Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dia de Clássico

MENU

   Este podia muito bem ser o título resume a jornada desta semana, apesar do Sporting ainda não ter ido ao desafio do xadrez que JJ tanto gosta!

   Com efeito, após o salto de Jonas para a vitória em Paços de Ferreira a luta do FCP continua difícil senão impossível como no ano passado em que os Dragões conseguem conquistar mais pontos que os que conseguira o SLB na época de Paulo Fonseca.

   Mas está difícil depois daquilo que se viu na Mata Real. Na verdade o SLB é a equipa que, a par do Manchester City num universo de 146 clubes das 8 ligas mais fortes, ainda não sofreu nenhuma expulsão, nem algum penalty contra. Impressionante!

   Era este o panorama antes do FCP-Moreirense. Panorama esse que ainda se agravou ainda mais com os dois golos conquistados do Moreirense. Depois de um penalty claro que ficou por assinalar a Brahimi, lá chegou o penalty já tanto devido a Maxi. Seria o quarto penalty sofrido e o primeiro assinalado! 

   Com um enérgico e lutador Suk e um Danilo implacável, a tarefa estava complicada no segundo tempo.

    O FC Porto não metia o pé. Voltando aos números. Chegámos aos 77 minutos ao terceiro golo, com apenas uma falta cometida! Deve ser um record mundial no futebol! E é isso que falta! Falta meter o pé e ganhar outra dinâmica competitiva.

   Só assim o objectivo de ultrapassar o Dortmund é que poderá ser aquistado. Mais força, mais rapidez e mais futebol pelas alas,

   Tal como acreditei na remontada neste jogo, acredito na reviravolta nesta eliminatória. Precisamos de nos agigantar à Porto e voltarmos ao nosso lugar na História da Europa do futebol.

    Por isso, lá estaremos no Dragão a pugnar pelos golos tão indispensáveis para derrotar o Borussia!

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

A palavra de hoje. Solidariedade e humildade. 

No dia de clássico de hoje, o Benfica foi mais uma vez traído pelo excesso de confiança. A ilusão cresceu e muito após a obra de Xistra na cidade berço. Pela boca morre o peixe e hoje esse ditado foi mais uma vez determinante. 

No jogo de hoje, a equipa do Porto trabalhou imenso para vencer. O Danilo e o Casillas foram pedras basilares, lutando incessantemente pela vitória. Nada se conquista sem trabalho. E esse trabalho será muito para chegarmos ao desiderato neste ano.

De facto, o Benfica criou algumas oportunidades sendo curiosamente a mais flagrante a do Indi para a própria baliza!

Porém, a equipa soube dar a volta criando também as suas oportunidades e concretizando-as. A vitória de hoje confirma a superioridade azul e branca no novo estádio da Luz. 

Fica-nos o sabor amargo do furto de cinco pontos ao Porto no Dragão nos três últimos jogos caseiros. Caso contrário, a classificação de hoje seria já bem diferente.

Queria igualmente deixar uma palavra de apreço para Chidozie que, apesar de ter estado ainda periclitante, soube estar num jogo de enorme responsabilidade. Houve estrelinha sim senhor. Mas é assim que nascem os campeões!

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

VIER de final nos Picos da Europa

helderrod 11 Mar 15

Solidarität, überwältigend , brillant, großartig! Solidária, esmagadora, brilhante, soberba foram os QUATRO adjectivos que escolhi para ajudarem a qualificar o orgulho que senti hoje ao ver o meu FC Porto a evoluir no Estádio do Dragão.
Talvez equiparada ao Porto-Lázio nas Antas, a exibição nesta noite de gala no Dragão foi sublime.
Num futebol dinâmico e envolvente, a equipa portista traduziu em atitude a confirmação que lhe é dada nas palavras por esse mundo fora.
É nesse mundo fora, mais especificamente na Europa do futebol que nós (FC PORTO) confirmamos a sua qualidade indubitável. O seu prestígio tantas vezes menorizado ridiculamente no nosso país eleva-se além fronteiras. O Porto é inequivocamente o melhor clube português dos últimos 40 anos, o maior de sempre (reforço).
Sinto-me orgulhoso por elevar a voz para o azul e branco e, como tal, FICO ATÉ AO FIM, sempre até ao fim para aplaudir um trabalho fantástico de equipa, porque apesar de Lopetegui ter exaltado os jogadores, este festival tem o seu cunho pessoal. Ele merece um sentido reconhecimento independentemente do que surgir doravante.
Uma palavra para o Dragão de Ouro Danilo que assustou os mais de 43 mil espectadores, mas que seguramente estará já em convalescença. Nesse particular, Lopetegui também poderá dar umas dicas uma vez que ele também já perdeu os sentidos a poetizar sobre futebol e hoje no Dragão não houve apenas futebol, houve poesia que nos eleva ao nosso lugar. Leva-nos aos Picos da Europa entre os oito melhores clubes na presente época.
Parabéns, Grande Porto!

Hélder Rodrigues

No jogo deste Domingo, tudo foi cuidadosamente preparado para a celebração dos 28 anos da principal claque portista! E assim foi: os 30.028 espectadores atestaram a festa de cor, alegria e força nas vozes de cada um, parecendo enfatizar ainda mais a merecida homenagem prestada pelo FC Porto ao Cante Alentejano. 

O ensaio da vitória 2000 foi tão cuidadoso que a própria equipa só decidiu marcar os golos na baliza que se posta em frente à claque. Foi ali perante o tribunal que os jogadores quiseram retribuir com imensa gratidão a fantástica aniversariante. Foi uma mão cheia de golos. Todos eles com a sua característica e particularidade, dos quais o melhor ficou para o fim por parte de quem não se cansou de o procurar. Danilo, à Dragão de Ouro, encheu o pé como que agradecendo a todos a presença nos seus lugares até ao apito final!

E assim se conquistaram três preciosos pontos. Importa agora considerar que nem tudo são rosas e é fundamental sermos mais consistentes nos jogos em casa!

Uma palavra também para a iniciativa da Liga Portuguesa Contra o Cancro, da qual o FC Porto também fez parte jogando com o equipamento alternativo. Que todas as pessoas deste mundo possam vencer esse adversário horrível que se chama cancro para aí obterem a vitória de uma vida!!!!

 

 

Força, FC Porto!

 

Hélder Rodrigues

 

 

Assim nasceu a palavra em Portugal. O golo surgiu no nosso vocabulário com a chegada do futebol ao nosso país. Na verdade, GOAL significa objectivo e esse traduz a essência do futebol. Objectivamente o FC Porto marcou dois objectivos ao Nacional. E do jogo desta jornada no Dragão emergiu a palavra objectividade. E assim jogaram os azuis e brancos. Foram mais verticais, mais assertivos e bem mais objectivos. Com efeito, sentem-se novas dinâmicas no jogo da equipa de Lopetegui que vai limando arestas. Foi QB, mas OK. Afinal de contas o "goal" principal do futebol é ganhar! Uma palavra de apreço para Danilo que fechou com chave de ouro uma semana de Dragão. Pinto da Costa parecia ter antevisto este golo. Neste particular, destaque-se a corrida desenfreada de Danilo mesmo quando o Quaresma cruza para o lado oposto. Danilo continuou a correr e acreditou conseguindo o seu prezado objectivo! Depois, o grande objectivo de Brahimi que, após um bailado estonteante, enviou um soberbo balázio a 97 km/h! Que grande jogador evolui no nosso campeonato! Existe também a palavra que provavelmente é a mais referida por muitos dos que pouco ou nada sabem da língua inglesa: o termo "offside". Porém, neste fim-de-semana, eis que nasce nesta roda viva do futebolês a palavra Post-Offside. Passo a explicar. O fiscal de linha está atrasado e não dá offside. Mas quando a bola entra na baliza marca aquilo que eu chamaria o Post-Offside ou posta à Mirandesa tendo em conta a área do juíz. Foi de facto mais um momento hilariante para os lados da Luz. Finalmente (com esta termino) uma justa observação para Paulo Fonseca. Apesar de tudo, consegue colocar o seu Paços à frente da equipa que segundo muitos é a que joga melhor futebol em Portugal. Mas das palavras aos actos objectivos há ainda uma grande distância! Força, Porto! Hélder Rodrigues

"Tetra" a um!

helderrod 27 Out 13

Grande! Este é o adjectivo que melhor qualifica este clássico. Um grande jogo de futebol que comprovou a força e a personalidade do Sporting. Na verdade, o Sporting foi a única equipa que jogou olhos nos olhos com o FC PORTO, o que comprova a inequívoca candidatura ao título. Parece até a única capaz de bater o pé ao Porto nas contas do título.

Mais do que as incipientes palavras do Bruno Carvalho, a equipa de Alvalade demonstrou em campo a maturidade de um grande.

E é por isso que considero que o FC Porto se agigantou. Cresceu, superou-se e afirmou toda a sua grandeza respondendo com muita potência a uma grande réplica. Por isso, nasce aqui o caminho para o "tetra" porque a força deste colectivo marcou a diferença, confirmando a solidariedade já plasmada na passada terça-feira. Hoje surge a confirmação da supremacia daquela que foi muito mais equipa e assim se encerra a análise: tetra a um candidato.

Parabéns aos Tricampeões Nacionais e parabéns ao Sporting pela bela exibição!

 

 

 

Hélder Rodrigues

Pesquisar

Pesquisar no Blog

  • Benfica

  • Porto

Últimos comentários

  • Anónimo

    hooligan não hooling

  • Anónimo

    o Jesus era o "rei" quando gozava com o Lopetegui.

  • Anónimo

    O hooling português não é apenas um membro daquela...

  • Sobolev

    A diferença é que no primeiro caso o problema é da...

  • Anónimo

    O clube pioneiro nos gabinetes de comunicação foi ...