Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

29
Nov18

Pântano

Eduardo Louro

Resultado de imagem para pântano kuis filipe vieira benfica

 

Demitido, e readmitido num par de horas, Rui Vitória é o rosto de Luís Filipe Vieira no pântano que criou na Luz, e onde enfiou o Benfica. Um pântano fatal, donde ninguém sai com vida. Um pântano de interesses e mentiras, onde tudo conta menos o próprio Benfica.  

Neste momento não resta a Luís Filipe Vieira outra saída que não seja apresentar a sua própria demissão. Noutro caso, ficam os benfiquistas obrigados a impor-lha!

28
Nov18

ELE, NÃO!

Eduardo Louro

Resultado de imagem para jorge jesus

 

Ele, não!

Não, porque não tem, nem nunca teve estatuto comportamental para ser o treinador do Benfica.

Não, porque saiu por não encaixar no modelo do Benfica.

Não, porque não conseguiu passar para o Sporting sem trair o Benfica.

Não, porque foi aliado activo de Bruno de Carvalho nos mais vis ataques ao Benfica.

Não, porque não é um ganhador. Apenas ganhou no Benfica, com os maiores investimentos de sempre e, mesmo assim, perdendo para dois treinadores acabados de chegar.

Não, porque os benfiquistas têm memória.

Não, porque os benfiquistas prezam a honra.

Não, porque os benfiquistas não o querem de volta.

Não, porque o Benfica precisa, mais do que nunca, de estar unido.

Não! Ele não. Ele divide irremediavelmente o Benfica. Ele é, com o Benfica à beira do abismo, o empurrão final!

27
Nov18

A estratégia de Rui Vitória

Eduardo Louro

 Resultado de imagem para estrategia futebol

 

Ainda em Munique, Rui Vitória repetiu até à exaustão que tinha faltado operacionalizar a estratégia. Que a estratégia para o jogo era correcta mas que os jogadores tinham falhado na sua implementação.

Questionado sobre essa tal estratégia, disse que se tratava de defender bem, com agressividade, e pensar rápido para sair em velocidade para o ataque.

O que eu gostaria de ter ouvido, e que ouço de outros treinadores,  era Rui Vitória simplesmente dizer que a estratégia seguida foi a que tinha sido trabalhada para o jogo. E isso nunca ouvimos a Rui Vitória.

Não lhe ouvimos falar de trabalho de preparação do jogo, e a verdade é que chegamos aos jogos e não vemos nada que pareça trabalhado e treinado. É capaz de ser por isso que, depois, a  equipa falha na implementação da estratégia.

 

27
Nov18

Catástrofe em Munique

Eduardo Louro

Resultado de imagem para rui vitória

 

Rui Vitória não é apenas boa pessoa e bom chefe de família. É também solidário como ninguém.

O treinador do Bayern estava de malas aviadas. O aviso tinha sido claro, se não ganhasse hoje ao Benfica, tinha o dedo de Hoeness a apontar-lhe a porta de saída. Ora, Rui Vitória não é homem para ver um colega em perigo sem lhe dar a mão. É mais dado a "abono dos pobres" ... e até dos ricos. Porque ele quer é fazer o bem, sem olhar a quem.

Rui Vitória tem é de ser bombeiro, é aí que realiza toda a sua dimensão humanista, é aí que projecta todas as suas nobres qualidades. Treinador de futebol é que não. Não nasceu para esta vida.

Hoje, em Munique, aconteceu simplesmente mais uma noite de terror. Mais uma jornada de destruição do nome, do prestígio e do património do Benfica. Uma catástrofe...

 

23
Nov18

Sem retorno

Eduardo Louro

Resultado de imagem para benfica arouca 2018

 

Não tem explicação a forma sofrida, confrangedora e medíocre como o Benfica, na Luz com um quarto de casa, conseguiu eliminar, da Taça de Portugal, o Arouca - nos últimos lugares na tabela classificativa da segunda divisão - no último dos cinco minutos de compensação.

Nada no Benfica tem explicação. Se tivesse, alguém teria de explicar as contratações para esta época. Porque, ou não tinham a mínima qualidade para jogar no Benfica - já nem se fala em acrescentar valor à fraca equipa da época passada - ou, se a tinham, o Rui Vitória transformou-se numa máquina de destruição de valor.

Como nada tem explicação, temos que admitir o pior dos dois mundos: a famosa estrutura, a tal que vai dez anos à frente, soube gastar dinheiro mas não soube contratar jogadores; e Rui Vitória fez o resto, dando cabo deles.

Chegou a pensar-se que Jorge Jesus poderia esta semana ter voltado a dar uma ajuda a Rui Vitória, como acontecera na sua primeira época, em 2015. A entrevista do antigo e futuro - lagarto, lagarto, lagarto... - treinador do Benfica poderia ter o mesmo efeito que tinham tido as suas declarações na altura. Então serviram para unir toda a gente à volta do treinador, empurrando sensacionalmente a equipa para o tri. 

Sabia-se que Rui Vitória há muito que está esgotado, agora percebe-se que é um esgotamento irreversível, nem já Jorge Jesus o consegue recuperar. 

O processo de destruição que Rui Vitória tem em curso no Benfica tem que ser travado de imediato. É por demais evidente que não tem retorno!

Os jogadores não sabem o que fazer em campo, juntam-se aos montes sem saber nem por nem para onde correr. Não há sequer equipa, e por isso nem se pode dizer que a equipa não sabe defender nem atacar. Pode apenas dizer-se que os jogadores não sabem defender nem atacar.

Os erros, sempre os mesmos, estão a repetir-se em todos os jogos. O que quer dizer que o treinador não os sabe corrigir, já que nem se pode acreditar que não os consiga identificar, mesmo que só isso se possa concluir das suas declarações no final da cada jogo.

Os lances de bola parada, decisivos e uma espécie de último recurso quando o futebol corrido não sai bem, são uma coisa confrangedora. Sempre a mesma coisa, e a mais básica. Nada que revele treino, nada preparado, a pura rotina do "vira o disco e toca a mesma".

Não é que o Benfica não tenha treinador. Tem é um treinador esgotado, de cabeça perdida, e em quem ninguém confia. A começar nos jogadores e acabar nele próprio!

Luís Filipe Vieira, ocupadíssimo a contratar advogados e a tentar salvar a pele, ainda não teve tempo nem preocupação para perceber isso. Quanto mais para dar explicações...

 

20
Nov18

Tourada à moda do Porto

Dylan

pinto-da-costa-SLB.jpg

 

Como é hábito, o discurso de Pinto da Costa para assinalar os 15 anos do Estádio do Dragão serviram para investir contra o Benfica e o Governo. É o cornetim do costume, falou dos "tempos do fascismo" e pensei que estava a referir-se à época da construção do antigo estádio, quando foi erguido com a ajuda do Estado Novo. Depois, falou de "clubes que gastam fortunas em advogados porque precisam", como se o dinheiro pago fosse proveniente do seu chorudo ordenado. Por fim, criticou o facto dos seus impostos servirem para financiar touradas e lembrei-me daquela faena promovida pela Câmara de Gaia que delapidou milhões do erário público para construir um complexo desportivo,  alugando-o por uma bagatela ao clube que preside. Já estamos fartos desta tourada à moda do Porto televisionada no falido canal do clube, onde cavaleiros manipuladores incitam os adeptos e misturam política com futebol, numa arena de ódio. É por causa destes rabejadores e seus peões que o IVA da tauromaquia vai ser mais baixo do que o do futebol!

16
Nov18

Não dá para perceber!

Eduardo Louro

Capa Jornal A Bola

 

A campanha em curso para trazer Jorge Jesus de volta ao Benfica é vergonhosa, e absolutamente inaceitável.

Que "a Bola" se presta a estes fretes, estamos fartos de saber. Que leve concretamente este tão peito é que não estavamos a contar. No seu canal de televisão não fez outra coisa durante toda a semana; hoje culminou numa entrevista de sete páginas. Sete!

Sete páginas a lavar o cérebro aos benfiquistas. Sete páginas a branquear os últimos  anos Jorge Jesus.

Percebe-se o interesse de Jorge Jesus. E percebe-se que foi Luís Filipe Vieira que abriu esta porta e estendeu esta passadeira. Não se percebe mais nada. Porque isto não dá para perceber!

14
Nov18

Os homens do presidente

Dylan

brunoide.png

Agora que Bruno de Carvalho caiu em desgraça, convém lembrar quem foram os "homens do presidente", aqueles que se fingem surpreendidos com a sua detenção mas no passado o colocaram num pedestal e agora o rebaixam. Aqueles sócios que lhe deram a vitória esmagadora, em Março de 2017, para o seu segundo mandato, e os outros que o legitimaram, naquela surreal Assembleia Geral de Fevereiro último, depois do ex-presidente ter instado os sportinguistas a não lerem jornais desportivos e a não verem canais de televisão portuguesa. Lembremo-nos também daquelas figuras travestidas de advogados de defesa, ex-treinadores que passaram a directores do futebol, ex-jogadores do clube que passaram a comentadores televisivos, jornalistas que venderam  a alma ao Diabo e passaram a directores de comunicação, juristas, médicos cirurgiões e, imagine-se, profissionais da comunicação social que nestes últimos cinco anos foram uns autênticos "homens do presidente".

12
Nov18

Fica o esclarecimento

Daniel João Santos

Ali em baixo, nos comentários, um desconhecido não reparou que este é um blogue colectivo. Cada um dos autores deste espaço tem as suas próprias ideias, mesmo sendo todos nós benfiquistas,  não tendo assim todos a mesma posição relativa a Rui Vitoria e a Vieira.

Vou então reforçar a minha posição: O senhor Rui ainda não foi embora?

Sim, porque não é com esta vitória frente ao Tondela que o treinador do nosso Benfica limpa os jogos anteriores. Deste as opções dos jogadores até ao pontapé para a frente, ali poucas coisas funcionam. Safa o talento de grande parte dos jogadores que vão levando o barco.

E já agora, não é pelo facto de ter feito duas assistências que torna o André Almeida um defesa direito para o Benfica.

11
Nov18

O diabo não está sempre atrás da porta. Mas os fantasmas não saem de lá!

Eduardo Louro

 

Para o Benfica este jogo de hoje em Tondela era de tudo ou nada, absolutamente decisivo para o seu futuro neste campeonato, com tudo o que isso pesava no actual estado mental da equipa.

Os primeiros dados não eram nada animadores: chuva intensa e relvado alagado, não deixavam as melhores perpectivas para o jogo, e o apito inicial piorava-as. O tondela atirou-se ao Benfica que nem gatos a bofes, e chegou ao golo de imediato. O golo mais rápido desta Liga!

Pior. O Grimaldo foi batido que nem um principiante e foi Conti a marcar na própria baliza. Dois jogadores da defesa logo em cheque, E que jogadores... O que estava no ponto mira dos adeptos, pelas suas declarações no final do último jogo, com o Ajax; e o entra e sai, o regressado Conti, agora pela expulsão de Jardel. Cuja última imagem era a da sua participação no golo em Amsterdão.

Os jogadores do Tondela sentiam que era o momento de deixar o adversário KO, e não deixavam sair os do Benfica do seu meio campo. Valeu que Conti imitou Amsterdão, invetendo agora a ordem, e tirou da baliza o que já era o segundo. E valeu que aconteceu o que não tem sido habitual e, aos 9 minutos, na primeira vez que conseguiu chegar à área adversária, o Benfica chegou ao empate, por Jonas, a revelar uma eficácia que não mais voltaria a confirmar.

Não deu para perceber se o golo catapultaria a equipa para o ataque, à procura do segundo. Se isso passou pela cabeça dos jogadores não teve tempo de lá permanecer, porque os imbecis das tochas trataram de interromper o jogo, dando tempo ao adversário para se recompor do golpe. Tão difícil de perceber como é que estes imbecis continuam com portas abertas nos campos de futebol, é perceber como continuam a deixar entrar aqueles artifícios.

Aos poucos o Benfica começou a superiorizar-se mas, aí, regressou a falta de esclarecimento, e de categoria, na finalização, com especial relevo para o inevitável Rafa. Mas também Pizi, Cervi e Jonas.

Na segunda parte a equipa entrou melhor, e até o futebol passou a ser outro. Ao contrário do jogo directo da primeira parte, o Benfica passou a apresentar um futebol mais ligado, mais perto do padrão da equipa. O latreral direito do Tondela, para aí à décima falta, viu finalmente o cartão amarelo. E dois minutos depois, à décima segunda, cerca dos 10 minutos da segunda parte, o vermelho. E o Tondela passou a jogar com dez.

Mesmo assim, se se tivesse repetido o que aconteceu nos dois jogos anteriores, com o Belenses e com o Moreirense, e o Tondela tivesse marcado nas duas ocasiões de que dispôs, dificilmente o Benfica conseguiria fugir à sua triste sina. Nem sempre o diabo está atrás da porta...

A reviravolta chegou com o golo de Seferovic, entrado pouco antes, para o lugar de Cervi. E de novo tochas... Valeu o VAR para que as tochas não voltassem a aparecer no terceiro, que Rafa nem festejou, julgando-se em fora de jogo. Quando surgiu a confirmação da legalidade do terceiro já não era a mesma coisa...

A exibição não afastou fantasmas, o processo defensivo e a finalização continuam a fazer arrepiar os adeptos. Mas vêm aí duas semanas de interregno, que poderão fazer bem Rui Vitória...

Entretanto, em Alvalade mais do que um jogo de futebol, acontecem escândalos e(m) cadeia. Lá dentro, e lá fora ... Mas só os que estão lá fora é que vão dentro!

Pág. 1/2

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D