Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

26
Mar13

A Seleção é mesmo muito fraquinha.

joaopaulo74

Sobre a seleção escrevi há dias, no entanto, depois de ter visto a primeira parte do jogo de hoje não resisto a voltar ao tema.

E vou fazer um exercício simples - comparar o 11 da seleção com o 11 mais comum das duas equipas que lideram o Campeonato. Vejamos:

 

Guarda-redes: Artur, Helton, Rui Patrício. Não creio que a seleção esteja melhor servida, mas não é pela baliza que a nossa equipa é fraquinha.

 

Defesa - esquerdo: Melga, Alex, Coentrão. Creio que aqui a seleção não está pior do que qualquer um dos clubes.

 

Defesa - direito: Maxi, Danilo, João Pereira. Creio que o baixote, nem para apanha bolas dos titulares do FCP e do SLB. É um dos piores da seleção.

 

Centrais: Garay / Luisão; Otamendi / Mangala; Pepe / B. Alves. Creio que o Pepe é do melhor, mas o BA é fraquito. Quanto às alternativas, nem vale a pena falar.

 

Médios (não alas): Tirando o Moutinho, não estou a ver nenhum dos outros dois a entrar no lugar dos titulares do FCP (Fernando, Lucho), SLB (Matic, Enzo).

 

Alas: a seleção tem o melhor do mundo e um, Nani, que anda lá perto - tenho é dúvidas que eles joguem, na nossa equipa, ao nível dos clubes.

 

Quanto aos avançados, aqueles que empurram a xixinha lá para dentro, nem vale a pena falar - a seleção não tem nenhum!

 

Ou seja, a nossa equipa nacional tem dificuldade em ter melhores jogadores que duas equipas da segunda linha europeia - uma seleção que quer ser de top deveria ter jogadores de top para quase todas as posições e, no caso de Portugal, esse não é manifestamente o caso.

25
Mar13

Nacionalidade? Benfiquista!

joaopaulo74

Sou Internacionalista por convicção e defensor da Europa sem fronteiras também por isso. Ser ou não ser natural de um país é um detalhe que não valorizo, mas nunca  gostei de ver o dinheiro e os interesses pessoais à frente da paixão.

Portugal, enquanto equipa de futebol, era uma paixão. Era uma boa desculpa para partilhar um jogo de bola com os adeptos não benfiquistas. Era isso e pouco mais.

Quando, com a nossa camisola, começaram a aparecer profissionais da bola que viram nessa possibilidade um bom negócio, a seleção, para mim, acabou. Desde então, desliguei e só vejo os jogos quando não há nada melhor para fazer.

Sempre achei que ter tipos como o Deco ou como o Liedson na nossa equipa seria o fim de Portugal como potência mundial - creio que não me enganei.

Temos uma péssima equipa com 3 ou 4 bons jogadores e um do outro mundo, o CR7.

O 11 de Portugal tem algunas jogadores que gostaria de ver no SLB, mas duvido que fossem titulares - o Guarda-redes seria, o Coentrão também e o Pepe não sei. O outro central, só no talho e o baixinho da direita, nem para apanha bolas.

No meio campo, o moutinho talvez entrasse no lugar do Enzo e depois o CR7 entraria em qualquer lugar. De resto, zero.

Ainda acham que temos equipa para ir ao mundial?

22
Mar13

A febre amarela ou o síndroma de Baku

helderrod

Ninguém pode ser o melhor do mundo ao evidenciar a irresponsabilidade plasmada pelo CRamarelo. É inadmissível a atitude de um jogador que, sabendo que está em risco de exclusão, passa um santo jogo a prevaricar o árbitro. Por estas e por outras é que ele não chega lá. Fica aquém de tudo e todos, porque para sermos os melhores temos que ir além. Além da dor com a humildade de um lutador.

O CRamarelo não é um exemplo para ninguém e o Paulo Bento (que se diz muito equitativo) deverá tomar a decisão certa e não fazer de conta que nada aconteceu.

Na minha modesta opinião o CRamarelo, deve acompanhar os colegas até ao último minuto deste estágio. Caso contrário, a seriedade vê-se derrotada ante o xico-espertismo!

18
Mar13

Jornais

joaopaulo74

Na habitual mania da perseguição que marca a matriz cultural dos mais pequenos, a comunicação social surge sempre como um braço armado do SPORT LISBOA E BENFICA! Há anos que digo uma coisa muito simples - para o melhor e para o pior, no futebol e na comunicação social funciona o mercado. Se eu fizer uma capa com uma imagem do BENFICA e vender 10, enquanto uma imagem de outros me vende um, talvez escolha mais vezes as capas que vão vender mais. É o mercado!

E é por isso que os jornais têm, muitas vezes, capas diferentes em Lisboa e no Porto. Hoje o Público recorre a essa estratégia.

18
Mar13

4 golos, 4 pontos - venha o próximo

joaopaulo74

O Sport Lisboa e Benfica ganhou mais um jogo. Desta vez, em Guimarães e por 4-0! Depois da vitória contra o Gil escrevi:

Na próxima jornada vamos a Guimarães numa das 7 finais que nos restam. Os companheiros de escrita viajam até à Madeira. Depois, recebemos o Rio Ave e eles têm que ir a Coimbra. Estas serão, estou certo, duas jornadas decisivas para as contas do título.

Os resultados de hoje confirmaram a ideia - no fim poderemos ver o que vale este dia 17 de março nas contas do título.

Hoje, fizemos o que tinha que ser feito, ganhamos num jogo dominado do primeiro ao último minuto, onde os golos apareceram com a naturalidade de quem corre a caminho de um título.

Nota mais para o jogo, fantástico, do Cardozo!

 

E agora?

 

Agora temos que ganhar o próximo jogo, e mais outro, o outro a seguir até ao título! Simples. Por ordem: Rio Ave (Luz), Olhanense (fora), Sporting (casa), Marítimo (fora), Estoril (casa), Porto (fora), Moreirense (casa).

17
Mar13

Quatro

Eduardo Louro

 

 

Quatro golos. Quatro pontos de vantagem!

Um belo jogo, este que o Benfica fez hoje em Guimarães. As coisas mudaram, como já se percebera em Bordéus e a equipa já não se passeia na companhia da tal senhora de má fama. Já se viu que não, tenha ela partido para outras paragens ou não. Se ainda por lá está – e ninguém deseja que se vá embora – que mantenha o recato!

O jogo era de altíssima carga emocional. Porque é tradicionalmente um jogo difícil para o Benfica, porque foi ali que morreu o Feher - e isso pode não contar para estes jogadores mas pesa na memória colectiva -, porque se realizava com menos de 72 horas sobre o jogo de Bordéus, porque foi ali que na época passada, em circunstâncias idênticas – no caso depois do jogo na Rússia, com o Zénith - o Benfica começou a perder o campeonato, deixando lá três dos cinco pontos de avanço que então tinha na frente do campeonato. Se já o era, mais ainda ficou depois do jogo do Porto nos Barreiros: a tudo o que era história juntou-se a perspectiva de um jogo decisivo na conquista do título. Mas cedo se percebeu que o Benfica estava ali para resolver as coisas a sue favor, apesar da forma agressiva e bem concebida que o Guimarães escolhera para defender.

Sim, por muito que isto custe aos narradores e comentadores da Sport TV, o Guimarães apenas defendeu. Fê-lo de uma forma particular, mas foi o que apenas fez. Resultou na primeira meia hora, com a ajuda da equipa de arbitragem que anulou três jogadas de golo provável, assinalando indevidamente foras de jogo. Em “ambas as três” – esta é a última criação do Jorge Jesus, que irá dar azo a mais uma série de galhofas – Lima ficava na cara do golo, e dinamitaria bem mais cedo a estratégia do Rui Vitória.

Sabia-se que depois do primeiro golo a estratégia ruiria, como ruiu. O Guimarães criou uma oportunidade de golo em todo o jogo, já na segunda parte, quando perdia por dois a zero. O Benfica fez quatro golos em cerca de dez oportunidades criadas…Isto só se consegue com uma grande exibição, e o regresso às boas exibições só não é a melhor notícia do dia porque há outra: quatro pontos de vantagem!

Do jogo e da exibição de Guimarães só um reparo para aquela gente que estava atrás da baliza para onde o Benfica atacou na primeira parte. E naturalmente defendeu na segunda. Repetir os cânticos que a partir do Dragão se foram generalizando no norte do país é feio, mas enfim… Os petardos é que não. De todo! Depois de o Vitória de Guimarães ter escapado a sanções – entre as quais jogos à porta fechada - pelos graves incidentes no jogo da sua equipa B com a congénere de Braga, as lamentáveis cenas de hoje são intoleráveis.

Dos quatro pontos de vantagens, só duas notas. A primeira para dizer que nada está ganho, que garantem nesta altura uma pequena margem de conforto, mas nada mais que isso. E a segunda para dizer que, nesta altura, a diferença entre o Benfica e o Porto é bem maior que os quatro pontos que os separam. Quem viu hoje os jogos de ambos percebeu isso!

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D