Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

08
Jan14

Luto na Luz, Instruções de Uso

joshua

Sinceramente, a melhor homenagem que se pode prestar ao Rei no próximo clássico é um jogo excepcional e leal. Do meu FC Porto só espero uma coisa: espírito de conquista, afinco, e a heroicidade eusebiana de um ou dois jogadores. Aposto todas as minhas fichas em Kelvin logo de início porque quanto a mim ele tem tido aquele quid de génio e imprevisibilidade positiva que marcaram o Rei e, por Hércules, é mesmo isso que queremos que nos encante nos relvados.

 

Acerca da minha insistência numa aposta pedagógica, formativa, de titularidade habitual em Kelvin, já o venho feito desde há largos meses. Depois de este jovem jogador ter eusebionado o último clássico, tendo, no fundo, decidido um título, espero que me eusebionasme neste e assim sucessivamente.

23
Dez13

Duas Jóias, Dois Craques

joshua

Finalmente, temos uma estrela com brilho superior no Relvado. Carlos Eduardo. Desde o início da época, atravessamos jogos e mais jogos sem que se sentisse no campo um coração e uma alma que pautassem o jogo conforme os mais sólidos princípios da criatividade e do domínio, sempre presentes nos génios que já tivemos, Moutinho, Deco e outros. Não havia um craque a mandar ali. Problema resolvido? Só na constância. Fogachos há muitos. 

 

Outro problema que avultava na equipa era a falta de um irreverente, um repentista no jogo. A Kelvin, por quem eu tenho suspirado para titular, oportunidades vão sendo concedidas e já mostra desequilíbrios, prometendo desenhos fulminantes para jogadas de golo.

 

Em suma, dois jogadores, duas jóias, dois craques, surgem só agora em pleno brilho e absoluta utilidade, a criar a capa do carisma, da coragem e da missão. Constantes, de preferência, para crescerem na responsabilidade de assumirem o peso da nossa camisola. Por onde andavam? E por que nem sequer constaram à partida da lista dos inscritos na UEFA?!

 

Tudo teria sido diferente na Liga dos Campeões, carago! 

04
Dez13

O Medo da Genialidade

joshua

E eu que tanto tenho escrito sobre isto, sobre a desertificação da genialidade e da magia no meu FC Porto, pela exclusão de Kelvin, Iturbe, Quintero e Atsu:

 

«O que mais me preocupa não é a derrota contra a Académica, não são os sete pontos perdidos em três jornadas, nem a quase certa eliminação da Champions. Não, o que mais preocupa é o afastamento ou desmoralização de jovens talentos a quem treinadores como Vítor Pereira ou Paulo Fonseca, por medo ou incompetência, não são capazes de valorizar: Atsu, Iturbe, Kelvin, Quintero, etc. É a aposta num futebol de clube pequeno, cheio de cautelas defensivas, desprovido de extremos e autoregalado com números imensos de inútil posse de bola, que afasta o público dos estádios e faz do jogo da equipa um aborrecimento sem fim. E é, sobretudo, a progressiva destruição de um espírito de revolta, de conquista, de orgulho, que, mesmo nos piores momentos, fazia a diferença no FC Porto e atemorizava os adversários. E isso, que esteve notavelmente ausente no jogo de Coimbra e que é intolerável para os adeptos, foi o que desencadeou o tristíssimo episódio do ataque ao autocarro do próprio clube. O FC Porto de Paulo Fonseca, de tão evidentemente mau que é, acabou por instalar um clima de guerra civil dentro do clube: de um lado, os adeptos, que sabem o que é bom futebol e sabem que não tem nada a ver com isto; do outro, a sua SAD e o seu presidente, que não querem, ou não podem, perder a face, admitindo o óbvio.»

 

Miguel Sousa Tavares

25
Nov13

Alguém Brilha no Relvado?

joshua

Quando Moutinho ainda era nosso, brilhava quase sempre. Brilhar, para ele, era e é ser regular e eficaz como um relógio. Estar em todo o lado. Dar tudo por tudo. E hoje? Quem, no nosso plantel, brilha de modo igualmente pendular, previsível, pulmunar?! Quem pontua e dá solidez ao nosso meio-campo? Quem blinda a defesa? Quem rasga as alas e desbarata as energias dos laterais?! Ninguém. Ninguém convincente e regular.

 

Não haverá uma estrela pronta a saltar do banco para comer a relva e semear magia? Alguém acima da mediania?! Penso em Kelvin e em Quintero. Penso, mas vejo pouco, poucos minutos ou nenhuns.

 

Alguém hoje brilha a grande altura no relvado do Dragão, edição 2013-2014?! Não. Infelizmente, não. 

05
Nov13

Transparência

joshua

Os clubes grandes do Sul sempre foram amplamente escrutinados no plano mediático e sobre cada um deles recaíu um manto espesso de ficção e de caos, sobretudo nas últimas três décadas: tal como na novela Carrilho vs. Bárbara, sempre soubemos demasiado acerca de esses clubes. O FC Porto, pelo contrário, encontrou no hermetismo informativo uma grande arma de coesão. A grande questão que coloco é se num momento em que o FC Porto se agiganta no mundo enquanto marca e referência não joga precisamente contra essa expansão natural a cultura hermética seguida até aqui. 

 

Espero que não, se ganhar permanecer a regra. Se deixar de ser, talvez o silêncio sob estresse e tensão, sob acossamento mediático, deva ser revisto, democratizando aquele tipo de informação cusca e íntima de balneário que explica desaparecimentos em acção, como o de Kelvin, ou eclipses totais, como o de Marat Nailevich Izmaylov.

25
Out13

Espaço K [Kelvin]

joshua

Não é preciso muito para mitificar um jogador, no FC Porto. Gomes, Futre, Jardel, Deco, Kelvin, pensar neles é recordar instantaneamente golpes de asa, golos, vitórias, momentos mágicos. Porém, jogadores como Kelvin ou Quintero têm de ser guardados, embebidos na cultura da maturidade, da paciência, forjados no caldo da responsabilidade, preparados. Só depois é que se largam a voar, superada a loucura, o intempestivo, o fogacho, o instinto mercenário. Kelvin está lá e já lá está, a aprender a ser Porto. Não há pressas em lapidar um diamante. A pressa é inimiga do Belo. Mais ainda do Belo Consistente.

02
Out13

Ontem Pensei em Kelvin

joshua

Pensei em Kelvin porque apesar de ter visto sinais muito positivos de controlo de jogo, intensidade e vontade, não vi um só jogador de ruptura, um repentista e inconformado, qualquer coisa que só Kelvin revelou, no ano passado, sempre que pôde. [Já sei que nem sequer está inscrito na Liga dos Campeões. Azar do clube: mas, ao contrário da indulgência tóxica do SLB com Cardozo, há maus comportamentos que no FC Porto nunca passam sem castigo exemplar e pesado.]

 

Ontem doeu. Doeu tal como me doerá ver hoje o SLB a enfardar um par ou dois sob o poderio multimilionário do PSG. Dir-se-ia que neste meu Porto versão Paulo Fonseca ninguém é verdadeiramente perigoso no um-contra-um, no último terço. Quintero precisa de crescer até à estatura de um Deco. Oxalá lá chegue. Quase toda a equipa está para amadurecer nos embates internacionais de uma Liga dos Campeões. Ontem, tivemos um jogo magnífico num ritmo excepcional, só faltou pontuar. Deslumbrar fica para mais tarde.

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D