Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

09
Dez15

Autogalo

helderrod

E assim terminou mais um desiderato! Os oitavos de final da Champions tornaram-se uma miragem para o FC Porto.

Num país onde os azuis e brancos nunca venceram, ainda não foi desta! Tudo correu mal, mesmo antes do jogo começar. A lesão de André André (pergunto agora onde estão os críticos que advogavam que um jovem pode jogar sempre); o regresso de Courtois que oferece outra segurança à defensiva dos Blues; a clara falta de confiança de Aboubakar que terá condicionado a sua presença no onze e, durante o jogo, o infortúnio de Marcano que vê a bola ressaltar no seu corpo para um autogolo injusto. Para ajudar à festa, o Dinamo marca um golo quase sem querer também minutos depois. 

Quanto ao resto, a substituição de Maxi parece-me justificável pelo seu amarelo e pela rapidez dos flanqueadores, mas nada disso interessa neste momento infeliz!

Como sei que quase ninguém vai falar disso, digo-o eu! O FCP teria direito a ter somado mais dois pontos em Kiev nesta Champions e estaríamos por mérito próprio. Virámos lá o resultado de 1-0 para 1-2, mas depois um golo fantasma subtraiu aquilo que o FCP tinha conquistado! 

Apelo que todos vejam o minuto 64' deste jogo. Ninguém o repetiu.

Agora há que virar os focos para a Liga Europa, porque poderemos ter uma palavra a dizer! Veremos!

 

Para finalizar, deixo dois parágrafos para os jornalistas, os críticos, os bota-abaixo, os treinadores obsoletos e entre quase todos os líricos que continuam a espezinhar o nosso treinador poderem dar asas à sua imaginação!

Para que conste, é neste momento que sou ainda mais portista! Que me dá mais ganas para querer o melhor para um clube que já me deu tantas alegrias em vida, a cores e em plena consciência das minhas faculdades mentais!

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

29
Set15

The "Astonishing" ANDRÉ das NEVES

helderrod

Os espantosos André André e Ruben Neves deram esta noite um festival de classe futebolística. No dia seguinte à descoberta de água em Marte, podemos afirmar que as exibições destes foram um pequeno passo para a grande vitória do FCP, mas um salto gigantesco nas promissoras carreiras de ambos. 

No reencontro com outro grande português, designadamente José Mourinho, o grande Futebol Clube do Porto deslumbrou os mais de 46 mil adeptos no Dragão e expandiu com supremacia e sobriedade a grandeza europeia deste grande clube português. Numa noite cheia de magia, com algum sofrimento à mistura, o relógio parecia estar congelado na segunda parte e até o árbitro não queria terminar o jogo.

Sei que muitos vão falar da mão de Marcano, mas minutos antes vi eu com estes olhinhos que a terra há-de comer um puxão que impediu Marcano de jogar a bola dentro da grande área, na sequência da bola ao poste endossada por um não menos espectacular Danilo.

Parabéns à equipa e sobretudo ao treinador que abafou os assobios, apesar de não ter evitado ainda aqueles que se precipitam para a saída antes de saudar no final do jogo a excelente exibição do FC Porto.

Parabéns, FC Porto por fazeres parte da minha história e das minhas alegrias nos 36 de 122 anos da tua existência!

Obrigado, FC Porto!

Hélder Rodrigues

25
Set13

Mourinho em White Hart Lane

joshua

Cheira a que a rivalidade natural entre Mourinho e Villas-Boas, um dos melhores quadros agregados à marca e à mística FC Porto, vai deixar mossa no primeiro. O arranque do Tottenham na Premier League 2013/2014 mostra um ímpeto forte inverso ao do Chelsea, onde o timoneiro parece atravessar uma fase das mais pardas e incaracterísticas. Mente sã em espírito são é qualquer coisa que não parece colar-se ao, até há pouco, bem sucedido psicólogo Mourinho, sedutor de balneários, demolidor nas conferências de imprensa e implacável nos jogos. O embate Tottenham - Chelsea é já a seguir. Com duas equipas sob a liderança de dois grande portugueses, o que nos reservará o espectáculo de White Hart Lane?!

17
Mai13

Maldições, azares e competências

joaopaulo74

O nosso Mister, JJ, é um Homem que até faz Ciência. Pelo menos foi o que ele disse naquela famosa aula na Universidade.

Mas, o jogo de futebol está longe, muito longe de ser uma ciência. E, a haver algum tipo de ciência (=lógica), será a do dinheiro - ganha mais quem tem mais dinheiro.

Há, claro, uma dimensão de sorte ou de azar, sendo que, citando mais um enorme Mister, de seu nome Mourinho, a sorte dá muito trabalho a conseguir.

O SPORT LISBOA E BENFICA teve muita sorte quando o remate, fantástico do Lampart, beijou a trave e teve muito azar quando depois do 2-1 o Cardozo não conseguiu empurrar a bola para dentro da baliza. Mas, podemos ver ambas as jogadas pelo lado da competência - a de Lampard, inquestionável e a de Cardozo, um pouquinho mais questionável (calma, que eu sou o fã nº1 do Tacuara!).

O Torres foi muito competente no lance do primeiro golo, apesar da incompetência colectiva do BENFICA que falhou em toda a linha, tal como no segundo golo, onde a ausência, por lesão do Garay, penaliza o Jardel.

Bom, isto para trazer lucidez à reflexão - qual maldição, qual carapuça!

Há gente mais competente e gente menos competente. O Torres teve uma bola nos pés e marcou um golo. Os avançados do SPORT LISBOA E BENFICA tiveram muitas e...

Por isso, ele custa x e os nossos custam um pouquinho menos.

Esta mesma lucidez deve permitir, em particular aos sócios do SPORT LISBOA E BENFICA, a capacidade de ver o que tem sido a nossa evolução.

No arranque deste século estivemos nas mãos de alguém que acabou literalmente com o clube - enquanto outros construiram, paulatinamente, uma capacidade de vencer, apesar de o conseguirem em cima dos insucessos alheios. A entrada de Vilarinho e de Vieira permitiu uma inversão num caminho, que só agora começa a ver a luz do dia.

Recordo os mais esquecidos, de algo que nunca esquecerei: eu estive em Vigo!

E, não imaginam, como é diferente perder com o Celta por 7-0 ou com o Chelsea por 2-1 na final da Liga Europa.

Acordem prá' vida, carago!

17
Mai13

Lido pelo Twitter

joaopaulo74

@luisaozagueiro

A taça nao veio infelizmente a Deus, sabe todas as coisas! Orgulhoso da equipa e JUNTO! Companheirismo e muita garra

@Garay_24

muchas gracias a todos por lo mensajes de apoyo !!! Orgulloso de este equipo !! Sin palabras los adeptos del benfica.impresionante GRACIAS


@totosalvio8


Gracias, gracias y gracias. Muy agradecido por todo el apoyo al equipo!


@rodr19o_mm


Apesar da tristeza, obrigado pelas mensagens de animo! Somos uma família!



16
Mai13

Orgulho

joaopaulo74

Os últimos dias confirmam o acerto da minha decisão. A de ser adepto e sócio do Sport Lisboa e BENFICA.

Quer dizer, não faço a mais pequena ideia se há alguma relação entre uma decisão (racional??!!) e um acaso. Não sei mesmo.

Mas, depois de adulto consigo identificar uma identidade perfeita entre a minha maneira de ser e o SPORT LISBOA E BENFICA! No ensino secundário fui aluno do curso de desporto e desde puto participei em equipas onde a vitória não era, digamos que, uma presença muito habitual. Não quero escrever que me habituei a perder, mas aprendi sempre a lidar com a adversidade, com os acasos associados ao jogo. Obviamente, quando entro em campo, seja como atleta, seja como adepto (na bancada!), entro para ganhar! Nada menos que isso.

Sinto-me, por isso, totalmente identificado com o jogo FANTÁSTICO que os adeptos portugueses fizeram na HOLANDA!

Esmagadores.

Depois, percebi, também, que só um clube como o SPORT LISBOA E BENFICA conseguia reagir assim a dois azares da vida. Confesso que estava apreensivo com a capacidade da equipa em reagir ao jogo de sábado, mas os primeiros minutos da final foram absolutamente esmagadores, em total sintonia com as bancadas.

E, a forma elevada, como todos reagiram à derrota, do Mister, ao Presidente, do Capitão às lágrimas do Enzo. E a recepção em Lisboa, do outro mundo.

O post não era para ser este, mas foi o que saiu - fica a imagem que o capitão nos deixou no twitter.



 

16
Mai13

A génese da maldição

helderrod

Antes de mais, importa esclarecer o seguinte: Bella Guttman afirmou que, sem ele, o Benfica jamais voltaria a ser campeão europeu. Portanto, a Liga Europa não conta para este feitiço. Já o 92 é mais discutível, uma vez que Torres é o 9 e Ivanovic o 2. Bizarro!

Já o vocábulo sorte é mais relativo: depois de sete bolas aos seus postes nesta competição, adiu-se uma outra bola ao poste (Lampard) bem antes dos tais 92 minutos.

A vertigem do Benfica quase se sobrepôs ao laxismo de Benitez. Este não é o Chelsea comum. Trata-se de uma equipa dotada ainda do cinismo italiano de Di Matteo, acrescentado por uma passividade estranha do treinador espanhol...

O prolongamento era merecido e impunha-se, mas o futebol é mesmo assim. É o mesmo futebol que esmagou a Académica na Luz e foi aí que a maldição de Jesus começou. Aquele que disse que a Académica merecia descer está agora a padecer da mesma dor. Virou-se o feitiço contra o feiticeiro.

Parabéns ao Benfica pela coragem!

 

Hélder Rodrigues

15
Mai13

Viva o Benfica!

Eduardo Louro

Não há vitórias morais. Mas… Viva o Benfica!

Não há sorte e azar. Mas há!

Não há bruxas. Mas até parece… O mesmo resultado, o golo no mesmo último minuto…

O Benfica foi superior ao Chelsea nesta final. Completamente: individual e colectivamente, técnica e tacticamente. Só não o foi no plano físico mas, mesmo aí e surpreendentemente – para quem tem visto os últimos jogos – o Benfica esteve bem. Não rebentou, embora a perspectiva do prolongamento fizesse temer o pior.

Jogou melhor, muito melhor que o Chelsea. Mas não chega. Para o Benfica nunca chega jogar melhor que os adversários. É sempre preciso qualquer coisa mais… Foi anulado um golo – que seria o primeiro do jogo – sem que ainda agora consiga perceber por quê. E sofreu logo a seguir um golo, que começa num lançamento longo do guarda-redes: nem devia valer!

O Benfica reagiu bem, não teve medo e continuou a ser melhor. Chegou rapidamente ao empate, e continuou por cima. Jorge Jesus tinha arriscado tudo, já jogava com Gaitan a lateral esquerdo. E perdeu Garay. Perdeu Garay, o melhor defesa, e com Enzo e Matic o melhor jogador em campo, e a oportunidade de mexer na equipa, esgotando aí as substituições!

Faltavam dois minutos para os 90 quando Lampard acerta no ferro da baliza de Artur. Era o sinal por que se esperava: tinha sido assim ao longo da competição, a seguir a uma bola no ferro o Benfica marcava. Voltou a ter oportunidade para isso, mas voltou a falhar, como tantas vezes tinha já falhado. E no último minuto… Se o primeiro nem devia valer, o segundo, então…

Nasce de um canto em que Jardel – que substituíra o Garay - é passarinho. Depois, continuou passarinho, a olhar para a bola, sem a atacar, deixando que o André Almeida deixasse sozinho o mais alto e melhor cabeceador do Chelsea, o sérvio Javanovic.

A bola foi ao centro, e Cardozo tem ainda mais uma oportunidade imensa de voltar a marcar. Não se percebe o que lhe aconteceu aos pés e voltou a falhar… É isso, nestas andanças não se pode falhar. A concentração competitiva e a força mental – que se trabalham, como a condição física e a qualificação técnica - são mais importantes que tudo o resto. Sem isso há sempre muito azar. É o nosso fado!

Claro que não há nada a apontar aos jogadores. Que, face ao que se passara no sábado, poucos esperariam que entrassem em campo como entraram. E que fizessem o jogo que fizeram. Claro que vamos ao aeroporto receber os jogadores em festa. Claro que no próximo domingo vamos encher a Luz, com aquela fé imensa, como os jogadores merecem. Mas estou farto do azar. Estou farto que, quando realmente importa, a sorte esteja sempre do outro lado…  

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D