Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

04
Abr16

FC.Porto-Tondela: um hino à dislexia!

helderrod

Neste campeonato há claramente um antes e um depois de Lopetegui. Por muitos consócios que não estejam de acordo comigo, a verdade é a seguinte: depois da saída de Julen Lopetegui, o FC Porto perdeu 12 (DOZE) pontos e estamos agora a 9 pontos do primeiro.

Como tal, deixo aqui os meus parabéns aos seguidistas da dislexia de Manuel Serrão e de todos os que não descansaram enquanto o treinador Basco saísse.

Devem agora estar todos muito satisfeitos!

 

É óbvio que jamais poderemos comprovar essa situação. Mas tenho sérias dúvidas de que esta situação se estivesse a passar, caso o FCPorto não tivesse trocado de treinador! 

Aquilo que apelo é que não continuem a culpar o ex treinador do FCPorto pela Vergonha da noite de hoje e da atitude inqualificável da equipa técnica no jogo da segunda mão dos 16 avos de final frente ao Borussia de Dortmund, deixando os melhores jogadores no banco em pleno estádio do Dragão.

 

Hélder Rodrigues

14
Jan16

Se é para sofrer pelo Porto, vou já, mor!!!!!

helderrod

E assim se deu mais um passo nesta que é a prova rainha. Com menos mediatismo e espalhafato por razões óbvias, atinentes às ausências dos clubes da capital, hoje houve taça no Bessa. O Boavista e o senhor árbitro quiseram vender cara a derrota. Na verdade, ambas as equipas que jogaram contra o Porto nesta noite foram bastante competitivas. Cada uma delas sabia muito bem o que fazer, a saber: enquanto uns distribuíam molho, os outros deixavam passar a cacetada. Com uma impressionante dualidade de critérios o senhor árbitro permitiu imensas acções violentas dos jogadores axadrezados, enquanto que, quando o pachorrento Imbula meteu o pé, viu a sua paupérrima exibição ser premiada com vermelho directo? Vermelho directo, insisto! Esta ideia de que os pequenos são sempre prejudicados cai por terra. Há muitas situações nos últimos tempos que têm passado pelos pingos da chuva, sendo o caso mais flagrante a vergonhosa exibição da equipa de arbitragem no jogo Porto-Rio Ave que permitiu que passassem impunes pelo menos duas grandes penalidades favoráveis ao Porto. Este facto permitiu a perda de pontos que poderão ser muito importantes para o desfecho do campeonato. Tudo isso passa incólume nos programas de diversão desportiva de domingo e segundas à noite. Aliás, o Manuel Serrão que tanto criticou Lopetegui, não tem lugar nem na Benfica TV quanto mais na TVI. É um flopserrão que deixa passar tudo. Nem sequer teve a dignidade de trazer à colação um penalty existente em Alvalade aos 15 minutos (já depois do de Corona), quando Adrian dá mão na área após um remate de Brahimi. Convido-os a ver esse lance que nem sequer mereceu destaque nos jornais e programas televisivos, mas agora há uma linha que separa a cultura da ignorância com a possibilidade de rebobinar factos. Mas voltando ao jogo jogado. O Porto desta noite esteve um bocadinho aquém e, apesar das bolas no ferro, a equipa precisa de fazer mais e melhor na cidade berço. Com um Helton brilhante que foi capaz de se redimir de um erro clamoroso, defendendo um penalty, a equipa foi capaz de regressar às meias finais da competição, sem recorrer a horas extra pouco adequadas para um jogo à noite. Venha de lá esse galo! Finalmente, uma palavra para Julen Lopetegui cujo foi capaz de se despedir com elevação dos adeptos portistas e de todos os seus colaboradores. Caiu por terra a alegação instrumentalizada dos pasquins propagandísticos que falavam em renitência quanto ao encerramento do acordo. Foi uma saída com nível! Parabéns ao FCP e, se for para sofrer por ti, vou já, mor! Hélder Rodrigues

18
Abr15

O Golo Que Vai No Bolso

helderrod

Numa importante jornada que antecede a visita à Luz, o FC Porto fez nove alterações para receber a Académica e isso notou-se ainda que ligeiramente no desempenho na equipa.

O Rotategui aplicado neste jogo que podia e devia ter sido adiado, tendo em conta a dimensão que o FC Porto está a dar ao futebol português não está a ser digna de reconhecimento. Aliás, na minha opinião, esta Federação não é digna de representar o grande FCP. 

Na celebração dos 33 anos magistrais de Pinto da Costa aos 33 minutos de jogo, pensei que é ali junto aos seus adeptos o lugar onde ele merece o reconhecimento de ser o dirigente com mais títulos no Mundo. 

Quanto ao jogo propriamente dito, fica para a história a vantagem magra e um saber a pouco após a miríade de oportunidades criadas pelos dragões. Aliás, parabéns ao Cristiano que foi o melhor elemento da Académica uma vez que defendeu quase tudo o que havia para defender. Assim o tivesse feito noutros palcos...

Do lado do Porto, Hernâni nome de craque, nome de um grande portista que, esteja onde estiver, estará orgulhoso da caminhada do clube do seu coração, conseguiu marcar e revelar que tem potencial para impor qualidade aliada à sua velocidade estonteante. Ainda embalado pelo impacto dos 50092 adeptos da Champions, o extremo do Porto foi o MVP com toda a justiça.

Para o fim ficou a entrada de Jackson que, recordando a similitude do lance com o do golo de Juari em 1987, optou por guardar esse golo no bolso para Munique. Fez bem. Fez bem porque a esperança e a expectativa são imensas para chegarmos às meias-finais da Champions. Para tal, há que saber sofrer na próxima terça-feira e com muito critério superar o orgulho ferido dos bávaros. Será importantíssimo marcar em Munique.

Entretanto na próxima terça de manhã ligarei ao JJ para que ele me diga o resultado. 

Força, Porto!

Wir werden gewinnen!

P.S. Um apelo à Antena 1 para abulir a completamente inusitada tradução simultânea nas conferências de Lopetegui (LO-PE-TE-GUI para os mais pategos). É efectivamente uma redundância dispensável.

Hélder Rodrigues 

11
Abr15

Schritt für Schritt Sem Desistir

helderrod

Com mais uma jornada disputada fica tudo à moda de Abrantes. Nada de novo: o rolo folclórico compressado pelo livre arbítrio de penalties assinalados, outros por assinalar, de golos miseravelmente anulados, cuja gravidade é do tamanho do Chile ou se quiserem do Colo-colo....enfim.

Contudo, há aqui uma novidade. Maxi viu o quinto amarelo, quase como compensando a potativa ausência do Jesus Rosa! Lá caiu um santo....

Quanto ao FC Porto que em vésperas da recepção ao Bayern de Munique para os quartos de final da Champions arrancou uma boa exibição no difícil e ventoso terreno vilacondense, pudemos constatar no decorrer do jogo o tão propalado estofo de campeão. Após um inacreditável juizo do quarto árbitro num golo claro de Brahimi (espero que não seja necessária a golaverage para decidir o campeão), o FC Porto entrou determinado e fortíssimo na primeira parte, gerindo os esforços na segunda parte com um "rotategui" astuto e eficaz.

Com efeito, Julen Lopetegui, vulgo LO-PE-TE-GUI para os mais pategos, esteve muito bem nas opções e na gestão do jogo não permitindo que o Rio Ave crescesse na zona central do meio-campo. Nota-se que o treinador Basco conhece muito bem as equipas e o futebol português até porque, ao contrário de algumas teorias, Lopetegui está por terras invictas há muito mais tempo do que alguns pensam.

Assim, numa perspectiva holística a vitória do FC Porto foi muito importante para

que, fazendo jus ao título deste post, passo a passo sem descolar seja possível aquistar mais um título. Está difícil até porque aqueles que clamam pela justiça do financiamento não se eximem a furtar golos...mantém-se o espírito atávico de outros tempos. Mas falta pouco para o 25 de Abril.....

Para quarta-feira espera-se uma casa cheia de esperança e de força para encher do orgulho a  "multidão num gritode todos nós". 

Força, Porto!

Wir werder gewinnen!!!!!

Irabazi egingo dugu!!!!
Hélder Rodrigues


 

07
Abr15

A " Manita " itxaropena eta sinesmen osoa

helderrod

Cinco golos sem resposta foram a reacção mais desejada após uma semana insular terrível. O cenário dantesco tipo wishful thinking da maioria dos opinadores que já fazem questões com valor acrescentado sobre a eventual saída de Lopetegui parece ter amenizado. Na verdade, esta vitória deveria ter sido inteiramente dedicada ao treinador Basco, que sentiu na pele o que é ser treinador à Porto e do Porto. Foi uma semana em que o desrespeito evidenciado pela miríade dos pareceres nos diferentes canais de informação ganhou uma proporção inaceitável. Desde um"comediante" a um "Basco que veio por aí abaixo", a um "espanhol que chega aí e pensa que eram tudo favas contadas", entre outras enormidades pedia-se um grito de revolta. Aí esta ele. O FC Porto não desarma e igualando a golaverage, estando a dois golos da centena prova-se a resiliência e força portistas. É com esta abnegação com que todos esses que sofrem podem contar. Para além da gloriosa epopeia que nos traz nos Picos da Europa, o grande Porto está aí para bater o pé. Assim, nos Arcos procuraremos fazer o contrário do nosso rival. É que ao contrário do que se esqueceu nesta semana o SLB perdeu em Vila do Conde. Também esteve a ganhar como o Porto na Madeira e depois também perderam 2-1 como o Porto na Madeira. Mas isso parece ter-se esfumado para não desanimar a onda vermelha, mas houve quem se lembrasse aos 74 minutos com claros assobios de insegurança. Posto isto, Lopetegui! Esta manita é para ti! Força! O FC Porto está contigo! 

Hori esanda, Lopetegui ! Manita hau zuretzat da! Force ! Porto zurekin da !

Hélder Rodrigues
13
Fev15

Inspiración / Espiración adelgazante na vitória!

helderrod

O acto de inspirar e expirar pelo nariz traduz-se pela respiração do ser humano. E como qualquer ser humano há momentos melhores e momentos piores. O jogo do FC Porto contra o Vitória de Guimarães enforma esta realidade sob vários prismas. Após uma semana de gripe e constipações de alguns jogadores, no desafio de hoje o Porto teve uma primeira parte inspirada na qual foram criadas imensas oportunidades que podiam ter fechado o jogo mais cedo. Para além do golo de um quase regressado Brahimi na sua plenitude, a equipa podia ter encarado com maior serenidade a segunda parte.

No segundo tempo, os jogadores estiveram mais expirados do que inspirados. Muitas vezes castigados pela dureza vimaranense, da qual a expulsão de Cafu me parece inequívoca, os protagonistas mantiveram a magreza da vitória que valeu igualmente três pontos importantes das quatro jornadas consecutivas de extrema importância para os intentos do Dragão.

Uma palavra para a acuidade do senhor árbitro que no meio de tanta pantufada conseguiu dar amarelo exactamente aos três jogadores que estavam em risco, designadamente Danilo, Alex Sandro e Casemiro. Na mouche, senhor árbitro! Foi olho de falcão!!!!

No dia da vitória mais magra no Dragão soube bem o cuidado com a linha. Até porque o chocolate suiço é per si uma perdição. 

Porém, o chocolate só poderá surgir quando trouxermos uma vitória de Basileia. Inspirem-se no espírito da grande dimensão europeia do FCP (atestada esta semana por Wenger), respirando futebol por todos os poros e não só pelo nariz!

Força, Porto!

Hélder Rodrigues.

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D