Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dia de Clássico

MENU

Um jogo selvagem

Eduardo Louro 5 Mar 17

 

Muito difícil, este jogo do Benfica em Santa Maria da Feira. Esperavam-se dificuldades, mas não tantas como as que o jogo apresentou. Pelo campo, que é sempre difícil, a que a chuva trouxe ainda mais dificuldades, e pela própria equipa do Feirense, muito bem trabalhada pelo seu jovem treinador. Nuno Manta é certamente mais um valor a despontar no futebol nacional, na linha de Marco Silva, e de mais um ou dois que por cá vamos tendo oportunidade de apreciar.

Comecemos por aí, para dizer que, à parte a motivação extra que sempre representa defrontar o Benfica, os jogadores do Feirense correram como poucos, jogaram no campo todo, raramente se remetendo à exclusiva defesa da sua área, e fizeram tudo isso com grande qualidade, individual e colectiva.

A equipa do Feirense tornou o desafio num jogo selvagem, completamente indomável. Um jogo que nunca se deixou controlar, porque só se consegue controlar um jogo depois de controlar o adversário. E o Feirense nunca se deixou controlar, mesmo com o Benfica a ter a bola em na sua posse durante dois terços do tempo de jogo.

Se a tudo isto juntarmos, mais uma vez, as muitas ausências - desta feita faltaram o maior desiquilibrador (Nelson Semedo), o maior equilibtrador (Fejsa) e o de maior classe (Jonas), que só entrou na parte final - temos o quadro completo das enormes dificuldades que hoje o Benfica encontrou.

Na primeira parte nem o Benfica foi superior ao Feirense, nem teve muito mais oportunidades de golo. Ao contrário do adversário o Benfica proveitou, com o golo de Pizzi já perto do intervalo, uma das duas ou três oportunidades que criou. 

Na segunda parte, à excepção de cerca de 10 minutos ali pelo meio, a superioridade do Benfica foi clara, mesmo que nunca lograsse o domínio absoluto do jogo. O Feirense não dispôs de mais que uma oportunidade de golo, naquele canto que levou a bola até ao pé esquerdo do Ederson, que só a segurou depois de já a ter procurado dentro da baliza, enquanto o Benfica despediçou uma enorme séria de oportunidades claras. Três ou quatro, só à conta de Mitroglou.

Se a primeira parte deu ao jogo o golo de que se fez a vitória, a segunda deu-lhe os argumentos para a justificar.

O que se não justifica, não se aceita, nem se desculpa, é o comportamento de alguns adeptos que estavam atrás da baliza do Feirense na primeira parte. Envergonha-nos a todos, Envergonha-me a mim!

2 comentários

De Daniel João Santos a 05.03.2017 às 10:15

eu estive lá, deste vez como adepto do Feirense, concordo com a tua visão do jogo. Apenas, perante o que vi, posso dizer que se o resultado final fosse o empate, não seria nenhum escândalo.

De Eduardo Louro a 05.03.2017 às 15:37

Não seria, não. Nenhum dos jogos em que o Benfica perdeu pontos foi tão dividido como este. Parabéns ao teu Feirense. E parabéns ao nosso Benfica, que continua firme na frente!

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog

  • Benfica

  • Porto

Últimos comentários

  • jac

    "este foi um campeonato ferido na verdade" - os do...

  • Renascença...

    Quem diz que a Rádio Renascença é uma rádio públic...

  • Eduardo Louro

    Triste e anónima forma de expressar o mau perder. ...

  • M.C

    Um adepto de um clube por onde passaram jogadores ...

  • Anónimo

    Um clube que tem um jogador (Pizzi) em risco do 5º...