Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

06
Nov13

Liderar até aos Cem Anos

joshua

Ora aí está uma excelente notícia para nós, adeptos do FC Porto: a vontade de viver e de liderar em Pinto da Costa. Até aos cem anos, diz ele jocoso. O amor à vida no sentido da sua preservação e o sentido fino de serviço prestado a um colectivo grato são sempre bem-vindos em quem já prestou provas e manifestou a imensa categoria no mister e negócio Futebol. O mundo globalizado, pelo contrário, está mais apostado em matar-nos por interpostos governos e passadas desgovernanças. Não se pode aspirar à longevidade num tempo em que só os prazeres possíveis nos são a única âncora na grande refrega individual pela estrita sobrevivência.

10
Jun13

A tese Rui Santos, a antítese extra e a síntese conspirativa

helderrod

Como portista que sou, não quero deixar passar de novo a constante afronta que Rui Santos espoleta perante o meu clube. No blogue anterior, dizia que quem desconfia não é de confiar e não me parece que este Arauto da Desconfiança chamado Rui Santos se possa apresentar como um profissional de confiança.

A questão é simples: não basta estar durante cerca de 90 minutos a debitar num monólogo envolto de vaidade constantes provocações à ideoneidade da Instituição F.C.P, designadamente à pessoa de Pinto da Costa. Há aqui algo que precisa de ser esclarecido:

 

Ponto Um - Quem paga a este jornalista para estar tantos minutos a atacar Pinto da Costa (nome que profere mais de 50 vezes por programa)?

 

Ponto Dois - Com que intenção existe esta permanente convergência especulativa, em que a tese primordial é a de tentar beliscar o bom nome do meu Porto?

 

Ponto Três - Quem sustenta juridicamente este senhor que se põe a jeito perante tamanhas acusações, as quais considero muito graves?

 

 

A dada altura no programa, Rui Santos põe em causa a subserviência do Sporting ante o Porto. Aqui questiono: foi essa subserviência que constituiu a famosa arbitragem de Capela na Luz?

 

Acho que está na altura de EXIGIR A ESTE SENHOR QUE PROVE TODAS AS TEORIAS CONSPIRATIVAS E GRAVEMENTE ACUSATÓRIAS. Espero que este meu post desencadeie aqui uma acção irrepreensível que vise a exigência da prova e, naturalmente, ao direito à resposta que não existe neste programa. 

 

Rui Santos tem que provar a teoria do abraço de Paulo Fonseca a Vitor Pereira, bem como o facto do Paços vir jogar ao Dragão a pré-eliminatória da Liga dos Campeões. O que quer ele dizer com isto? Prove lá, se for sério!

 

Há que pôr um ponto final nesta campanha hedionda contra o claro e inequívoco.

Deixo aqui o meu desafio ao senhor Rui Santos. Prove ou cale-se para sempre! Caso não o faça irá manter o estatuto da sua incompetência coberta pela Sic Notícias!

 

 

Hélder Rodrigues

06
Jun13

Desceu o pano

Eduardo Louro
30
Mai13

Uns e outros

joaopaulo74

Há uma equipa em que o treinador acaba contrato. O Presidente nada diz, e só o empresário do Mister falou.

Há outra equipa em que o treinador acaba contrato. O Presidente falou e nada mais aconteceu.

Num caso a Comunicação social fala, escreve, comenta, especula.

No outro, nada.

Depois, ainda se queixam de serem uns coitadinhos e tal, muito mal tratados pela imprensa...

28
Mai13

Não há condições...

Eduardo Louro

Jorge Jesus irá ocupar por estes dias o centro do debate destas coisas da bola.

Parece-me que o povo benfiquista é hoje, ao contrário de há dois dias atrás, maioritariamente pela saída do treinador. Não sei se o mesmo se passará na opinião publica(da) benfiquista, onde muita gente continua fiel a Jesus.

Não é esse o meu caso, como já manifestei. E não vou, nem repetir argumentos que já utilizei, nem aduzir muitos outros que ainda não apresentei. Vou antes deter-me sobre os argumentos que poderão pesar na sua continuidade.

Diz-se que o Benfica nunca facturou como com Jesus. Que nunca jogou um futebol tão atractivo. Que atingiu um patamar, nacional e internacionalmente, donde há muito estava afastado. Que valoriza jogadores como nunca se viu na Luz.

Tudo isso são verdades. Que não sendo escamoteáveis, cabem – quase todas - na grande questão das atribuições do treinador e da estrutura do negócio do futebol. Se tudo se deve a Jesus. Se o Benfica nada fez por isso, se Luís Filipe Vieira não só pactuou com o afastamento de Rui Costa, como assinou por baixo a entrega de toda a estratégia e de toda a operação do negócio a Jorge Jesus.

Pelo que é possível perceber, fica a ideia de que assim foi. Que LFV entregou tudo nas mãos do treinador que, saindo, tudo levará. Porque não se percebe - pela comunicação, verdadeiramente desastrada, pela (falta de) interacção com a equipa B, pela gestão de jogadores, com evidente tratamento diferenciado entre os contratados pelo treinador e os outros, que já estavam, de formação ou não - uma estrutura homogénea e coesa a funcionar em perfeita harmonia.

Só que Jorge Jesus partiu a corda da confiança que o ligava aos adeptos e, bem pior, a que o ligava ao balneário. A confiança dos adeptos poderia até ser recuperável, sabe-se como é curta a distância de besta a bestial: bastaria iniciar bem a próxima época. Mas, sem a confiança do balneário, perdido como é claro que está o balneário, isso é uma utopia…

Jesus não tem condições de ficar na Luz, como – creio – toda a gente percebe. Só que isso – é esse o drama - lança-o para os braços de Pinto da Costa, que esperou meticulosamente por este momento. Um momento de supremo de gozo! De tanto gozo que acabará por lhe turvar a racionalidade e a clarividência…

Que Jesus continue no Benfica, sem quaisquer condições de êxito, mas apenas para evitar isto, é que não faz sentido!

18
Mai13

Carta Aberta aos Jogadores do FCP

helderrod

Caros Atletas,

 

Volvidos infindáveis minutos, incontáveis remates à baliza, notáveis defesas e acima de tudo o orgulho permanente em vestirem essa camisola, chegou a hora. Chegou a hora de provar ao país e ao Mundo de que, mais do que as palavras são os actos que contam. Mais do que parecê-lo é preciso sê-lo! É exactamente isso que nos somos: uma equipa plena de ambições, de conquistas, de muitas glórias, mas acima de tudo uma equipa humilde. Um conjunto de jogadores que só festeja quando a vitória é inquivocamente nossa, sem "ses" ou "talvez", sem a histeria dos que tanto querem e nada alcançam. Este é o meu Porto. O Porto que nasceu comigo em 1978 (campeão após anos de espera). Foi preciso saber esperar, saber sofrer e saber ganhar. Isso poderá ser o resumo do jogo de amanhã, com a certeza de que tudo irão fazer para trazer para o nosso reduto mais um título fabuloso e transformar a utopia que muitos nos quiseram impor na realidade da grandeza de se vestir azul e branco campeão. Nós somos a tua voz e, por vós, já perdi a minha voz muitas vezes. Em 87, gritei muitas vezes e passei o resto do ano a marcar golos de calcanhar, fiz a minha primeira noitada para vos ver na neve a serem Campeões do Mundo! E assim cresci junto de vós. Porque vós sois uma lição de vida: a lição de que quando muito se quer, mesmo que poucos acreditem, estamos sempre lá para vencermos! Orgulho-me muito de todos vós, desde o roupeiro ao Presidente, porque sei que todos pugnam pela minha felicidade! Tenho duas filhas lindas e ambas já vos têm no coração, acima de tudo, por saberem que vós sois a razão de muitas alegrias.

Por isso, muita força! E aconteça o que acontecer somos PORTO!

 

Um abraço,

Hélder Rodrigues!

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D