Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

06
Dez14

E com toda a ......... e pujança sai do fundinho do Dragão um eferrea.....

helderrod

Uma entrada a alta rotategui no jogo de Coimbra e um meio campo poderoso decidiram a partida da 12ª Jornada. Foi assim que o FC Porto obteve 18 valores com distinção nesta cadeira que havíamos chumbado na época transacta. Aliás, foi nessa altura que o Paulo F. deveria ter mudado de curso, mas como se costuma dizer "Coimbra é uma mulher e só passa com souber"...Hoje o Porto soube muito bem passar pelos adversários com fulgor e supremacia no meio campo. E aqueles caloiros estiveram em grande. O Rúben um pouco mais periclitante, mas aquele Oliver acaba de emergir a fabulosa transição de ficção para a realidade. Oliver é mesmo nome de craque e parece que ele corre mesmo aqueles quilómetros todos da série de animação. Fantástico! Depois o Dux Martinez que marca mais dois golos aquistando em Coimbra o septuagésimo sétimo de azul e branco e que bela forma de registar esse facto, com um portentoso remate no ângulo direito. Foi curiosa também a forma como Lopetegui se fez ouvir na transmissão da Sporttv com constantes interpelações à equipa, sempre pertinentes e assertivas. Aliás, no lance do primeiro golo do Dux Martinez ouve-se um "dá, dá!!!!" mesmo antes da bola ter chegado ao caloiro o Rúben como antevendo o que na realidade se viria a passar! Muito bem! Agora com uma passagem pela Champions League na qual é imperativa a manutenção do prestígio o Mágico Porto passa para o tão aguardado Dia de Clássico...Cá estaremos! Entretanto, fica aqui uma palavra de solidariedade para todos aqueles condutores de autocarro que se vêem impedidos de o fazer vá-se lá saber porquê. Que o diga o David Simão que há duas épocas (no ano do Kelvin) se viu impedido de jogar, sendo ele na altura o melhor marcador do Marítimo. Apesar de tudo, valeu pouco a festa feita nessa altura! Na verdade, seja para quem for, este aspecto merecerá ser alvo de reflexão. Penso que é mais importante este aspecto do que o malogrado chantilly, vulgo spray, para se atestar a tão propalada Verdade Desportiva. Força, Porto! Hélder Rodrigues.

09
Nov14

A Verdade é Invicta!

helderrod

O fim-de-semana futebolístico merece uma profunda reflexão. Aliás, o mesmo é um "case study" para todos aqueles experts que gostam de debitar opiniões sobre a verdade. Porém, já não lhes podemos conferir a acuidade. Na verdade, eles falam de verosimilhança. Falam assim porque, apesar de tudo, a verdade é só uma. A verdade acabou por ser invicta. Porque depois do que se viu, todo o resto é treta limpinha, peanuts e pastilha elástica! Este campeonato está ferido de morte na verdade. A morte acicatada pelo homem de negro enformou-se perante dez jornadas. Está tudo falseado! Não falem em escutas, falemos de dados concretos com imagens e sem pontos de fuga! O campeonato estendeu-se no número de equipas e no paradigma, designadamente na forma como o primeiro é primeiro e o segundo é segundo. Reflitam sobre este assunto. É perante este cenário que o FC Porto continua invencível. Ainda não perdeu e isso é indiscutivelmente mais importante do que os três pontos que o distam da justiça e da verdade. Talvez um dia nada valha, nem mesmo isso que estou a pensar, mas não escrevo. Vejo o FC Porto com muita Paixão. A mesma desde Campo Maior ou de Barcelos. É aliás esta Paixão que me preenche de orgulho. A Paixão que me faz acreditar ainda no futebol. Na verdade, há quem seja apaixonado cega e loucamente por papoilas. Eu estou apaixonado por este grande Porto. Mas não há Paixão mais bela do que aquela que encerra a verdade. Porque a verdade transcende tudo e todos e A Verdade ainda É Invicta. Força, Porto! Hélder Rodrigues

02
Nov14

O golo: a essência da objectividade.

helderrod

Assim nasceu a palavra em Portugal. O golo surgiu no nosso vocabulário com a chegada do futebol ao nosso país. Na verdade, GOAL significa objectivo e esse traduz a essência do futebol. Objectivamente o FC Porto marcou dois objectivos ao Nacional. E do jogo desta jornada no Dragão emergiu a palavra objectividade. E assim jogaram os azuis e brancos. Foram mais verticais, mais assertivos e bem mais objectivos. Com efeito, sentem-se novas dinâmicas no jogo da equipa de Lopetegui que vai limando arestas. Foi QB, mas OK. Afinal de contas o "goal" principal do futebol é ganhar! Uma palavra de apreço para Danilo que fechou com chave de ouro uma semana de Dragão. Pinto da Costa parecia ter antevisto este golo. Neste particular, destaque-se a corrida desenfreada de Danilo mesmo quando o Quaresma cruza para o lado oposto. Danilo continuou a correr e acreditou conseguindo o seu prezado objectivo! Depois, o grande objectivo de Brahimi que, após um bailado estonteante, enviou um soberbo balázio a 97 km/h! Que grande jogador evolui no nosso campeonato! Existe também a palavra que provavelmente é a mais referida por muitos dos que pouco ou nada sabem da língua inglesa: o termo "offside". Porém, neste fim-de-semana, eis que nasce nesta roda viva do futebolês a palavra Post-Offside. Passo a explicar. O fiscal de linha está atrasado e não dá offside. Mas quando a bola entra na baliza marca aquilo que eu chamaria o Post-Offside ou posta à Mirandesa tendo em conta a área do juíz. Foi de facto mais um momento hilariante para os lados da Luz. Finalmente (com esta termino) uma justa observação para Paulo Fonseca. Apesar de tudo, consegue colocar o seu Paços à frente da equipa que segundo muitos é a que joga melhor futebol em Portugal. Mas das palavras aos actos objectivos há ainda uma grande distância! Força, Porto! Hélder Rodrigues

22
Set14

Com mil raios e colinhos!

helderrod

Há noites assim. Muita tempestade, raios violentos e muita violência no relvado! 

A jornada desta semana não trouxe nada de novo quanto à equidade nos critérios. 

Com efeito, Maicon tem uma desnecessária entrada por trás e foi efectivamente bem expulso. Não tendo sido decisiva (até porque o Porto continuou a atacar incessantemente) a referida expulsão condicionou a próxima jornada! E o raio da fava tinha que sair a Maicon, central que tem estado impecável no eixo defensivo azul e branco...

Já na Luz esse incrível Enzo tem uma inacreditável agressão a um jogador do Moreirense, cuja barbaridade não é aconselhável a árbitros mais sensíveis, mas não viu o respectivo cartão vermelho permitindo que o benfica continuasse a lutar pelo empate. Mas o colinho não ficara por aqui. A queda de Lima na área com um alto nível de comicidade encerra num penalty inacreditável...Palmas para a competência deste mosqueteiro do apito que não hesitou em expulsar o pobre jogador do Moreirense, galgando triunfalmente para o mesmo com o segundo amarelo na mão...

Em suma, e para memória futura temos o Boavista, o Setúbal e agora o Moreirense na Luz com arbitragens altamente tendenciosas. E assim, levadinhos ao colo já se encontram sozinhos na tabela da verosimilhança, porque na verdade e sobretudo pelo jogo do Porto em Guimarães a classificação não seria esta.

Todavia, a arbitragem não é tudo e o Porto mesmo reduzido a dez manteve a intensidade e jogou bem. Não me parece que a rotação de vários jogadores do plantel tenha sido o factor condicionador do resultado. Destaco o jovem Ruben Neves que parece não saber jogar mal e que merecerá uma coexistência mais proeminente no onze titular.

Em suma, nem sempre é possível ganhar mesmo sendo bem melhores que o adversário e, depois da tempestade, virá Alvalade onde espero que não repita a pouca vergonha do ano passado onde se deu colinho ao leãozinho. 

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

29
Abr14

Uefa ou Fífia? Uma questão de equidade....

helderrod

Acho tudo muito bonito, mas fale-se também da mão de Vata nas meias-finais, fale-se do golo em fora-de-jogo do Lima na Grécia, fale-se no penalty não assinalado a favor do Tottenham na Luz, fale-se na agressão de Perez como um penalty por marcar. Fale-se no golo anulado ao Porto no Porto-Nápoles, fale-se do penalty oferecido ao Sevilha, fale-se do quarto golo irregular do Sevilha que ganha a bola com a mão dando origem ao golo. Fale-se de tudo isso para serem imparciais.

Joguem à bola!

 

 

 

 

Hélder Rodrigues

16
Abr14

Pouca crença e muito Proença!

helderrod

Está feito, meus queridos!

A vitória impoluta do Benfica ainda está para chegar. Não adianta quererem branquear esta arbitragem. Ela está ferida de morte. 

Na verdade, Siqueira tinha já passado incolume numa falta clara sobre Jackson à entrada da área aos 13 minutos...depois agride Quaresma...expulsão claríssima.

Depois o empate já na segunda parte que embalava o Porto para vitória. Porém, Proença compensou o défice de jogadores e atirou Salvio ao chão, pegou na toalha e assumiu o controlo do jogo. Foi talvez o melhor em campo.

Paralelamente a crença dos jogadores do Porto esfumou-se e, de tanto querer adormecer o jogo, fecharam os olhos a um belo golo de André Gomes. Depois, o querido Proença congelou os minutos que restavam, segurou a bola e não compensou o anti jogo perpetrado por aquele estádio em delírio...

Foram feitas as pazes com Vieira, com um Platini que deve ter gostado imenso do trabalho do seu pupilo que habilidosamente desvirtuou um resultado que era desfavorável ao Lyon, empurrando o Ajax para fora da Liga dos Campeões cuja final acabou por ir apitar.

Aguardo pela segunda parte da reportagem para que esta querida palhaçada continue.

E não voltem a falar em Verdade Desportiva porque a vergonha e a consciência podem e devem obstaculizar palavra tão limpinha.

 

Foi uma época má para o meu Porto, mas jamais me calarei perante a injustiça....

 

 

 

Força, Porto!

 

Hélder Rodrigues

10
Abr14

O Dolo Mole da omelete sem ovos.

helderrod

Houve intencionalidade mas sem a intenção de prejudicar terceiros é o que me apetece dizer perante a mudança do jogo de Arouca para Aveiro. Com efeito, esta história precisa de ser bem contada. E não chega dizer-se que o Presidente é do Porto. É preciso saber o que pensam os jogadores, os treinadores e fundamentalmente os Arouquenses que vêem o brilho da festa mudar-se para Aveiro.

Parece-me no mínimo hilariante tomar esta decisão, justamente na coincidência do jogo em questão.

É certo que este é um caso diferente do Estoril-Benfica (basta ver os quilómetros) mas na ética e correcção desportivas esta realidade é discutível. O clube da Luz não precisava disso para conseguir ser bem sucedido, nem que seja necessária mais uma espectacular queda de Sulejmanni para promover um empate a duas bolas que valeram dois pontos.

Até por isso. É mais fácil cair em graça em Aveiro do que ser engraçado em Arouca...

 

 

A transparência exige transpiração e estou certo de que o Arouca teria muito mais orgulho em deixar o suor no palco onde fez a vida difícil ao Porto e ao Sporting. Lembre-se inclusivamente o David Simão que foi impedido de representar o Marítimo no célebre jogo da festa inusitada do ano passado. Isto se fosse na Madeira, mudar-se-ia para a Choupana por imposição do Jardim.

Porém, sempre com a certeza da não intenção de prejudicar terceiros. Prejudica-se a velha vítima: a verdade!

 

Hélder Rodrigues

 

30
Mar14

Missiva ao meu querido Pedro Capela...

helderrod

                                                                                                                                                                       Porto, 30 de Março de 1974

 

Meu querido, estás bem?

 

Vi-te na televisão e estiveste muito bem. Estiveste bem melhor do que no estádio José de Alvalade. Até me lembrei do que o Pedroto disse há tempos.

Na verdade quando passamos a nova ponte para aí já estamos a perder. Hoje na Madeira percebi também aquilo que me explicaste, ou seja, a diferença entre golo anulado e golo invalidado. Na verdade, aquele árbitro na Madeira (o João) primeiro validou mas depois ANULOU o que foi validado. Mas não nos deixaram ganhar. Ainda por cima o primeiro golo dos madeirenses não devia valer. Fui ver o resumo ao cinema como de costume. Depois ainda falhámos um penalty. Isto vai mal para o meu Porto. É preciso mudar alguma coisa neste país. Andamos mal e o futebol ainda ajuda um bocadinho a dizer alguma coisa. Ontem vi aquele pide a olhar para mim. Chamou-me labrego e eu fugi antes que levasse no pêlo!

Parabéns também pelo teu SLB que ganhou a um Braga sem nove titulares. Tiveste sorte, pá! Aquele estrangeiro de cabelo à Beatle ia para a rua e ainda faltava muito para acabar. Mas mais uma vez vão ser campeões. Eu lá vou ter que esperar (já são catorze anos sem ganhar)...mas não deixo de adorar o meu FCP...

Tenho a sensação que alguma coisa está a acontecer.

Cumprimentos ao teu pessoal...

Um abraço do teu amigo portista

 

Hélder Rodrigues

 

P.S. Escrevo-te outra vez lá para os fins de Abril!

 

Hélder Rodrigues

24
Mar14

Os Santos, os labregos e o Palácio de Belém

helderrod

Nos programas desportivos podemos esperar tudo, mas ontem bateu-se o RECORD do discurso gravemente tendencioso. No meu post anterior, referi a persistência de João Rosado em exaltar a sorte do Porto, o azar do Nápoles e aquela esperançazinha até ao último momento da queda do clube do norte. A evidência é triste, mas é real.

Ontem, perante um douto António Oliveira, o grande avançado Manuel Fernandes enfatizou o facto de que a televisão dos labregos deve ser diferente da emissão de Sarilhos, reduzindo a exibição do FC Porto a um fraco desempenho por parte da equipa azul e branca. Depois, Rui Santos que voltou a reiterar a sorte do FC Porto na eliminatória com o Nápoles. Esqueceu-se de referir o golo mal anulado ao Porto que nos daria uma vantagem bem mais confortável. Esqueceu-se de enfatizar, isso sim, o penalty por assinalar a favor do Tottenham ou o fora de jogo na Grécia que deu a vantagem forasteira da Luz ou até da forma como o Rodrigo faz falta na obtenção do primeiro golo ante a Académica.

Não quero pôr em causa a força do SLB, mas o meu Porto atacou incessantemente perante um autocarro, duas torres e um Palácio de Belém. Marcou um golo limpo na primeira parte, não viu assinalada uma grande penalidade sobre Jackson Martinez e ainda assim no meio daquela esmagadora pressão surgem opiniões como esta.

Opiniões reprováveis e dignas não de um Play-off mas de um redondo e imenso offside na festa da segunda circular.

 

Posso ser labrego, mas não sou parvo!!!!

 

Hélder Rodrigues

 

16
Mar14

Querença-a-Velha, Proença-a-nova! Uma verdade posta à prova...

helderrod

Num jogo bem disputado, digno de um clássico, o Porto sofre a quinta derrota no campeonato. 

Após uma excelente primeira parte na qual o FC Porto poderia ter marcado, ante um Sporting que nem sequer rematou à baliza de Helton, surgiram várias incidências no segundo tempo. Dá-se uma quebra física e depois...

Depois, alto e pára tudo! Parem a imagem, como se isso fosse necessário, para atestarem este escandaloso e compensador fora de jogo. É inaceitável deixar-se passar em claro a evidência que permitiu a vantagem leonina. Para já não falar da forma como Cedric afasta claramente o Jackson Martinez para a conclusão de um lance prometedor na grande área (apesar de ainda não ter amarelo nesse momento). Foi uma bela representação das súbitas dores das costas para um regresso espectacular de um Proença irrepreensível. Ganham uns perdem os outros nestas guerras da arbitragem. Porém e, tal como na guerra, a primeira vítima é a verdade. Hoje os profetas da verdade já vêem outras coisas. Já menorizam a incompetência e enfatizam o feito de se vencer ao grande FC Porto. 

 

Destaca-se também a quebra física (natural) da equipa que trouxe consequências na segunda parte e a inusitada ansiedade no setor defensivo do Porto.

Ficam também por terra Danilo, Quaresma e fundamentalmente Fernando por um vermelho direto ridículo....

Mas hoje a derrota do FCP foi muito pequena perante a perda de Helton, cuja lesão parece ser grave. A rotura integral do tendão de Aquiles deixa-nos muito tristes e daqui uma palavra de apreço para com os adeptos leoninos que bateram palmas a um enorme atleta que se chama Helton!!!!

 

Força, Helton! Força, FC Porto!

 

Hélder Rodrigues

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D