Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

09
Mar14

A arte de bem receber e as coisas que nunca mudam

Eduardo Louro

 

Mais que um belo jogo, este que, provavelmente as duas equipas que actualmente melhor futebol estão a praticar, disputaram hoje na Luz, foi um jogo curioso. E cheio de curiosidades!

O Benfica jogou ao nível a que já nos habituou, mas com a curiosidade de, à sua condição de grande equipa de futebol, aliar a de grande anfitrião. Sabendo que o Estoril gosta de ter a bola, o Benfica entrou de rompante para resolver o jogo – o primeiro golo acontece logos aos cinco minutos, mas à terceira oportunidade – para rapidamente ofertar justamente a bola às visitas. E assim fez, não foi sovina e deixou o Estoril ficar com a bola.

E fez muito bem. Porque a equipa do próximo treinador do Porto - parece que não está fácil de convencer, e que o Porto já não tem capacidade de sedução - até sabe o que fazer com ela, pelo menos para os olhos dos espectadores. Mas acima de tudo porque não precisou dela para nada para fazer mais uma grande exibição, marcar três golos – a arbitragem, sabe-se lá por quê, anulou o terceiro - e desperdiçar mais três ou quatro. Nem precisou de a ter para impedir o Estoril de chegar á sua inviolável baliza – um golo sofrido, aquele charuto de má memória em Barcelos, nos últimos 16 jogos. Na primeira parte, nem um remate. E no fim, uma única defesa, e fácil, de Oblak!

O Benfica alargou hoje para 7 pontos a distância para o segundo – o Sporting. Que empatou em Setúbal, porventura sem ter merecido ganhar, mas claramente prejudicado por uma arbitragem de um velho conhecido, do Porto… E assim, na jornada que antecede a visita do Porto – que jogando o que tem vindo a jogar, lá conseguiu uma vitória tão gorda quanto enganosa – vê reduzida para metade a vantagem que já tinha. Mais do que isso, o Porto chega a Alvalade a poder discutir ali o segundo lugar. E como esse velho conhecido que hoje esteve em Setúbal sabe da importância desse segundo lugar… Há coisas que, mesmo que não pareça, nunca mudam!       

09
Mar14

Cabeça, inversões, bons momentos e o mexiLEÃO!

helderrod

Hoje Luís Castro teve a sua estreia na equipa A e o resultado superou a exibição. Não obstante esse facto, a inversão do triângulo e o regresso do paradigma do Porto trouxeram bons momentos a este jogo. A força e a alegria de Defour atribuiram-lhe na minha opinião o título de melhor em campo e isso pode ser um sinal positivo.

Porém, a primeira prova de fogo deste triângulo invertido ocorrerá já na próxima quinta-feira às 18h. O jogo com o Nápoles deverá ser o "turning point" para o que nos resta desta época. Tal como o plasmado na tarja que se ergueu no Dragão há ainda muito a ganhar e temos a obrigação de lutar até à última gota de sangue, carago!!!!!

Em suma, há que ter mais cabeça e exponenciar os bons momentos no nosso reduto!

Uma palavra também para o Presidente do SCP que não gostava de alianças extraconjugais. Devo dizer que me parece que nesta amizade colorida o Bruno está a ser o último a saber. Nesta santa aliança quem se lixa é o mexiLEÃO!

 

Força, Porto!

 

Hélder Rodrigues   

07
Mar14

Nós e os Outros

joshua

As crises prolongadas dos outros clubes entram na normalidade e mesmo na mais banal banalidade. Mas uma crise de curta duração do FC Porto é que é notícia. E é notícia porque tal crise corresponde a uma ruptura inesperada num padrão habitual e consistentemente bem sucedido. a página virou. Boa sorte, Luís Castro.

06
Mar14

Paulo Fonseca saiu, mas não de mãos a abanar!

helderrod

Em 9 meses de FC Porto, Paulo Fonseca ganhou um título, ou seja,  mais do que o treinador do clube da Luz em toda a temporada passada. Como tal, deixo aqui uma palavra de gratidão para com Paulo Fonseca que, no meio de algumas falhas no triângulo dourado, teve também muito azar nas peripécias de muitos jogos, quer na Liga dos Campeões, quer na Primeira Liga.

Certo de que a passagem por um grande da Europa e do Mundo terá sido indubitavelmente enriquecedora para o treinador, considero que outras portas se abrirão para que Paulo Fonseca possa ser bem sucedido, pois a sua humildade bem o merece. Quem sabe até num grande Estoril europeu...a ver vamos. 

Quanto a Luís Castro, fica aqui uma palavra de coragem e de determinação porque com certeza ele também não sairá de mãos a abanar....

 

Força, Porto!

 

 

 

 

P.S. Espero que o Bruno de Carvalho tenha falado ao PR sobre a importância do Fair Play num jogo de futebol, mesmo estando a precisar de desempatar um jogo. É certo que o rapaz do Braga reentrou em campo para se deixar cair de novo, mas manda a prudência parar o jogo para se assistir um atleta...Será que o Oceano também foi? É que o Cavaco adora falar do mar....

 

Hélder Rodrigues

05
Mar14

Uma pena

Daniel João Santos
Paulo Fonseca chegou ao fim da linha. Na realidade já tinha terminado, mas a direcção do Porto insistia em continuar o mesmo caminho.
Infelizmente um dos treinadores do Porto que mais fez pelo Benfica saiu.
05
Mar14

As preocupações com trânsito dão nisto...

Eduardo Louro

O Paulo Fonseca já há muito que havia deixado o Porto. Não sabia muito bem para onde tinha ido, mas já tinha saído há para aí uns dois meses... A administarção da SAD é que tem andado muito entretida com o trânsito lá no Dragão e só agora reparou, quando ia entregar-lhe a prenda de aniversário e não o encontrou em lado nenhum. Lembrou-se então de comunicar isso à CMVM!

02
Mar14

PONTO FINAL, parágrafo....

helderrod

Eu que sempre defendi com unhas e dentes este Porto de Paulo Fonseca devo dizer basta. O treinador já não está com a equipa, quando a equipa já havia manifestado esse afastamento.

Quando assim é, resta dizer:

- Ponto final, parágrafo...

 

 

P.S. Uma palavra de solidariedade para com o Belenenses e o Arouca que perderam respetivamente dois pontos para o Benfica. Hoje a equipa de Belém bateu o imbatível Oblak, mas alguém não marcou porque não quis. Já o Arouca que a 4 minutos do final vencia na Luz viu o outro Sulejmani inventar um penalty que lhe roubou 2 pontos. Pontos estes que podem vir a ser muito importantes no desfecho do campeonato. Porém, já ninguém os pára seja a torto e a direito.....

02
Mar14

Os jogos matam-se...

Eduardo Louro

 

O Benfica ganhou hoje no Restelo um jogo com história, com estórias e com alguns ensinamentos.

Um jogo com história porque um Belenenses-Benfica é um derby histórico, e um clássico do nosso futebol.

Mas também com estórias. Desde logo a do Miguel Rosa, que não jogou por decisão da Administração, conforme revelou o treinador no final do jogo. Podia ter sido por lesão, por uma daquelas lesões que alguns jogadores contraem a subir para o autocarro. O Abdulay, por exemplo, era – agora já não é – um jogador muito atreito a este tipo de lesões, mas ainda bem que não foi o caso, que o Miguel Rosa não lesionou…

Mas também a de um golo anulado ao Belenenses, por fora de jogo que na realidade não existiu. Que, se por si só já seria estória, tem ainda mais estórias agarradas. Desde logo porque na primeira volta, na Luz, o Belenenses empatou (1-1) com o golo obtido em fora de jogo. Reposta a justiça, tudo bem… Tudo bem, também, quando os treinadores se queixam das arbitragens, especialmente quando se sentem prejudicados. É normal, mesmo que a crítica e os media em geral muitas vezes achem isso mal. Que achem que o politicamente correcto seria não falar de arbitragens, ou, fazendo-o, fazê-lo também quando beneficiam desses erros. O que não é normal é todos os repórteres se tivessem apressado a recolher as opiniões dos dois treinadores sobre esse lance. Não esperaram pelo decorrer da conferência de imprensa, onde seria suposto que o treinador do Benf9ica ignorasse o lance e o do Belenenses o enfatizasse. Não, foi logo a primeira pergunta… E as respostas são também elas boas estórias, porque Jorge Jesus, que como se sabe está sempre on line, disse que do banco, não viu o lance. Desta vez estava off line, e aproveitou para arranjar para ali mais umas estórias novas sobre o fora de jogo que ninguém percebeu. E o Marco Paulo não comenta mesmo arbitragens…

Mas este jogo contém também alguns ensinamentos.

O Belenenses apresentou-se como se apresenta a maioria das equipas que defrontam o Benfica, com uma boa organização defensiva que visa atrasar o golo, se possível até ao fim do jogo. O Benfica marcou bem cedo – num grande golo, mais um golo espectacular, de Gaitan; o Benfica não está a marcar muitos golos, mas os que marca valem por muitos –, mas o Belenenses não desarmou, com os jogadores a correr muito atrás da bola e dos adversários, mas sempre lá atrás, como se nada se tivesse passado. E o Benfica, achando que o mais difícil estava feito, foi jogando sem grandes pressas, criando uma oportunidade aqui outra ali, mas sem a intensidade que lhe permitisse matar o jogo. Depois, é o costume, no fim o adversário cresce um bocadinho e basta-lhe uma bola parada para estragar a festa.

O Belenenses não criou um único lance, mas bastou-lhe uma bola parada e um pontapé de ressaca, exactamente como em Barcelos, onde ficaram os últimos dois pontos, para fazer um golo. Mal anulado, como se viu!

Pois é, não se esqueçam: os jogos matam-se, só depois de gerem. Se não aproveitarem este ensinamento um dia destes … pode correr ma!

Pág. 3/3

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D