Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

27
Abr21

O regresso dos jagunços

Dylan

jagunco.jpg

 

A agressão a um repórter de uma televisão num estádio em Moreira de Cónegos, feita por um empresário com ligações ao FC Porto, fez lembrar aqueles anos negros de 80 e 90, com intimidações e coações sobre jornalistas como Carlos Pinhão, Marinho Neves, Eugénio Queirós e Pedro Figueiredo. Recentemente, também Pedro Neves de Sousa, Valdemar Duarte, João Pedro Silva, Duarte Monteiro e outros profissionais da comunicação social, foram importunados fisicamente e verbalmente por jagunços disfarçados de directores de comunicação e assessores de imprensa. Não só o Ministério Público deve agir rapidamente, como as entidades que regem o futebol castigar os clubes envolvidos, frustrados com os maus resultados desportivos, sob pena de sermos conhecidos como um país de terceiro mundo.   

24
Dez20

De arrasar

Dylan

jeus.jpg

Creio que o estado de graça de Jorge Jesus como treinador do Benfica terminou, aliás, nunca verdadeiramente começou apesar de prometer "jogar o triplo" e de "arrasar", depois desta derrota na Supertaça Cândido de Oliveira. D'Arrasar era uma banda chunga dos anos 90, curiosamente com a mesma falta de qualidade deste grupo de atletas encarnados pagos a peso de ouro, pois aquilo que temos assistido é um arraso nas contas do clube, com gastos de quase 100 milhões no mercado para satisfazer os caprichos de um treinador que vive das glórias do passado. Numa época de pandemia mundial, onde muitos clubes arriscam a própria existência fruto da quebras de receitas da bilheteira, publicidade, patrocínios e dos direitos televisivos, o Benfica investiu, foi dos poucos que não cortou nos salários do plantel e mesmo assim recebe estes agradecimentos por parte dos seus profissionais. 

03
Mai20

O ópio do povo

Dylan

murais-de-parede-fundo-das-bolas-de-futebol-ilustr

Já era hora deste plano de desconfinamento ser aplicado mas não deixa de causar uma certa perplexidade o facto do futebol regressar no fim do mês, ainda para mais depois do cancelamento da Segunda Liga e das principais modalidades de pavilhão. O governo desconfina, o cidadão desconfia por pedirem para andar de máscara, para manter o distanciamento social de forma a reduzir a transmissão do coronavírus mas não compreende como se vai conseguir manter uma distância relativamente ao adversário no pontapé da bola. Enquanto vários eventos desportivos têm sido anulados por toda a Europa, os cientistas nacionais de bancada descobriram que o ópio do povo, o futebol, tem capacidade para purificar a saúde pública e eliminar este maldito vírus, mesmo pondo em risco a integridade física de todos os intervenientes deste espectáculo. 

28
Fev20

Brexit no futebol português

Dylan

1180877055_f.jpg

Em apenas dois dias, as quatro melhores equipas do futebol português foram eliminadas das competições europeias por adversários de segunda linha. Há que dar os parabéns a quem tornou possível esta espécie de "brexit" do futebol português, a sua saída limpa e a consequente entrada do país no grupo de Ligas do Terceiro Mundo. Felicitar os directores de comunicação dos clubes envolvidos pelo ódio que debitam diariamente, os seus presidentes sem cultura desportiva e os símios sem educação que ocupam as bancadas, congratular os mentecaptos que comentam nas dezenas de inúteis programas televisivos, as claques de malfeitores e os jornalistas que não sabem despir a camisola, parabenizar os chefes de família que se transformam em vândalos de fim-de-semana, os arruaceiros virtuais que ameaçam árbitros e alegrarmo-nos com a falta de coragem do Governo em actuar no desporto para acabar com tantos acontecimentos que atentam um Estado de Direito.

12
Dez19

O touro enraivecido

Dylan

Isto não é conversa para boi dormir pois segundo o treinador do Belenenses existe um touro enraivecido à solta e que dá socos lá para os lados do Estádio do Jamor. Esta nova espécie de bovino, pugilista e alucinado, já terá um historial de comportamentos agressivos à semelhança dos restantes ruminantes daquela conhecida ganadaria que costumam ser bravos, principalmente quando não ganham as corridas. Há quem não veja um boi à frente, mesmo com som e imagens televisivas e há quem queira transformar os corredores dos estádios de futebol num espectáculo tauromáquico de pegas.

23
Out19

Bandos de malfeitores

Dylan

tocha.jpgA decisão do presidente do Sporting em acabar com os apoios às claques do clube é um acto de coragem, farto de tanto parasitismo e intimidação. Algumas claques de futebol deixaram de ser um grupo de adeptos que apoia e acompanha a equipa para se tornarem numa seita de malfeitores pronta a obter proveitos financeiros do clube, onde o estilo de vida dos seus líderes não corresponde aos rendimentos declarados. Somente uma pequena parte dos seus elementos têm registo obrigatório, e apesar de ser sobejamente conhecida as suas actividades criminosas, têm prioridade sobre os outros sócios e adeptos em relação ao preço dos bilhetes para os jogos. Eu não sei se as claques deviam ser extintas, sei que o futebol  já existia e era mais puro antes destes bandos de mostrengos aparecerem. 

15
Set19

O logro

Dylan

estadios vazios.jpg

O futebol português parece querer voltar aos tempos em que os campeonatos eram "comprados em supermercados", palavras de um reputado treinador estrangeiro. Confesso que os árbitros contribuíram para este logro através de um VAR obsoleto, o manual de maus conselhos que ignora lances decisivos e altera a verdade desportiva. Admito que existe três grandes eucaliptos que secam o futebol em Portugal mas um tem raízes mais compridas do que os outros. Jogos que se prolongam depois da hora regulamentar à espera do golo ou do penalty decisivo e expulsões ao primeiro minuto de jogo é o recente exemplo dessa intrujice. O organizador da Liga também não ajuda ao marcar jogos para horários desajustados devido a compromissos televisivos e permite que o preço dos bilhetes seja de uma final da Champions League. Depois queixem-se que esta falta de credibilidade faça com que as assistências de alguns jogos dos campeonatos distritais sejam superiores aos da Primeira Liga!

08
Jul19

Os velhos do Restelo

Dylan

Velho_do_Restelo_(Columbano).jpg

As transferências que acontecem no mundo do futebol não deixam de causar perplexidade e até indignação devido aos seus números milionários, no entanto, a recente venda para o campeonato espanhol de um prodígio português de 19 anos devia deixar orgulhosos muitos portugueses porque é o reconhecimento da qualidade e do talento do jogador lusitano. Em vez disso, os velhos do Restelo, de Alvalade e das Antas, não compreendem, não encontram explicação racional para essa venda e declamam ressentimento. O "velho dos Lusíadas" chega a dar lugar a uma velha eurodeputada que questiona se isto não se trataria de um "negócio de lavandaria". Se Camões fosse vivo não percebia como se exalta por um Ronaldo e pelos seus feitos além fronteiras enquanto se demonstra animosidade por um  jovem que é transferido de forma épica à custa do seu trabalho e habilidade, nada que um bom medicamento com bicarbonato não resolva os problemas destes reaccionários.

30
Mai19

Estão a matar o desporto

Dylan

domingo.jpg

Agora que a temporada futebolística acabou exige-se fazer uma reflexão acerca dos motivos que levam a Liga Portuguesa a perder espectadores nos estádios cada época que passa. Creio que não será alheio o clima de talibanismo e a falta de cultura desportiva provocada pelo colapso educacional da família e da escola. Chefes de família que se transformam em vândalos de fim de semana, arruaceiros virtuais que ameaçam árbitros, atiçados por gabinetes de comunicação dos seus clubes, jornalistas que não sabem despir a camisola, suspeitas de aliciamento a jogadores, furto de documentação privada, caciques que misturam política com o futebol, dirigentes e treinadores com mau perder onde qualquer mentecapto comenta nas dezenas de inúteis programas televisivos. Esta gente mata o desporto, por isso tenho saudades dos anos 80 em que só havia o "Domingo Desportivo", de jornalistas como Gabriel Alves, Rui Tovar, Carlos Pinhão, da dupla que nos ensinava basquetebol, o Carlos Barroca e o Professor João Coutinho, o senhor atletismo, Jorge Lopes, e o senhor andebol, Fernando Pais.

23
Jan19

Futebol aVARiado

Dylan

var.jpg

O sistema do videoárbitro parecia ser uma ferramenta útil para credibilizar o futebol, para corrigir decisões erradas em momentos-chave do jogo ou em situações graves que tenham passado despercebidas à equipa de arbitragem. No entanto,  aquilo que vemos em Portugal, nomeadamente no último jogo entre o Benfica e o Porto, é um VAR imprestável, um manual de maus conselhos que ignora lances decisivos e altera a verdade desportiva. Alguém está condicionado, só assim se percebe como "aVARia" aquela gerigonça repleta de monitores em que o protocolo favorece sempre o mesmo. Faz lembrar tempos não muito distantes, da falta de coragem, a época em que os presidentes de clubes recebiam árbitros em casa para aconselhamento matrimonial.

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D