Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

20
Mar16

O líder e o chefe

Daniel João Santos

As afirmações de Jorge Jesus no final do jogo de ontem foram no mínimo arrogantes. É verdade que quem manda é o treinador, mas considerar que aquilo que os jogadores dizem ou pensam para ele valem zero é  triste. Sim, triste, muito triste para um treinador que afirma pertencer a um nível muito acima dos outros. Existe o chefe e o líder, sendo que Jorge Jesus se colocou como chefe. O chefe quer, pode e manda. O líder: ouve, escuta, lidera, vence e ganha homens/atletas. O líder fica na historia. O chefe como rodapé da estatística dos campeonatos. 

10
Jan16

Barros Kasparov VS Jorge Sousa: o de Jesus!

helderrod

Consumada que está a saída de Julen Lopetegui, há que virar página e crer na mudança. Se, para uns "quem muda Deus ajuda"; para outros que perdem ao intervalo muda o Jorge ajudando o Jesus. Tudo espiritual, portanto. Na verdade, o FC Porto que se apresentou no tumultuoso Estádio do Bessa esteve mais pragmático do que o costume. Não foi um golpe de Midas do grande Rui Barros, mas um ajustamento que Luís Freitas Lobo soube ler de forma superior na transmissão do jogo, designadamente no facto de não se obrigar, nem André, nem Herrera a ter que vir construir jogo atrás. Este facto, permitiu que Danilo fizesse lembrar um pouco o Fernando que varria tudo (na boa acepção da palavra) à frente da defesa. Este pormenor permitiu ao FC Porto chegar à área com muito mais jogadores do que o costume. Chapeaux para Barros que soube montar com perícia o seu xadrez na noite chuvosa de Janeiro. Mas o futebol é isto. Enquanto no Dragão não se marcam penalties favoráveis ao visitado, já em Guimarães se favorece o visitante e em Alvalade se inventam coisas. Hoje não houve Tonel para resolver. A coisa estava complicada e, com a ajuda do video-árbitro que Bruno de Carvalho tanto apregoa com o seu amiguito Rui Santos, foi possível vislumbrar uma mão além do aquém. E assim se fazem os campeões (relatavam na Antena 1). Sinto-me tentado a concordar. A roubar assim se fazem os campeões da primeira volta. Estou a registar tudo desde o Arouca-Sporting! Por essas e por outras é que alguns saem do Porto sem quaisquer títulos, quando durante uma ano e meio são apenas claramente favorecidos num célebre e repetido até à exaustão penalty da Choupana... Por falar nisso. Já temos jogo na Madeira? Aqui jaz mais um caso a rever no turbulento campeonato nacional! Talvez um coberto não seria má ideia! Que dizes, Machado? Força, Porto! Hélder Rodrigues

11
Dez15

Boas maneira, educação e afins

Daniel João Santos

Não vi o jogo do Sporting e estava agora aqui a apreciar as imagens de Jorge Jesus a "falar" com Raul José durante o encontro. Confesso, sendo eu benfiquista, que muitas vezes defendi Jorge Jesus ou não quis ver muita das idiotices que ele praticou. Acontece, que perante as imagens da forma "polida" como Jorge Jesus se dirigiu ao Raul José devido a um engano numa substituição, tenho agora a certeza, mais do que nunca, que estamos perante um grande treinador, mas perante um péssimo exemplar de pessoa.

27
Out15

Um erro histórico

Dylan

jasus.jpeg

Cada vez me convenço mais que a fuga de Jorge Jesus para Alvalade foi dos maiores erros históricos jamais tomados por uma Direcção do Benfica. Não que o "cérebro" não mereça o epíteto de Judas, pois vendeu-se à oferta mais alta do vizinho da Segunda Circular, não que não seja insubstituível, deselegante, mas o seu carisma e conhecimento do futebol é superior, em Portugal. Lembrou-se agora o Benfica de apostar na formação, talvez seja este o caminho para um clube sustentável, mas apostou tardiamente e de forma repentina, ao mesmo tempo que desinvestiu no plantel da equipa baixando a qualidade, sustentado por um treinador sofrível que deixou que os seus jogadores fossem afectados pelo clima de guerrilha verbal criado pelo presidente chefe de claque do Sporting.

03
Jul15

A Guerra dos Egos

Dylan

jorge_jesus_e_bruno_de_carvalho_lusa_miguel_a50547

A gala do 109º aniversário do Sporting serviu apenas para disfarçar a caça às bruxas, o clima de "paz podre" que se vive no clube. Começou com um treinador de futebol quase despedido a meio da época e acabou na contratação de um "messias", com o primeiro ainda em funções. Pelo meio de tanta abundância de dinheiro, a tentativa de processar sócios que escreveram na internet críticas ao desempenho do presidente, culminando na expulsão do associado Godinho Lopes. Um populista que apelida Manuel Fernandes do "pior funcionário da história do Sporting", que diz que "o futebol português é um ânus", que cria guerras com fundos de investimento, com jogadores, técnicos, funcionários, comunicação social e fomenta  o desrespeito pelos rivais. Já reservei o meu lugar na primeira fila, vai estrear o filme "A Guerra dos Egos", no cinema de Alvalade, tendo como intérpretes principais um novo treinador e um presidente-chefe de claque.

07
Jun15

Traição

Dylan

judas.jpg

A crença encarnada sabia que ele era o Messias, mas foram enganados, Jesus encarnou em Judas, e apesar de ter evitado ser seduzido pelo Diabo, desta vez deixou-se tentar por 6 milhões de moedas de prata. Os seus sermões e milagres levantaram multidões que o seguiam para todos os estádios, apesar de saberem que ele era verde por dentro, do tal "clube diferente", da "maior potência desportiva nacional" que de vez em quando gosta de surripiar o vizinho. O pai Vieira não merecia tal traição por dinheiro, ele que sempre lhe deu a mão e o ressuscitou quando muitos já o tinham crucificado. Apesar disso tenho a certeza de que a religião benfiquista continuará bem viva e os novos discípulos encontrarão a Luz.

04
Jun15

Nunca direi nada disso...

Eduardo Louro

Resultado de imagem para bruno de carvalho jorge jesus

 

No epicentro do terramoto que tomou conta da segunda circular está agora Marco Silva.  Porque, empurrado em Alvalade para a porta pequena, acaba por sair pela maior que por lá está. Uma porta tão grande que deixa ver tudo lá para dentro. Deixa ver o carácter de muita gente, em especial daqueles que, depois oito ou nove meses de perseguições e rasteiras, não hesitaram em humilhar o treinador que a tudo resistiu, e a tudo respondeu com enorme senso e profissionalismo, com um miserável processo disciplinar.

Mas também porque, como já toda a gente percebeu, passou a ser uma séria opção para o Benfica. Luís Filipe Vieira, num cenário – de compromisso ou não – em que Jorge Jesus seguia a sua vida em França, tinha tudo, ou se calhar mais ainda, apontado para Rui Vitória. Com Jorge Jesus a assinar com o Sporting – independentemente da (falta de) lisura com que fez tudo – tudo se altera. O que era a (correcta) posição de Luís Filipe Vieira de não afrontar o velho rival deixou de ter razão de ser.  Com Marco Silva na rua, e livre, não há razão nenhuma para que não seja uma opção alternativa, ou concorrente, com a de Rui Vitória. Antes pelo contrário. Mesmo sem atitudes revanchistas, que essas nem são próprias dos verdadeiramente grandes nem levam a lado nenhum.

Por isso não acho piada nenhuma às reacções do João Gabriel. Não acho graça nenhuma à ideia peregrina, que passou pela cabeça de alguém da Megastore, de retirar Jorge Jesus da fotografia do título.

Nem irei dizer, apesar de disso estar profundamente convencido, que o Bruno de Carvalho é definitivamente o Vale Azevedo do Sporting. Nem que as relações com Jorge Jesus resistam muito mais que um par de meses. E que ambos têm boas razões para desconfiar um do outro: nem é preciso que olhem para as costas de ninguém, basta-lhes olharem-se um ao outro…

Não. Nunca direi nada disso... E nunca, para nunca ser, crucificarei Jesus!

 

 

04
Jun15

Mudanças a mais!

Eduardo Louro

Não sei se o Benfica irá continuar a ganhar. Sei que o Benfica mudou de paradigma, e nessa circunstância percebe-se que Luís Filipe Vieira não tenha renovado o contrato com Jorge Jesus. Como se poderá perceber que tenha optado por Rui Vitória, nas antípodas do que já é o anterior treinador do Benfica. 

Uma coisa é certa: Jesus não saiu da Luz porque qualquer corda se tenha partido. Estou convencido que foi por convicção: a convicção de que o ciclo é agora outro. O problema é que este que acabou era de vitórias...

Também o Sporting estará a mudar de ciclo. E de paradigma. E talvez até Jesus esteja subitamente a mudar de princípios. Mas isso já não me interessa. São mudanças a mais!

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D