Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

16
Abr18

Enxurrada de Abril

Dylan

enxur.jpeg

O possível pentacampeonato do Benfica acabou por perder-se nas enxurradas de Abril. Depois do início de época desastroso, de mau planeamento desportivo por parte da Direcção -  que fez com que a equipa estivesse dependente do rendimento de um jogador com 34 anos - e de más opções técnicas, ainda assistimos ao vergonhoso pacto entre os directores de comunicação de FC Porto e Sporting, onde um beneficia das sobras que o outro deixar.  De seguida, correspondência electrónica do Benfica é roubada, deturpada e publicada fora do contexto. Pelo meio, o centro de treinos de árbitros, na Maia, é invadido e os juízes ameaçados e coagidos. Só um clube muito grande podia resistir a tanto ódio e estar a 5 jornadas do fim na frente do campeonato, só um clube como o Benfica é que terá forças para regressar à ribalta ainda mais forte, com sócios e adeptos que o conseguem erguer nas horas mais difíceis. 

18
Fev18

Golpe de estádio

Dylan

cepo.jpg

Primeiro, a chantagem de que ameaçava demitir-se se os estatutos do clube e regulamento disciplinar não fossem aprovados, depois, a transformação da Assembleia-Geral num lavadouro público, enxaguando roupa suja, visando antigos dirigentes, antigos treinadores e sócios. No fim, Bruno de Carvalho saiu vencedor, tinha conseguido implantar uma ditadura moderna através de um golpe de estado no reino de Alvalade. O caudilho é assim, julga-se o salvador leonino e permite uma certa oposição, desde que controlada. Não existe melhor propaganda e manipulação colectiva do que censurar jornais, televisões, rádios e plataformas digitais, aquele totalitarismo que visa condicionar aspectos de vida e comportamentos dos cidadãos. Nem falta a polícia política: os adeptos incentivados pelo ódio que insultam e intimidam jornalistas. Será que a democracia portuguesa não pode acusar criminalmente estes irresponsáveis que estragam o desporto?      

06
Ago17

Kaput!

helderrod

Aos meus leitores neste blogue:

 

Este é o meu último post no Dia de Clássico.

Não vou perder mais tempo a escrever sobre este futebol. Sobre esta pouca vergonha instituída. Para mim chega.

Para quando um título impoluto?

Escrever sobre este futebol inquinado e adulterado é uma perda de tempo.

Ganhar desta forma desenxabida e insípida deve ser extremamente frustrante.

Tenham vergonha.

 

 

 

 

 

Época Nova, o Roubo do Costume. 

 

 

 

As minhas desculpas ao criador do Dia de Clássico que foi sempre educado e cordial com a minha pessoa.

Muita saúde a todos.

16
Jun17

Eles escolheram a desonra e terão a guerra

Dylan

Winston Churchill Depression (1).PNG

Na minha ingenuidade sempre pensei que o Benfica tivesse rivais, nunca inimigos, mas olhando para a última polémica do futebol português onde um clube coscuvilheiro acedeu ou mandou aceder indevidamente ao sistema informático dos lisboetas, fiquei sem dúvidas. O "chico esperto" desportivamente ressabiado que teve a brilhante ideia de guerrear contra um exército de seis milhões especula, difama e usa o mediatismo e a Santa Aliança para lançar suspeições e linchamentos públicos. Parafraseando Churchill, "entre a desonra e a guerra eles escolheram a desonra e terão a guerra". Já tinha sido assim no "Apito Dourado" onde a turma dos piratas informáticos perdeu seis pontos por corrupção tentada e não recorreu, preferindo a desonra, já é genético.

24
Abr17

Hooligans à portuguesa

Dylan

haters.jpg

Alguém disse que o futebol é a coisa mais importante entre as coisas menos importantes das nossas vidas. Infelizmente pouca gente percebe isso, de modo que aconselhava todos os que não percebem a fazerem uma espécie de período de nojo e  reflectirem sobre o que estão a fazer não só ao futebol mas ao desporto em geral. Para esses gabinetes de comunicação que são autênticas madraças de fundamentalismo desportivo, para os presidentes de clubes que denigrem a imagem da sua própria sociedade desportiva, para os profissionais de comunicação social que não despem a camisola, para os chefes de família que vêm descarregar as suas frustrações nas redes sociais, para os desocupados que andam a ameaçar árbitros e para os comentadores televisivos que não são mais do que instigadores de ódio, mudem a vossa conduta ou serão tratados como hooligans à portuguesa e aí as autoridades nacionais terão que chamar as britânicas, habituadas a tratar do holiganismo e a arruaça virtual. 

23
Fev16

Macacos à solta

Dylan

macaco 02.jpg

 

Sei que isto nem devia ser notícia, sei que isto acontece em todos os clubes de futebol, mas repugna-me o facto de certos indivíduos conotados com as respectivas claques e que vivem à custa do erário público, andem a intimidar pessoas e agentes desportivos. Macacos à solta que não sabem ocupar o seu galho, sem ocupação conhecida, especialistas na arte de coagir, penetras do pontapé na bola que se dizem legalizados mas deveriam ser criminalizados, que se pavoneiam junto de figuras públicas gozando de total impunidade. Procura-se alguém com coragem que mande pentear estes macacos e torne o ar desportivo em Portugal mais respirável.

 

24
Jul15

Os loucos do futebol

Dylan

iker-casillas.jpg

Causaram uma certa celeuma as declarações de José Mourinho e de outras pessoas sobre os gastos excessivos no recente mercado de transferência de jogadores de futebol, em Portugal. Basicamente foi descoberto um veio de petróleo no eixo Alvalade/Antas, e se outras equipas fizeram o mesmo, no passado, fico espantado com o desprezo e o fanatismo a que votaram o outrora "melhor do mundo", como se ele tivesse proferido uma heresia. A pele dos loucos do futebol é muito sensível, facilmente cria irritação e pruridos em pessoas que não enxergam a realidade: passivos brutais, um mercado insustentável dominado por meia dúzia de empresas, pelos mesmos que impulsionaram a construção daqueles elefantes brancos chamados estádios, por ocasião do Euro 2004, que ainda hoje arruínam câmaras e o erário público. 

 

12
Fev15

Irmãos desavindos

Dylan

cosme.png

 

Eu sei que nunca serão os tempos de Cosme Damião e Francisco Stromp, dos irmãos que raramente estavam desavindos, eu sei que talvez nunca haverá homens apaziguadores como Borges Coutinho e João Rocha, mas a atitude do actual presidente do Sporting em cortar relações institucionais com o Benfica é triste e tacanha, tudo porque os encarnados não condenaram as atitudes dos seus adeptos, faixas e cânticos insultuosos aquando de jogos entre as duas equipas. Suponho que para este senhor as faixas verdes têm mais bom gosto, os cânticos e as atitudes dos seus adeptos são mais poéticos e elegantes, isto para alguém que recentemente mostrou a sua classe ao considerar o futebol português como  um "ânus mal cheiroso", que esteve por um triz de despedir o treinador através de uma inédita "justa causa" e que interpôs acções judiciais contra a antiga administração do clube. Persiga-se os hooligans, todos aqueles que destroem o desporto, de norte a sul do país, e outros que vêem de forma encapotada cultivando a semente do ódio.

 
27
Jun14

Ricos e vaidosos

Dylan

 

 

A Seleção nacional veio embora do Brasil para desespero das "ronaldetes" da nossa praça. Para aqueles que repararam no mau planeamento do Mundial, nos locais de estágio, nos convocados, num grupo envelhecido, com naturalizados por interesse, de vedetas com protuberâncias pilosas e de estranhos penteados, só podia dar nisto. Junte-se a isso uma Federação burguesa, acomodada, alimentada por ricos patrocinadores, uma comunicação social histérica e empresários de futebol interesseiros que minam o trabalho do treinador. Perguntem ao jogador vaidoso - pois um dia disseram-lhe que "era o melhor do mundo" e desde aí o seu ego inchou para o tamanho deste planeta -, a razão deste fracasso. 

20
Mai14

Tripleto

Dylan

 

Podiam ter sido quatro títulos mas foram "apenas" três, ainda assim, e parafraseando um grande benfiquista, "é bem melhor do que falecer". O Benfica foi das equipas que mais jogos efectuou no velho continente, entre lesões, castigos, erros de arbitragem que o puseram a jogar com dez, e apesar da trágica morte de dois dos seus símbolos, sobreviveu e triunfou. Há clubes assim, gigantescos, maiores do que o próprio país e que não sentem a erosão dos tempos nem a maldizente inveja pois têm os melhores adeptos do mundo. O tripleto: da união, da reciclagem de um treinador e da obstinação de um presidente.

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D