Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

10
Mar13

Arrumar a questão

Eduardo Louro

Poderia começar por dizer, como o nosso Ricardo Almeida, que bastaram – não quinze – mas vinte minutos para arrumar com a questão. Nunca o faria porque há por aqui uma coisa que se chama o complexo dos dois golos: o 2-0 é sempre um corredor aberto para a maldição do 2-2!

Poderia então dizer que bastou meia hora para arrumar a questão, porque é no terceiro golo que está a verdadeira questão. Mas também não digo!

Não o digo porque até acho que o jogo tem uma história: a minha história. Não o digo porque, se o Benfica tivesse jogado aquilo que poderá levar as pessoas a pensar que jogou, não teria apenas igualado o melhor resultado da época. Teria construído um daqueles resultados que já não se usam.

O que posso dizer – e que, convenhamos, me aconchega a alma – é que este resultado de hoje pode ajudar a equipa a sair deste ciclo em que a qualidade tem sido revista em baixa. E já agora que o nosso adversário atravessa exactamente o mesmo ciclo. Mesmo a arrumar a questão em quinze minutos, não se vê por lá nada de melhor…

10
Mar13

BENFICA 5 - Gil Vicente 0

joaopaulo74

Tal como se previa, foi um jogo demasiado fácil. O Gil não tem agressividade em quantidade e em qualidade para este tipo de jogos. Foram 5, poderiam ter sido mais, num jogo feito em ritmo de treino. A história do jogo resume-se aos golos: Maxi, Salvio, Melgarejo, Lima, Nico.

Na próxima jornada vamos a Guimarães numa das 7 finais que nos restam. Os companheiros de escrita viajam até à Madeira. Depois, recebemos o Rio Ave e eles têm que ir a Coimbra. Estas serão, estou certo, duas jornadas decisivas para as contas do título.

Uma nota final para a homenagem ao Fábio Faria!

10
Mar13

Menos 1

joaopaulo74

São 20h15 e, neste 10 de março, começa mais um jogo do Sport Lisboa e Benfica. Daqui a noventa e poucos minutos faltarão sete vitórias para o título. Ou não. Vejamos - na agricultura uma das técnicas mais frequentes é a do pousio, quando um terreno é deixado um período de tempo de modo a recuperar. Felizmente não temos necessidade de recorrer a esse tipo de estratégia, pelo menos entre dois jogos da champions. Quer dizer, talvez, neste caso não seja tanto uma questão de pousio mas de desintoxicação.

Jesus tem, até ao momento, feito uma gestão eficaz da equipa, sendo que melhores conclusões, só lá para o fim das competições. Hoje, entraria em campo com o Artur, o Luisão e o Garay. Nas alas, o Maxi e o Luisinho. O SUPER-MATIC e o Enzo no meio, Salvio e Ola John nas linhas, com o Lima e o Cardozo na frente.

Menos que uma vitória tranquila será mau.

Nota: arrisco os comentários simpáticos ao antecipar desta forma o jogo, mas é para ver se os adversários aparecem mais a jogo...

10
Mar13

Orgulho

joaopaulo74

Subscrevo o aplauso da blogosfera vermelha à atitude do Presidente do Benfica, isto é, do Sport Lisboa e BENFICA. Refiro-me ao comportamento no caso do Fábio Faria.

E, se me permitem a sugestão, a Fundação Benfica poderia pegar no exemplo deste craque, um HOMEM com uma vida inteiro pela frente, e criar um programa de apoio aos jovens que por esse país fora jogam futebol atrás de um sonho. Há milhares e milhares de crianças que muitas vezes com a o apoio da cegueira paterna deixam tudo para trás e falta muitas vezes lucidez dos dirigentes ou das famílias para verem mais do que o golo um domingo atrás do outro.

Depois, quando acontece um azar...

Fica a sugestão: poderão criar uma escola de pais, uma parceria com as escolas de futebol, etc, etc...

09
Mar13

João Rocha

Dylan

O futebol português precisa de um Sporting forte, mas fundamentalmente de homens da craveira de João Rocha. Memórias de um homem que consegui unir os irmãos desavindos da Segunda Circular, que não se submetia a nenhum clube ou alianças duvidosas, que vencia sem arrogância mas com cavalheirismo. Responsável pelo sucesso do ecletismo das modalidades, prestigiou o nome do país e deu ao mundo lendas como Carlos Lopes e Fernando Mamede.
09
Mar13

Jesus é brilhante

joaopaulo74

Ser do Benfica é sempre uma coisa bem complicada porque não há qualquer elemento entre o oito e o oitenta. Só há duas possibilidades, ou tudo,

ou nada!

E quanto vi o comportamento de alguns adeptos do SPORT LISBOA E BENFICA no último jogo europeu fiquei ainda mais certo do problema. Alguém dizia em tempos que o futebol são onze contra onze e no fim ganha a Alemanha.

Foi isso que aconteceu na 5ª feira - no fim ganhou o Benfica!

E o que queriam mais?

Uma goleada? Uma mega-exibição? A nota artística?

O Benfica jogou mal e, pelo que vi, tem equipa para dar meia dúzia ao Bordéus. Não tenho dúvidas.

Mas, foi a vertigem do Jesus pelo futebol espectáculo que nos lixou as duas últimas épocas, além dos homens de preto, claro.

Jesus tem mexido na equipa e nem sempre bem?

Claro! Aquele puto que nem no Corunha jogava, ser titular não lembra nem ao menino. Pelos vistos lembra ao Mister.

Mas, com todos os defeitos e com todas as virtudes, a verdade é que o BENFICA está a fazer uma época fabuloso onde fica como registo negativo a derrota do Barcelona na Escócia. Caso contrário, tudo estaria a correr quase de forma perfeita.

E, tudo isto, numa época que tinha quase tudo para ser uma desgraça.

Vejamos:

- a equipa inicial do Benfica, no arranque da temporada: Artur; Maxi, Luisão, Garay, Melgarejo; Javi García, Salvio, Witsel, Bruno César; Rodrigo, Cardozo.

- a equipa inicial do Benfica contra o Beira-Mar: Artur; Maxi, Luisão, Garay, Melgarejo;  Matic, Enzo, Salvio, Ola John, Lima e Cardozo.

 

Se a defesa é a mesma, do meio-campo para a frente estamos a falar de uma equipa completamente diferente. Por outro lado, mesmo na defesa, para dar minutos, podemos ter o André Almeida no lugar do Maxi, o Jardel para o meio e o Luisinho na esquerda. Aliás, boa parte da época foi feita sem o Luisão.

 

O que nos passou pela cabeça quando sairam o Javi e o Witsel? Alguém imaginou que o Matic fizesse esquecer um dos melhores jogadores que passou pelo Benfica nos últimos anos? O Enzo, que nem a ala servia e de repente se torna um 8? E a forma como pegou no Gomes e no Almeida, embora continue sem percebe porque é que o Jesus esquece o melhor jogador da equipa B, o Miguel Rosa.

 

Para não falar do facto do Aimar estar fora, das saídas do Nelson Oliveira, do Nolito e do Bruno César...

 

Por tudo isto, creio que só podemos estar gratos ao Jesus pela competência que tem vindo a mostrar.

Com outro treinador, onde a época já estaria e com todas as justificações...

Pode fazer mais?

Sempre!

Mas, entre o 8 e o 80 há mais algarismos... 



Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D