Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

09
Dez12

Incompetência

Eduardo Louro

 

Não há paciência para as manobras de diversão do Sporting. Há muito que é assim, mas nesta gerência de Godinho Lopes ultrapassam-se todos os limites. Provavelmente para tapar toda a vasta incompetência que vem sendo notória e evidente!

Agora, e depois de tentarem fazer deste jogo com o Benfica o jogo mais importante da sua história, vêm criar o caso do adiamento do jogo. Depois de o abrir com o anúncio da decisão de não comparecer no jogo à hora marcada, depois de, a seguir, ser o seu treinador a dizer que não era necessário adiamento nenhum e depois de meter os pés pelas mãos em mais um mar de incompetências, vem responsabilizar o Benfica pelo não adiamento do jogo por parte da Liga Portuguesa de Futebol. E lançar mais uma série de atoardas sobre o presidente do Benfica!

Para levar a cabo esta estratégia incendiária com que Godinho Lopes acha que segura a sua liderança, conta com a legião de comentadores espalhados pelos media que não se inibem de lançar mais e mais areia para os olhos … dos sportinguistas.

Há apenas um ano incendiaram as cadeiras do Estádio da Luz, sob a batuta daquele dirigente exemplar que faz depósitos nas contas dos árbitros. Desta vez, em Alvalade, incendeiam o jogo. Com a incompetência de sempre!

09
Dez12

O famoso sistema na sua mais clara expressão

joaopaulo74

Sou sócio do BENFICA e há muitos anos que percebi uma coisa - não temos qualquer possibilidade de vencer porque não chega ser igual ou melhor. E há pequenos sinais que vão provando isso mesmo - até eles reconhecem!.

Nos últimos dias, com o pedido do Sporting para adiar o jogo, falou-se de uma outra situação, um Sporting-Braga, que até foi ganho pelos da casa.

Mas não se falou de um outro jogo. Reparem:

- Videoton 3, Sporting 0: 4 de outubro;

- Porto 2, Sporting 0: 7 de outubro.

Porque é que nessa altura os gatinhos não pediram o adiamento?

Já escrevi antes algo de semelhante sobre o silêncio do Braga depois do jogo que perderam em casa a semana passada, em oposição à gritararia que fizeram em Alvalade.

Já o escrevi quando os gatinhos foram escandalosamente roubados no Dragão e deixam tudo na paz do senhor.

Perguntarão se estou a colocar em causa a qualidade da única equipa portuguesa na Champions, que lidera o campeonato e tal...

Não, de todo!

Quanto a isso, nada!

A minha pergunta é, se mesmo tendo o maior orçamento, comprando os jogadores mais caros, tendo treinadores e jogadores "emprestados" em tudo quanto é clube satélite, precisam de gerir o sistema desta maneira? É mesmo necessário?

06
Dez12

Má Figura

joshua

Sair da Liga dos Campeões é um desfecho que só atesta a mediocridade endémica do Sport Lisboa e Benfica. Posso bem com um peru ou dois do guarda-redes da minha equipa, se, no final, ela estiver na elite do Futebol Europeu. O mínimo que o Sport Lisboa e Benfica poderia fazer por mim, que sou português e avesso a humilhações, e pelo Futebol Português, era consolidar-se dentro dessa excelência milionária. Ora, nem com a Equipa B do FC Barcelona?

05
Dez12

Oportunidade única

Eduardo Louro

 

Barcelona v Benfica Champions League 2012/13

O Benfica começou e acabou o jogo de Camp Nou - que tinha de ganhar para, sem estar dependente do resultado de Glasgow, continuar na Champions – a desperdiçar oportunidades de golo. Pelo meio, na primeira parte, foi tempo de marcar uma grande superioridade sobre aquele Barcelona que tinha pela frente e de enjeitar mais três ou quatro oportunidades claras e, na segunda, de criar e falhar mais uma oportunidade de golo, de se assustar com a entrada de Messi, de se encolher com a entrada de Piqué, de rebentar fisicamente e de suspirar de alívio com a lesão de Messi.

Quer dizer, o Benfica jogou bem durante toda a primeira parte, durante a qual podia e devia ter matado o jogo, frente a um Barcelona com apenas três ou quatro dos seus principais jogadores e sem nenhuma das suas superlativas vedetas. E percebeu-se que o fez à custa de um enorme esforço físico, que viria a pagar na segunda parte, quando teve de partir para o assalto final - nos últimos nove ou dez minutos em que o Barcelona, pela lesão de Messi, jogava com dez – já sem pólvora.

Jorge Jesus, no seu jeito sem jeito nenhum, perguntava ao entrevistador no final da partida se ele tinha visto alguma equipa jogar em Barcelona como o Benfica acabara de fazer. Não lhe respondeu, mas a resposta é claramente não. Mas também ninguém viu qualquer outra equipa jogar contra aquela equipa do Barcelona, que confirmou o que toda a gente já sabia: que são os melhores jogadores que convocam o melhor futebol. O soberbo futebol do Barcelona só o é quando executado pelos jogadores soberbos que constituem a sua equipa principal de futebol, onde não surgem corpos estranhos. Quando assim não é, o passe e a recepção já não são a mesma coisa, e a bola olha para aquelas camisolas e acha estranho!

Para nós, benfiquistas, este foi um jogo atípico e talvez único. Partíamos com a convicção clara de que só um milagre nos poderia garantir a continuidade na maior prova do futebol mundial. Começou o jogo e ficamos à espera do golo que se anunciava repetidamente. Esperamos até desesperar. Por momentos passamos a admitir que ele acabaria por surgir mas na baliza errada, e que nem o empate de Glasgow nos valeria. Por fim, desfeito – através de um penalti muito estranho - o empate em favor dos escoceses que fazia a vontade a Messi, quando era preciso um último fôlego para tentar fazer em poucos minutos o que não fora feito numa hora, percebemos que a equipa, mesmo querendo, já não podia…

Mas lá que foi uma oportunidade única e irrepetível de ganhar em Camp Nou, lá isso foi… E que foi o Benfica que, este ano, se afastou a si próprio da Champions, lá isso foi. E não foi apenas por este jogo de hoje…

Mas pronto: que venha então a Liga Europa. Há quem diga que é para ganhar! E por que não?

02
Dez12

Guilherme Espírito Santo

Dylan

                                   Foto: Jornal de Notícias

 

Vou contar-vos a história de um jovem que faleceu com 93 anos. Já viram alguém, um talentoso jogador de futebol ser campeão nacional, internacional, e ser recordista português em três especialidades no atletismo?! Uma força da natureza, um desportista na verdadeira acepção da palavra que ainda teve forças para derrotar o racismo. Obrigado Guilherme Espírito Santo por tantas glórias, por fazeres pulsar todos os corações encarnados.

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D