Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

03
Mai15

Há Sempre Alguém Que Resiste

helderrod

Acreditar! Trata-se de um verbo fundamental neste fenómeno futebolístico. É isso que o FC Porto deve fazer perante a forma desesperada como a generalidade dos media e dos comentadores têm procurado achincalhar a pessoa de Lopetegui. Volto a reiterar que à boleia do futebol se esteja aqui a gerar a ideia de que é porreiro vilipendiar um trabalhador estrangeiro, vulgo imigrante. A juventude não está a receber um bom exemplo. É preciso ter elevação. É preciso perceber que é possível criticar sem pôr em causa a idoneidade e a identidade de quem quer que seja. Lopetegui (LO-PE-TE-GUI para os mais pategos) foi capaz de estar 12 jogos sem perder na Champions, arrancando uma portentosa exibição contra o Bayern na primeira mão dos QUARTOS DE FINAL, perdeu por muitos em Munique, mas talvez se houvesse mais seriedade Neuer, Bernat e Boateng não jogariam na segunda mão; Badstuber entra de pés juntos a Quaresma ainda na primeira parte e leva apenas um amarelo quando deveria ser expulso. Ainda haveria uma segunda parte bem diferente em Munique. Lopetegui esteve no Mundial de 94 defendendo as cores espanholas; Lopetegui tem com a sua equipa deste ano a defesa menos batida dos últimos vinte anos de FCP (nada mau para quem segundo alguns não percebe nada de mística e de futebol português); Lopetegui está (apesar de todas as vezes em que o Benfica foi levado ao colo e o Porto ter sido prejudicado em Guimarães, no Estoril e até em Alvalade nos últimos minutos quando Maurício dá mão na grande área ante um remate de Jackson) apenas a três pontos de um Benfica enrascado, apesar de ter saído aprioristicamente da Europa e Taça de Portugal em casa com um Braga que deu a volta na Luz! Lopetegui merece inequivocamente ficar no Dragão porque foi capaz de bater o pé ao egocentrismo de um JJ provocador. A nomeação de Capela foi hilariante e, apesar dos cinco golos, aconselho vivamente a analisarem mais devagarinho a falta de Luisão (as coisas passam depressa na televisão quanto a esse lance). Assim foi também na Luz com a BTV em que Luisão põe a mão na cabeça, no ombro e na camisola de Jackson. Inclusivamente Rui Santos cometeu a proeza de dizer que Luisão "toca mas não puxa". Mas o mais interessante foi terem ignorado que Fejsa deveria ter sido expulso na Luz contra o Porto. Nem falaram. Enfim é o desespero....Já o Danilo foi impedido de jogar hoje em Setúbal apesar de nem falta ter feito na Luz. No programa Contragolpe, os senhores comentadores passam cerca de uma hora a atacar Lopetegui. Aliás, o programa deveria chamar-se Contralopetegui. Há lá um senhor de nome de Paramés que, apesar de se dizer do Braga, mais parece o Diabo de Gaia a palrar contra o FCP. Digo tudo isto porque nestes momentos ainda me apraz ser mais portista. É aqui que atesto a sua GRANDEZA efectiva. O Porto é o melhor clube português dos últimos trinta anos. A ansiedade de JJ que almeja ser bicampeão não é mais do que a proeza alcançada por Vítor Pereira. A potativa hegemonia do Benfica reduz-se à possibilidade de igualarem o feito do actual treinador do Olympiakos. O que devo dizer como conclusão neste post é que "há sempre alguém que resiste" e que, mesmo que não ganhemos o campeonato há algo que deve ficar registado para memória futura: CAMPEONATO FURTADO NÃO PODE SER HOMOLOGADO! Força, Porto! Hélder Rodrigues

02
Mai15

À campeão

Eduardo Louro

 

Gil Vicente vs Benfica

 

Com cinco golos de Capela, o Benfica arrumou com o primeiro dos quatro últimos jogos que o separavam do título... Não, temos pena sr (F)LOPetegui... Não foi assim, eu é que ainda estava com o balanço da sua miserável conversa da treta. Não foi assim porque esse tal Capela passou o tempo todo, por tudo e por nada - a maior parte das vezes por nada -, a assinalar faltas aos jogadores do Benfica, e não lhe sobrou tempo para mais nada.

Não foi com golos do Capela, mas foi com golos do Maxi. O primeiro aos quinze minutos - onde o finalmente reaparecido Sulejmani foi pouco menos que brilhante - e logo roubado ao Jonas, que alcançaria o Jackson na lista dos melhores marcadores. Mas não faz mal, Maxi. Só faz bem, porque os golos só fazem bem, mesmo o primeiro, que já fez tão mal. E o Jonas não é o Cristiano Ronaldo...

Até porque não foi preciso esperar muito mais de cinco minutos para chegar a sua vez. E que golo. Um golo à Jonas, já se pode dizer assim. Simplesmente fantástico, de primeira, como tinha de ser. Com a bola a ir direitinha ao sítio onde a coruja dorme. O golo do jogo, porque foi um grande golo, daqueles com marca... Porque deixou finalmente o Jonas no topo da tabela dos marcadores...Mas acima de tudo porque foi o segundo, que acabava com aquela mala pata do primeiro golo marcado cedo, que tão maus resultados tinha já dado. 

Mas nem assim, nem com o segundo golo os rapazes do Gil Vicente quebraram. Tinham as pilhas bem carregadas, percebia-se. Pena que as gastassem mais a fazer teatro que a jogar à bola. Compreende-se a ideia: os jogadores da casa terão tido ordem para acrescentar um espectáculo de teatro ao do futebol, como forma de justificarem o absurdo preço dos bilhetes. O dobro dos preços praticados na recepçâo ao Sporting e ao Porto, com o mais barato em 30 euros. Por isso os estádio não esgotou, por isso algumas clareiras... Porque nem todos os benfiquistas estão dispostos a pagar tanta distinção!

No reinício, logo no primeiro minuto da segunda parte, o capitão Luisão resolveu tudo com o terceiro, e pôs um pedregulho em cima do resultado, como diria aquele comentador que a gente conhece. 

O Gil Vicente desapareceu do jogo, entregou-se exclusivamente ao teatro e dexou espaços por onde o Benfica passou a entrar para fazer o que queria. Pintou a manta. Fez mais dois golos e só não fez muitos mais porque a bola passou a não entrar. E porque o Gaitan, depois de tanta pancada que levou, tinha sido obrigado a abandonar o jogo ainda na primeira parte. Ah... com aquele espaço todo, se lá estivesse lá o génio do argentino...

Tem sido sempre assim. Quando foi preciso aparecer o Benfica afirmativo, sem deixar dúvidas a ninguém, ele apareceu. Assim mesmo, á campeão. O resto é conversa da treta, como diria o Jorge Jesus...

 

01
Mai15

Não pode continuar a valer tudo!

Eduardo Louro

 

Não há volta a dar-lhe: o Porto não conhece outros métodos. Não consegue aceitar que as coisas se decidam dentro de campo, e não abdica dos velhos métodos.

Que depois dos jogos inventem favorecimentos, critiquem, pressionem ainda vá que não vá. Que antes dos jogos, antes que haja o que quer que seja para comentar, criticar ou inventar, façam o que o Sr Lopetegui anda a fazer é intolerável. O que esse senhor está a fazer com o nome do árbitro João Capela é inqualificável. Não deixa de ser um mau caracter que não sabe perder, mas é claro que está apenas uma vez mais a emprestar a voz. Só alguém sem a mínima dignidade pessoal se presta desta forma à miserável condição de voz do dono.

 Ninguém conseguirá perceber que o intolerável comportamento do treinador do Porto passe impune.

Se esta não é a República das bananas que Lopetegui quer fazer crer que é, se a Liga e a Federação têm alguma coisa a ver com a administração do futebol; ou se Fernando Gomes e Luís Duque não existem apenas para servir outros interesses que não os do futebol português, Lopetegui tem que ser clara e severamente punido.

Não vale tudo. Não pode continuar a valer tudo!

Como Luís Filipe Vieira não pode continuar em silêncio. Nenhum benfiquista lhe perdoará que perante isto continue calado… E entregue ao abraço do urso!

Pág. 3/3

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D