Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

26
Out14

Uma Mão Cheia de Esperança

helderrod

Após uma complicada viagem a Arouca enformada por curvas bem vincadas, que não são para todos, o FC Porto traz na bagagem três pontos, cinco golos e uma mão cheia de esperança. Este jogo valeu mais do que o essencial. Houve também a aquisição do acessório, designadamente na consistência e na consolidação daquilo que se quer com uma verdadeira equipa. O pontapé de saída já fora dado na Liga dos Campeões na excelente primeira parte e na coroação de Quaresma. Iniciada a mesma, venham agora mais 40 jogos e sempre a ganhar. Tudo começa a fazer mais sentido e tudo começa a ser mais significativo para o desiderato azul e branco. Assim deixem o assobio para quando os donos dos autocarros decidirem esconderem a bola do poderio atacante. Deixem os lenços receberem com mestria e espessa porcaria verde que ainda por aí e pugnem pela vitória. O resto virá por acréscimo até podermos afirmar a plenos pulmões: - Adeus tikitaka! Seja bem-vindo, rotategui azul e branco! Força, Porto! Hélder Rodrigues

22
Out14

Volare em Grande!

helderrod

No jogo desta noite no Dragão enformou-se um ambiente fabuloso. Uma grande noite europeia num jogo bastante competitivo em que um Athletic (é assim que eles gostam de ser denominados) conseguiu resistir à posse do FC Porto. Regista-se a bela entrada da equipa na primeira parte, na qual um potente Tello e um Quintero dinâmico levaram o Porto para a frente e, numa bela jogada que deve ficar plasmada nos livros, conseguiu dar um golo que se espera motivador para Herrera. O grande Porto parecia ter regressado, mas no início da segunda parte a equipa sofreu um pouco e caiu no erro e surgiram os inacreditáveis assobios. Pensei que não tivesse que voltar a falar dos mesmos...mas não vou falar mesmo. Merecem apenas o meu silêncio porque me recuso a assobiar aquele grandioso emblema. Ignoremos... Há efectivamente uma série de erros a rever, mas hoje vi uma evolução e isso é positivo! Depois, depois a magia. A força irreverente de Quaresma que partiu determinado de fora para dentro para voar. O seu golo é enorme e bem maior que a unidade que representa. O sete deu-nos a chegada aos sete pontos, por volta dos SETEnta e cinco minutos. O passado já lá vai e olhemos para a frente. Aguarda-nos uma curvilínea viagem a Arouca onde se pretende esta alegria e fundamentalmente esta magia para lutarmos pelos três pontos. Assim, mesmo que outros joguem em Aveiro, nós possamos garantir o triunfo. Uma palavra também para o regresso dos calimeros. É caso para perguntar: custa, não custa? É que nos dois últimos jogos do Porto em Alvalade ninguém quis enfatizar as influências da arbitragem...Rui Santos fala até na injustiça por causa dos milhões e, apesar do Sporting ter razões de queixa apenas no penalty (até porque o mesmo jogador fez penalty no jogo do Dragão para a Taça e quase passou despercebido), o mesmo não releva que o jogo de Alvalade do ano passado poderia ter determinado o segundo lugar do Porto (aí já não falou dos milhões). Esta ambivalente e asquerosa forma de emitir opiniões sobre o futebol tem de ser alvo de uma pura reflexão,,, Entretanto partamos para o trabalho que outras vitórias nos esperam! Força, Porto! Hélder Rodrigues

18
Out14

Cuidado com as imitações....e rotações!

helderrod

Há dias assim. Hoje tudo correu mal e os erros foram daqueles de "morte súbita". No jogo de hoje houve taça, mas o gigante não tombou. Já entrou tombado...Por isso, nada como uma boa musiquinha para esquecer. No regresso a casa, cantava um tema de Sérgio Godinho (supracitado no título) e o mesmo não surgiu por acaso. Fica aqui a sugestão musical. 

Com efeito, o meio campo pura e simplesmente não funcionou e, cuidado Casemiro, cuidado com as imitações. Por vezes jogar feio é mesmo bonito! Tudo se complicou a partir do momento em que o Sporting desfaz de imediato o empate. Estávamos a poucos minutos do final da primeira parte e o empate ao intervalo seria mais justo. Porém, importa adir que a rotação emperrou no dia hoje. É claríssimo que Quaresma merecia ter jogado neste clássico. Motivado pelas exibições na seleção, o extremo português tinha tudo para brilhar e para empurrar a equipa para a frente. Todavia ficou o Lopez que esteve muito aquém no jogo de hoje, falhando imensos passes com adornos inusitados e desenquadrados. Isto não é rotação. A rotação implica, na minha opinião, a inclusão daqueles que apresentam melhores condições para serem bem sucedidos. Apesar de acreditar e muito neste treinador até porque (como dizia um amigo à hora de jantar) não há treinador que consiga contrariar tanto falhanço junto, hoje correu mal. Houve taça, mas relembro o gigante não tombou. Espero que regresso cheio de força na próxima terça-feira para retomar o hábito no Dragão, designadamente o de jogar bom futebol.

Contudo, importa referir que a euforia desta gente leonina é compreensível. Que o diga o Atlético....

Assim, continuarei a ouvir a musiquinha do Sérgio deixando-vos aqui algumas palavras de Camilo Castelo Branco: "Os dias prósperos não vêm por acaso. Nascem de muita fadiga e muitos intervalos de desalento."

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

20
Mar14

De Pedroso ao Âmago do Vesúvio...

helderrod

E das cinzas nasceu muita coisa na noite de Nápoles. A teimosa lassidez da equipa técnica anterior foi substituída pela dinâmica do homem do jogo: Luís Castro. 

Na verdade, foi aí que o nexo de causualidade se enformou. A causa: a confiança do treinador que mexe magistralmente de uma forma activa no jogo e transmite essa injecção de força. O efeito: a galvanização dos atletas e da classe associada às irreverências de Ghilas e Quaresma, não esquecendo um Josué que entrou brilhantemente na equipa.

Foi um Porto de experiência europeia que esteve perto de ser a primeira equipa portuguesa a vencer em Nápoles.

Depois de um fado traçado pelo fatalismo dos ideólogos do futebol, tudo quase se inverteu nesta jornada europeia. Mas é exactamente isto que me agrada. É o facto de atestar que contra o pessimismo tendencioso, fomos soberbos nesta noite épica que viu as suas origens num pequeno estádio em Pedroso com Fabiano, Ricardo, Reyes e, claro está, Luís Castro que foi verdadeiramente um timoneiro na conquista do Vesúvio, explodindo num vulcão dragoniano.

Renasce da cinza uma base fértil para o que ainda temos para ganhar!

 

 

 

Deixo aqui também um sincero abraço ao Rosado que seguro da sua franqueza foi acreditando no apuramento do Nápoles ate ao final do jogo.

 

 

Força, Porto! Tenho um orgulho imenso da tua GRANDEZA!

 

 

Hélder Rodrigues

20
Fev14

Erros nossos, Má fortuna e olhar para a frente!!!!!

helderrod

Em tempos idos, o Werder Bremen (nenhuma das equipas enunciadas por Paulo Fonseca) esteve nas Antas e quase conseguiu um empate nos últimos minutos. Até a luz se apagou. Porém, fomos a Bremen e demos 5 sem resposta, estivemos em Hamburgo com chapa 3 e em Gelsenkirchen fomos Campeões Europeus.

Assim não podemos ser pessimistas quanto à ida a Frankfurt. Certamente irão jogar mais à frente e o Quaresma poderá dar uma trivelada na eliminatória ou quiçá Jackson Martinez conseguirá concretizar os golos que não conseguiu hoje!

Se isto não acontecer, pode ser que consigamos um golito à Benfica (em fora-de-jogo) para todos vibrarmos com a Verdade Desportiva!

 

 

Força, Porto! Confiança.

 

 

Wir werden gewinnen!

 

 

Hélder Rodrigues

20
Fev14

Quaresma Vai Marcar

joshua

Pré-convocado para um particular da Selecção a 5 de Março, Quaresma, caso alinhe hoje, vai sentir uma acrescida motivação para brilhar e vai marcar. Há momentos numa equipa em que o egoísmo competitivo de um só jogador pode repercutir-se em milagres exibicionais do colectivo e até em aumento de número de golos marcados. Na desconsoladora Liga Europa, o FC Porto precisa exalar algum do velho perfume. Por favor...

19
Jan14

8000007 razões para acreditar.

helderrod

Oito milhões é um número significativo que marca a passagem de adeptos pelo estádio do Dragão e as alegrias de lá advindas foram bem maiores do que as parcas tristezas que deixam alguns um pouco tontos de si. E é nessa perspectiva que devemos continuar a acreditar que a alegria irá prevalecer nas Antas. Deu-se hoje o primeiro passo para partirmos para o triunfo ante este ensaio sobre a cegueira. Acredito cega e convictamente que vamos ser campeões, porque nem sempre o Benfica poderá marcar golos em offside e nem sempre o Adrien poderá ficar em campo após tanta agressividade.

Depois, falta falar desse cabalístico número 7. Esse Quaresma que respira futebol e tem o dom de parar o Dragão por sete segundos como no jogo de hoje. A classe está lá e permanece intacta. Basta apurar a condição física para que o nosso Rapaz de Ouro (RQ7) possa catapultar o FC PORTO para o triunfo.

Para concluir, resta-me apenas lamentar o facto de Manuel Serrão não ter visto os golos de Varela e Carlos Eduardo. Ele que tire a venda dos olhos porque muitos golos virão!

 

ForÇa, Porto!

 

Hélder Rodrigues

03
Mar12

O Que Portugal Deve ao Sporting

joshua

Há que dizer isto com frontalidade: um dos maiores paradoxos da transição do século XX para o XXI é o de ter sido o Sporting a segregar os maiores futebolistas em números e qualidade [Figo, Cristiano, Quaresma, Simão, Moutinho...] com evidente impacto global, portanto mediático, portanto económico e estar hoje a lutar pelo quarto lugar, tendo recuado de promover pacientemente outros jovens com potencial futebolístico semelhante. Para além disso, 370 milhões de passivo exigem sobre o relvado uma raiva e uma garra que agarrem públicos e rocem títulos ou os conquistem. Sá, com todos os defeitos do sangue ao ebulir a baixa temperatura, não tem saída. Entretanto, o pragmatismo do FC Porto, ainda que nos dê títulos, não nos dá quase nenhuma referência nacional, o que é mau. «'Por qué?

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D