Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

10
Mar17

O Bella, o Monstro, o Toucinho e a Velocidade num passadiço triunfante.

helderrod

E lá foram pela corrente do Paiva os 50 mil euros prometidos...ficaram por lá.

Num jogo com um lançamento sui generis por parte do peculiar Manuel Machado que se referiu a Soares em moldes menos adequados (no fim ficou tudo bem e o 29 do FCP até lhe cedeu a camisola), lembrei-me de uma das mais belas metáforas do futebol português. Um dia, o técnico do Arouca disse que algo era tão diferente como se estivéssemos a comparar o toucinho da velocidade. Hilariante. Hoje o FCP foi a velocidade e o Arouca o toucinho sem fazer um único remate enquadrado à baliza de Casillas que também no Futebol Clube do Porto acaba de fazer algo que nunca tinha feito antes no Real Madrid: Casillas está há dezasseis jogos sem sofrer golos para o Campeonato Nacional. Os melhores do mundo podem também resplandecer no melhor clube português.

A história deste jogo é simples. Um FCP mandão, com um extraordinário Brahimi e um fenomenal Óliver, só pôde gerar oportunidades para os goleadores, nos quais se incluiu um soberbo Danilo. Esse "monstro" fazedor de golos não pára de nos surpreender. É um verdadeiro trabalhador em campo com muita "ratice".

É em Soares e seus companheiros que eu ainda acredito numa jornada brilhante na Champions em Turim. Já calámos San Siro, Old Trafford, Lyon, Roma em noites memoráveis. Chegou a vez do novíssimo estádio da Vecchia Signora. Eu acredito! 

Será importante apagar a péssima imagem deixada pelo clube daqueles que ostentam as lâmpadas na alcunha para não ferirmos a sensibilidade dos legisladores, cujo banho de bola só foi disfarçado por uma vergonhosa taça encomendada pelos amigos da liga que se lembraram de gerar um troféu tríptico e absurdo.

ESPERO QUE ESTEJAM JÁ A PREPARAR O TROFÉU COMEMORATIVO DOS 60 ANOS DO ÚLTIMO TÍTULO INTERNACIONAL. MAS FAÇAM UMA COISA BONITA COM UMA FOTO DO BELLA. 

 

Força, Porto! 

Tu jamais caminharás sozinho!

Hélder Rodrigues

sketch-1489183748231.png

 

11
Fev17

Batalha Afonsina

helderrod

Apetece dizer que o FCPorto diminuiu a desvantagem para um ponto. E esse é o ponto. A luta pelo campeonato está renhida, o que torna o Dia de Clássico desta temporada ainda mais interessante. Aproveito desde já para saudar os meus "convloggers" deste espaço do qual tenho a honra de poder fazer parte.

Na verdade, hoje não estávamos em Junho de 1128, mas o jogo disputado com os vimaranenses mais parecia a célebre Batalha de São Mamede. Todavia, não houve nenhum confito geracional, nem familiar. Assistiu-se, isso assim, a uma excelente partida de futebol, não pela sua espectacularidade mas pela extrema competitividade plasmada pelos jogadores de ambas as equipas.

Numa primeira parte intensa a meio campo, valeu o sentido de oportunidade de Soares que muito respeitosamente facturou contra a antiga equipa. Tratou-se de um desafio muito físico que se adivinhava difícil. O onze inicial gizado por Nuno Espírito Santo antevia essa tracção apontada a miolo e isso quebrou a vertente mais bela e romântica deste FCP. 

A razão parece querer sobrepor-se ao coração azul e branco de quem gosta de bom futebol. Porém, o futebol pragmático está a dar pontos fundamentais na luta pelo título. 

Assim continuou a segunda parte. Uma postura firme perante um Guimarães que forçava, mas que encontrava a parede defensiva dos azuis e brancos. Até o Brahimi se bateu com bravura naquele denso povoamento no centro do terreno. 

No meio de um Xistra (que mais parecia o bobo meio perdido na corte) pouco equitativo no capítulo disciplinar, as alterações procedidas pelo FCP romantizaram um pouco a segunda metade da segunda parte. Com Corona e sobretudo com Diogo J (um DJ que fez com que a música fosse outra) bem mais abertos nas alas, os Dragões criaram mais oportunidades de golo, concretizando um e trazendo uma maior justiça ao resultado.

Desta vez, o Afonso perdeu, mas vendeu bem cara a derrota nuns saporíssimos três pontos conquistados aos conquistadores.

E assim se constroem os campeões. Na raça (como diria o grande Cândido Costa) e na irreverência da juventude. Parabéns às equipas. Parabéns ao FCP!

 

É já na sexta com o Tondela. E venha de lá agora esse Viriato de Viseu para mais uma dura batalha rumo ao título!

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

VSCFCP1617.jpg

 

21
Out15

A Analogia de Tel Aviv

helderrod

E já está. O FC Porto acabou de derrotar o Benfica de Tel Aviv por 2-0 e isolou-se no grupo G da Champions. Como os meus leitores devem compreender, não podia deixar passar a infeliz a analogia da promoção televisiva que antecedeu este desafio.

Todavia, o que é mais importante destacar deste jogo é o facto de Rúben Neves se ter coroado como o Capitão mais jovem de sempre nesta competição. E que bem que lhe assenta a braçadeira. 

Importa também adir o feito de Lopetegui que se torna o treinador com mais vitórias consecutivas (vinte) no Estádio do Dragão, batendo efectivamente o record de José Mourinho. Parabéns, Mister Lopetegui!

Após um início algo lento com um Maccabi rápido e organizado, o FC Porto foi tomando gradativamente conta do jogo conseguindo dois bons golos. 

Já na segunda parte e, apesar de conseguir um maior controlo do jogo, a equipa não conseguiu marcar. Porém, os mais de 35 mil espectadores nas bancadas do Dragãos com mais israelitas do que benfiquistas puderam usufruir de uma bela noite de Champions.

A vitória tornou-se ainda mais saborosa com o empate advindo da Ucrânia, o que abre óptimas perspectivas de continuar na prova! Assim seja!

Parabéns, equipa! 

Força, FC Porto!

Hélder Rodrigues

P.S. Queria apenas indicar que, ao contrário do que foi referido na televisão, os assobios eram dos israelitas e não dos adeptos portistas! É importante esclarecer!

03
Jan15

LE CALCANHAR PORTif

helderrod

No arranque do novo ano, o FC Porto trouxe-nos uma mão cheia de golos de qualidade num terreno aparentemente fácil. Os primeiros 20 minutos que o digam! Mas a verdade é que hoje houve envolvimento e dinâmica e fundamentalmente o facto de nunca ter tirado o pé do acelerador. Esta é a questão. Ir para cima do adversário. Criar oportunidades e concretizar. O Porto foi tudo isto hoje. Foi interessante ver um enorme Oliver (o melhor em campo na minha opinião), um Brahimi que respirou futebol e um incansável Jackson que é já o segundo melhor marcador estrangeiro de sempre do clube azul e branco. Nasceu também aqui um novo exemplo. A ideia de nunca ter medo de chutar e de se arriscar com maior frequência o remate de longa distância quando as equipas se fecham. O golo de Casemiro confirmou-o. Por vezes é necessário procurar uma porta ou uma janela aberta no autocarro para desbloquear o resto de uma partida! Acrescente-se neste particular a possibilidade de Casemiro ter ultrapassado um momento menos bom na precisão dos passes. Uma palavra para José Mota que, ao invés de desculpar o seu pupilo, deve chamá-lo à atenção que não pode protestar daquela forma a decisão de um lance. É que ao contrário do que este quis aventar, o primeiro amarelo não decorre da falta, mas dos protestos veementes do jogador! Bem que podia ter feito mais barulho na jornada anterior! Enfim... Força, Porto! Hélder Rodrigues

06
Nov14

A um oitavo do sonho final, surge um Porto de classe Mundial.

helderrod

Irrepreensível! O mágico Porto voltou a exacerbar classe pela Europa do futebol. Transformando o "inferno" de San Mames num pleno céu azul, o FC Porto foi a primeira equipa portuguesa a vencer em Bilbao para competições europeias. E não se trata apenas do conteúdo da vitória, trata-se da forma como a mesma foi aquistada! Com os destaques de Jackson e Brahimi, toda a equipa funcionou compactamente desde a defesa ao ataque. Foi efectivamente um jogo muito bem conseguido a lembrar outras grandes exibições do Porto de Mourinho pela personalidade plasmada em campo. Lopetegui parece estar a criar uma base sólida no onze, podendo agora aplicar o seu rotategui na Champions não esquecendo a importância do primeiro lugar para garantir o facto de sermos cabeças de série. É um Porto grande que dá nas vistas na Europa do futebol, acicatando o respeito pela imprensa internacional. Muitos lembram até o temível outsider cada vez mais in... Assim teremos uma palavra a dizer nesta edição da Champions e estamos a 1/8 de um sonho. Nada é impossível e, por isso, deixem-me sonhar! Força, Porto! Hélder Rodrigues

02
Nov14

O golo: a essência da objectividade.

helderrod

Assim nasceu a palavra em Portugal. O golo surgiu no nosso vocabulário com a chegada do futebol ao nosso país. Na verdade, GOAL significa objectivo e esse traduz a essência do futebol. Objectivamente o FC Porto marcou dois objectivos ao Nacional. E do jogo desta jornada no Dragão emergiu a palavra objectividade. E assim jogaram os azuis e brancos. Foram mais verticais, mais assertivos e bem mais objectivos. Com efeito, sentem-se novas dinâmicas no jogo da equipa de Lopetegui que vai limando arestas. Foi QB, mas OK. Afinal de contas o "goal" principal do futebol é ganhar! Uma palavra de apreço para Danilo que fechou com chave de ouro uma semana de Dragão. Pinto da Costa parecia ter antevisto este golo. Neste particular, destaque-se a corrida desenfreada de Danilo mesmo quando o Quaresma cruza para o lado oposto. Danilo continuou a correr e acreditou conseguindo o seu prezado objectivo! Depois, o grande objectivo de Brahimi que, após um bailado estonteante, enviou um soberbo balázio a 97 km/h! Que grande jogador evolui no nosso campeonato! Existe também a palavra que provavelmente é a mais referida por muitos dos que pouco ou nada sabem da língua inglesa: o termo "offside". Porém, neste fim-de-semana, eis que nasce nesta roda viva do futebolês a palavra Post-Offside. Passo a explicar. O fiscal de linha está atrasado e não dá offside. Mas quando a bola entra na baliza marca aquilo que eu chamaria o Post-Offside ou posta à Mirandesa tendo em conta a área do juíz. Foi de facto mais um momento hilariante para os lados da Luz. Finalmente (com esta termino) uma justa observação para Paulo Fonseca. Apesar de tudo, consegue colocar o seu Paços à frente da equipa que segundo muitos é a que joga melhor futebol em Portugal. Mas das palavras aos actos objectivos há ainda uma grande distância! Força, Porto! Hélder Rodrigues

18
Set14

Festival no Dragão

helderrod

A retórica futebolística é um fenómeno curioso. No passado fim-de-semana, Talisca (esse mosqueteiro de Jesus) foi elevado ao quadrado em virtude do seu hat-trick em Setúbal. Chegou a ser associado a Eusébio nesse feito brilhante...tendo já meia europa e Alexandre Dumas atrás dele. Não obstante esse facto, a máquina propagandística continuou a laborar e enfatizou as palmas e os cânticos que emocionaram seis milhões, independentemente da derrota caseira chapada por velhos rivais. Mas as palmas é que contam. Aliás, penso inclusivamente que o clube cujos adeptos batam mais palmas por m2 deve ter acesso direto à fase de grupos da Liga dos Campeões. É algo que Jesus deve propor na próxima reunião da elite...

Todavia, no dia de ontem há um fantástico jogador que marca 3 golos na Champions. Há uma equipa PORTUGUESA que faz uma excelente exibição, prestigiando a força do futebol nacional. Mas os sofistas apenas menorizam o adversário, destacando as suas fragilidades para justificar a meia dúzia de golos marcados à equipa da Bielorússia...

Na verdade, ontem no Dragão a noite foi de gala porque os jogadores trabalharam para isso. Fizeram por merecer aqueles saudosos cânticos que proferíamos nas Antas perante grandes exibições: Festival, festival, festival....! E nem a maior goleada do FCP no actual formato da Champions foi suficiente para que se valorizasse condignamente o triunfo portista.

Assim, saia uma monumental salva de palmas para quem de direito! Até porque BATEr assim o Borisov não é para todos. Que o diga o Bayern de Munique! Nunca se esqueçam que há Apoel sem h e com H (esses que apesar de pequenos também sabem golear equipas portuguesas).

Regressemos ao trabalho para que no Xadrez do derby da Invicta se faça xeque mate com mais um Festival à Porto.

Lá estarei para bater palmas!

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D