Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

14
Jan16

Se é para sofrer pelo Porto, vou já, mor!!!!!

helderrod

E assim se deu mais um passo nesta que é a prova rainha. Com menos mediatismo e espalhafato por razões óbvias, atinentes às ausências dos clubes da capital, hoje houve taça no Bessa. O Boavista e o senhor árbitro quiseram vender cara a derrota. Na verdade, ambas as equipas que jogaram contra o Porto nesta noite foram bastante competitivas. Cada uma delas sabia muito bem o que fazer, a saber: enquanto uns distribuíam molho, os outros deixavam passar a cacetada. Com uma impressionante dualidade de critérios o senhor árbitro permitiu imensas acções violentas dos jogadores axadrezados, enquanto que, quando o pachorrento Imbula meteu o pé, viu a sua paupérrima exibição ser premiada com vermelho directo? Vermelho directo, insisto! Esta ideia de que os pequenos são sempre prejudicados cai por terra. Há muitas situações nos últimos tempos que têm passado pelos pingos da chuva, sendo o caso mais flagrante a vergonhosa exibição da equipa de arbitragem no jogo Porto-Rio Ave que permitiu que passassem impunes pelo menos duas grandes penalidades favoráveis ao Porto. Este facto permitiu a perda de pontos que poderão ser muito importantes para o desfecho do campeonato. Tudo isso passa incólume nos programas de diversão desportiva de domingo e segundas à noite. Aliás, o Manuel Serrão que tanto criticou Lopetegui, não tem lugar nem na Benfica TV quanto mais na TVI. É um flopserrão que deixa passar tudo. Nem sequer teve a dignidade de trazer à colação um penalty existente em Alvalade aos 15 minutos (já depois do de Corona), quando Adrian dá mão na área após um remate de Brahimi. Convido-os a ver esse lance que nem sequer mereceu destaque nos jornais e programas televisivos, mas agora há uma linha que separa a cultura da ignorância com a possibilidade de rebobinar factos. Mas voltando ao jogo jogado. O Porto desta noite esteve um bocadinho aquém e, apesar das bolas no ferro, a equipa precisa de fazer mais e melhor na cidade berço. Com um Helton brilhante que foi capaz de se redimir de um erro clamoroso, defendendo um penalty, a equipa foi capaz de regressar às meias finais da competição, sem recorrer a horas extra pouco adequadas para um jogo à noite. Venha de lá esse galo! Finalmente, uma palavra para Julen Lopetegui cujo foi capaz de se despedir com elevação dos adeptos portistas e de todos os seus colaboradores. Caiu por terra a alegação instrumentalizada dos pasquins propagandísticos que falavam em renitência quanto ao encerramento do acordo. Foi uma saída com nível! Parabéns ao FCP e, se for para sofrer por ti, vou já, mor! Hélder Rodrigues

13
Jan16

Sem pressas

Eduardo Louro

 

Mantêm-se altas as expectaivas sobre o novo treinador do Porto, que  demorou uma semana para fazer as contas com Lopetegui, que não perdoou um cêntimo. Uma coisa se percebe: o Porto não tem pressa!

Até domingo não há pressa nenhuma. É apenas tempo de ir alimentando a short list dos candidatos, cada vez mais short e cada vez mais com o nome de Sérgio Conceição. Cada dia mais favorito. Até domingo, como é fácil de entender...      

11
Jan16

Como o filho pródigo...

Eduardo Louro

 

À segunda - e à segunda-feira, pela hora de almoço - lá foi. O jogo jogou-se, e muito bem, e o Benfica ganhou. E muito bem, mesmo com o golo oferecido daquela maneira a manchar um bocadinho uma grande exibição e mais um resultado gordo.

Foi uma boa decisão - pese embora as dificuldades que naturalmente trará ao Nacional para o jogo da Taça, na próxima quarta-feira, mas não podem ser prejudicados sempre os mesmos, que não têm nada a ver com o absurdo horário escolhido para o jogo  - a de continuar o jogo logo no dia seguinte, como já tinha sucedido com o Porto, exactamente nas mesmas condições. Com uma diferença: o árbitro não era Jorge de Sousa, o melhor árbitro português, que não vê os penaltis que todos vemos, mas vê outros, que mais ninguém vê. 

À margem disso, que não é nada marginal, porque apenas por esses problemas de visão do melhor árbitro português - por que é que o melhor àrbitro português é sempre assim? Porque se não for assim nunca será o melhor árbitro português ... - só nesses dois jogos, cada um dos adversários do Benfica na disputa do título arrecadou três pontos a mais, e das muitas incidências do jogo ficou, num terreno impraticável, mais uma promessa de que o melhor futebol de Portugal está a caminho de casa. Como o filho pródigo...

Se calhar é por isso que andam todos tão nervosos. Que a pressão sobre os árbitros, como ainda ontem se presenciou em Alvalade, com o sucesso que se viu, não abranda. E que a estratégia de bullying é para continuar sem ponta de dignidade nem espaço para a vergonha.

10
Jan16

Nevoeiro. Outra vez!

Eduardo Louro

Imagem relacionada

 

Depois de já ter perdido os três pontos que, inacreditavelmente, o Braga deixou fugir em Alvalade, o Benfica tinha obrigatoriamente que assegurar os outros três que tinha para disputar na Madeira: na Choupana, onde o nevoeiro é quem mais ordena. 

Não pôde, porque lá esteve  de novo o nevoeiro, pela segunda vez em dois meses, a a tornar de balde mais uma viagem do Benfica à pérola do Atlântico.  E lá volta o Benfica a ficar com um jogo a menos e pontos de atraso a mais... É tempo de dizer basta, os orgãos que dirigem o futebol nacional devem ter que fazer alguma coisa sobre a acreditação daquele campo para a competição profissional. Pelo menos durante o inverno...

 

10
Jan16

Barros Kasparov VS Jorge Sousa: o de Jesus!

helderrod

Consumada que está a saída de Julen Lopetegui, há que virar página e crer na mudança. Se, para uns "quem muda Deus ajuda"; para outros que perdem ao intervalo muda o Jorge ajudando o Jesus. Tudo espiritual, portanto. Na verdade, o FC Porto que se apresentou no tumultuoso Estádio do Bessa esteve mais pragmático do que o costume. Não foi um golpe de Midas do grande Rui Barros, mas um ajustamento que Luís Freitas Lobo soube ler de forma superior na transmissão do jogo, designadamente no facto de não se obrigar, nem André, nem Herrera a ter que vir construir jogo atrás. Este facto, permitiu que Danilo fizesse lembrar um pouco o Fernando que varria tudo (na boa acepção da palavra) à frente da defesa. Este pormenor permitiu ao FC Porto chegar à área com muito mais jogadores do que o costume. Chapeaux para Barros que soube montar com perícia o seu xadrez na noite chuvosa de Janeiro. Mas o futebol é isto. Enquanto no Dragão não se marcam penalties favoráveis ao visitado, já em Guimarães se favorece o visitante e em Alvalade se inventam coisas. Hoje não houve Tonel para resolver. A coisa estava complicada e, com a ajuda do video-árbitro que Bruno de Carvalho tanto apregoa com o seu amiguito Rui Santos, foi possível vislumbrar uma mão além do aquém. E assim se fazem os campeões (relatavam na Antena 1). Sinto-me tentado a concordar. A roubar assim se fazem os campeões da primeira volta. Estou a registar tudo desde o Arouca-Sporting! Por essas e por outras é que alguns saem do Porto sem quaisquer títulos, quando durante uma ano e meio são apenas claramente favorecidos num célebre e repetido até à exaustão penalty da Choupana... Por falar nisso. Já temos jogo na Madeira? Aqui jaz mais um caso a rever no turbulento campeonato nacional! Talvez um coberto não seria má ideia! Que dizes, Machado? Força, Porto! Hélder Rodrigues

08
Jan16

Uma homenagem à casa

Eduardo Louro

Não é habitual falar de nós, olhar cá para a casa, para este saco de gatos - como lhe chamei no arranque - já muito vazio. Mas desta vez justifica-se uma homenagem ao Dia de Clássico, na pessoa do Hélder Rodrigues (quem mais havia de ser?): defendeu com todo o entusiasmo, convicção e mesmo paixão, Lopetegui até ao limite. Quando não pôde mais, e o deixou cair, Lopetegui caiu.

Notável. Isto merece uns parabéns sinceros: parabéns, Hélder!

 

07
Jan16

Saiu-nos a Fava!!!!

helderrod

Em noite chuvosa de Reis, saiu a fava ao Porto. Num momento que era decisivo para não se afastarem do rival leonino, os dragões deixaram dois pontos no balneário. Nem com o apoio da claque que iniciou o jogo entoando o Hino do FCP, gerando um clima de consenso generalizado, a equipa foi capaz de encontrar soluções para ultrapassar uma verdadeira armada vinda de Vila do Conde. Após um primeiro golo que parecia anunciar uma festa bonita, eis que surge a fava num ressalto de bola que trai indelevelmente Iker Casillas. Esta equipa de Lopetegui personifica em toda a sua acepção a Lei de Murphy, ou seja quando tanto se pensa na desgraça e na maleita as coisas más acabam mesmo por acontecer. Para além de toda a carga negativa, junte-se-lhe um árbitro que se esquece de marcar penalties. Cai mais uma vez por terra a ideia de que os mais pequenos são mais beneficiados. Hoje o pequeno e encolhido Rio Ave foi beneficiado. No entanto, isso não explica tudo e parece-me que infelizmente a hora de Lopetegui chega ao fim. Não que ele tenha a totalidade da responsabilidade, mas efectivamente já não existem condições naquilo que é fundamental para uma equipa. Já não existe estabilidade emocional naquela osmose que se pretende salutar entre adeptos e a equipa. Quando as coisas chegam a este ponto, pouco mais há a fazer. São três jogos sem vitórias e penso que chega (lamento, porque sempre defendi a estabilidade), mas a margem de erro chega hoje ao fim. Venha de lá essa estrela que nos guie para novos caminhos. Que nos leve mais pelas alas sem a convergência pelo miolo! Força, Porto! Hélder Rodrigues!

06
Jan16

À meia dúzia

Eduardo Louro

 

Chegou a assobiar-se na Luz. Ainda a primeira parte não ia a meio, e já a plateia benfiquista assobiava aquele jogo pastoso, sem velocidade e sem chama, que invariavelmente toma conta da equipa. De repente tudo mudou: três golos em apenas seis minutos, obra das duas mais caras contratações de sempre. Finalmente a renderem!

A partir daí o Benfica fez praticamente o que quis de um Marítimo atordoado, que não mais atinou com o jogo. Ficou-se pela meia dúzia, repetindo a maior goleada do campeonato, estabelecida no jogo com o Belenenses, e poderia ter ido muito mais além. Mas, mesmo assim, e ao fim e ao cabo, o resultado é ainda melhor que a exibição. Posso até estar a ser injusto mas, a mim, não me deslumbrou.

E não gostei mesmo nada do individualismo que na parte final do jogo se apossou dos jogadores. Com tudo a correr pelo melhor, o melhor seria mesmo que os jogadores conseguissem afinar a dinâmica colectiva da equipa, longe de navegar nas melhores águas.

Parece que em Setúbal também houve quem experimentasse a meia dúzia. Espero que não lhe tomem o gosto. Isso é mais andança de Ferrari!

 

04
Jan16

"Lopetegui será um espirro na História do futebol português", disse Hugo Gilberto na RTP 3

helderrod

 Chega! Basta!

Haja respeito pela pessoa! Jamais um jornalista se pode dar ao luxo de profetizar o destino de alguma pessoa, à guisa das audiências ou seja lá do que for!

Um jornalista deve numa perspectiva deontológica limitar-se a transmitir factos, evitando as opiniões que emitem juizos de valor.

Não me recordo de ter visto nenhum treinador ser tão maltratado como Lopetegui em Portugal. A pessoa Lopetegui tem família e filhos. A questão ultrapassou todos os limites do aceitável à boleia do futebol. Somos um país de emigrantes e parece-me perigoso enxovalhar assim todos os dias um indivíduo como o Basco, o Espanhol ou mesmo trocar-lhe as sílabas do seu nome. É péssimo o exemplo que se transmite para os mais jovens. É isto que queremos? É isto, Hilberto Jugo?

Já nas conferências de imprensa de Julen Lopetegui a Antena 1 faz uma vergonhosa tradução simultânea, sobrepondo-se à sua voz, como se de um chinês se tratasse. Sinceramente não me recordo que tenham procedido de igual forma com Camacho, Quique Flores ou Trapatoni...é lamentável.

No Trio de Ataque de 3 de Janeiro de 2015 foi-se longe demais. É por isso que eu gostava mesmo que esse putativo espirro se tornasse Campeão Nacional. É por isso que este campeonato poderá ser ainda mais saboroso, porque desta feita muitos mais teriam que se ajoelhar perante a ridícula conduta.

Ainda neste programa em troca de 0,60 cêntimos mais IVA já se perguntava pelo substituto de Julen Lopetegui, quando este não se demitiu. É uma tremenda falta de respeito pela pessoa (repito) e pela Instituição que a mesma representa.

Se estivesse no lugar de Miguel Guedes, levantar-me-ia e sairia do programa. 

Aliás, o comentador equivocou-se alegando que Lopetegui se referiu ao Porto como  OPORTO. Com efeito, o treinador do FC Porto tentou pronunciar com o seu sotaque o artigo definido português "O" que soou a "ó". Nervoso, Lopetegui quis claramente dizer o Porto e não OPORTO.

 

Já dizia o poeta que mais vale ficarmos em silêncio do que sermos vítimas das nossas palavras e o português de Gondomar Hugo Gilberto foi longe demais.

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

 

03
Jan16

Isto ainda não acabou.(PONTO)

helderrod

 

A jornada de hoje foi duplamente penalizadora para o FCP! A noite já começara mal com tamanha XISTRAlhada que empurrou claramente o SLB para a vitória e veio acabar pior com a derrota sem contestação ante um poderoso Sporting. Na primeira parte, justiça lhes seja feita, pudemos constatar que o FC Porto não quis entrar encolhido na partida e foi equilibrando as forças até surgir o primeiro golo leonino. 

Contudo, o meio campo foi perdendo consistência e o Rui Patrício não foi nada Inácio nas suas intervenções frente a Aboubakar. 

Na segunda parte, apesar de ter sempre tentado e não virando a cara à luta, o FC Porto acabou por ser controlado pela melhor equipa em campo. O Sporting mereceu a vitória nesta batalha, mas veremos quem vencerá a guerra.

Nada está perdido! Há muito campeonato pela frente e, com mais ou menos lenços nas próximas jornadas, a equipa não deve baixar os braços perante a contestação que se avizinha. 

O Porto deve continuar a seguir o seu caminho, porque há imensos pontos em disputa e basta um simples empate do adversário para regressarmos para o topo do campeonato. Haja para isso mais seriedade nas vicissitudes do apito e das trapalhadas.

Prometo que brevemente postarei aqui a falta de Matheus a Corona na área do Sporting, caso a comunicação social faça o favor de abafar o lance tal como o fez a Sporttv.

 

Há que acreditar, porque o caminho ainda é longo.

Isto ainda não acabou PONTO!

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D