um ex ministro português (ou melhor um secretário de estado de trazer por casa) cultivar esta cultura chauvinista que foi tão propalada à boleia do futebol. Devo adir que não foi o único responsável por isso. Mas a sua postura provocatória de permanente cuspidela no prato onde nasceu tem sido municiadora de ódios.

Como tal, do baixo dos meus 36 anos, permita-me um conselho: seja mais comedido e construtivo. Infelizmente há muita gente que come da sua palha. Paralelamente, há muitos consócios seus que não se revêem nesse radicalismo exacerbado. Pense neles. Pense naqueles que perceberam que afinal vão ganhar mais um campeonato ficando apenas a três pontos de um clube que competiu na europa até meados de abril, enquanto que o seu benfica passeou desastrosas exibições na Europa do futebol e está desde Janeiro concentrado univocamente no campeonato. Mas mesmo aí foi preciso subtrair jogadores fundamentais no Restelo (os mesmos que estiveram muito bem no último jogo entre o FCP e o Belenenses) entre outras arbitragens maravilhosas que conduziram ao sucesso da sua equipa. Espero que diga em off que não é assim que devemos ser na vida.

Devemos, isso sim, ser bem sucedidos com a verdade, a humildade e o trabalho. Recordo que os seus filhos terão visto como todos os pseudo 60% que apenas venceram o Mónaco na Luz porque o árbitro de baliza fez vista grossa à mão de Jardel na grande área do Benfica. Os seus filhos terão visto também aquele remate de Benito para a sua própria baliza que obrigou a um já amarelado Júlio César a fazer uma defesa que implicaria inexoravelmente o segundo amarelo, a consequente expulsão e o impedimento de estar presente no jogo do Dragão. Essa é que é a verdade que a sua propaganda retórica procura esfumar. Mas vá lá, amigo! Festeje! Mas festeje na mesma medida da vergonha da pequenez do sucesso. 

Explique que em 10 anos, ganhar 3 títulos é o mesmo que 30% de sucesso. Isso equivale a um nível medíocre. Não queira hiperbolizar aquilo que ainda é exíguo.

 

Um abraço,

Hélder Rodrigues (sócio número 119223 do Futebol Clube do Porto, com sete taças Europeias, com tricampeonatos, TETRAcampeonatos, PENTAcampeonatos e com um orgulho imensurável de ser do melhor clube português)

 

P.S.: Responda lá a esta pergunta: Como comenta o facto do jogo em Guimarães ter iniciado quase dois minutos mais tarde relativamente ao de Belém na segunda parte?

É no mínimo hilariante a escolha do árbitro do próximo Gil Vicente-Benfica. No jogo da primeira volta, o Benfica conseguiu os 3 pontos à custa de um escandaloso fora-de-jogo na vitória sobre o Gil Vicente. E quem era o árbitro? João Capela. Esse limpinho que corporiza odes à papoila saltitante. Porém, Vítor Pereira da arbitragem (porque o outro Vítor Pereira foi BICAMPEÃO com apenas uma derrota justamente em Barcelos com uma obra de arte de Paixão) teve o topete de escolher justamente o mesmo árbitro da primeira volta. É uma vergonha. Mas uma vergonha útil. Na verdade, todos estes episódios só ajudam a atestar que a potativa vitória do SLB neste campeonato é nada mais nada menos do que uma farsa. Caso ganhe, não há mérito. Há o fruto da trapalhada de terceiros que falam da fruta para não se falar das multifacetadas sombras do colinho. O âmago da questão é simples: uma coisa é uma equipa poder nada ganhar, apesar de ter chegado magistralmente aos quartos de final da LIga dos Campeões, com apenas uma derrota (pré-eliminatória incluída). Outra, é uma equipa ganhar a tacinha da treta caso não vença o campeonato. Rui Santos é muito sério na verdade, na medida em que "há contacto e não há puxão" no lance entre o Luisão e Jackson. Não haja dúvidas que este cultivador de verdade é nada mais do que um mestre do espigueiro para dar palha e até o Rodolfo vai na conversa. Mas o que é grave é branquearam nas barbas do grande Rodolfo a não expulsão do Fejsa com duplo amarelo. Já agora, onde está a LIga Real? Não tenho ouvido falar nisso. Porém, ainda há portistas que não se calam. Nem me calarei e guardarei para a posteridade o eventual Campeonato do Colinho, o Campeonato dos túneis, o Campeonato do Algarve e até o Campeonato dos Ovos Moles onde foram comer Bife Arouquense para Aveiro. O que lamento é ver os jovens benfiquistas crescerem e verem o seu clube vencer à custa da batota. Mas, meus amigos, ser batoteiro é feio!

Força, Porto! Eu ainda acredito, Hélder Rodrigues, Vila Nova de Gaia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

  • Benfica

  • Porto

Últimos comentários

  • Anónimo

    Ao contrário do jogo contra o Braga o Vídeo- Arbit...

  • manuel costa

    Deixo aqui um alerta para os ovos contaminados no ...

  • Eduardo Louro

    Também concordo, Joana.

  • Joana

    Concordo! No entanto, como benfiquista, posso afir...

  • Anónimo

    ManostaxxO creme facial personalizado de 5 mil eur...