Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

22
Nov16

Os Cavaleiros da Dinamarca

helderrod

Hoje foi noite de Champions na Dinamarca e o FC Porto escorregou na possibilidade de ter assegurado desde logo a sua presença nos oitavos de final.

Na verdade, o terreno não estava fácil. Aliás importa informar os leitores de que esta equipa já não perde há 34 jogos e ainda não sofreu golos no seu reduto (facto pouco relevado pelos nossos jornalistas, mas já lá vamos.).

A primeira parte foi equilibrada e o FCP teve dificuldades em chegar à baliza, tendo apenas feito o primeiro remate aos 42 minutos. Nessa fase, destacaram-se os centrais do FCP, mormente o Felipe que esteve muito bem em todo o jogo. 

Porém, o melhor ficou reservado para a segunda parte e a supremacia na posse de bola caiu para o lado do Porto. Houve imensas oportunidades para marcar, mas mais uma vez verificou-se alguma carência de esclarecimento na concretização. A este facto não será alheio o posicionamento do André Silva. Muitas vezes o excelente avançado do FCP anda por terrenos que não deviam ser os dele, chegando não raras vezes em perda no momento da concretização. É sintomático o facto de André Silva ter sido o segundo jogador a correr mais na equipa, ficando apenas atrás de Oliver. Penso que este factor deverá ser tido em conta pela equipa técnica. Os avançados não podem correr tanto. Eles devem estar no coração da área. 

Importa igualmente destacar a exibição de Corona que lutou incessantemente no decorrer do jogo, talvez motivado pela titularidade que tanto merece. Foi efectivamente o MVP deste jogo.

Fica aqui um sabor amargo neste empate que deixa tudo para a recepção ao Leicester no Dragão. Será importante jogar para a vitória com mais critério e talvez com outros intervenientes. É importante usarmos todos os ovos à nossa disposição para fazer boas omeletes. 

No percurso europeu, estes Cavaleiros da Dinamarca não querem ficar por aqui e querem parar noutros destinos nesta Champions à semelhança da personagem de Sophia de Mello Breyner Andresen (ver foto).

Queria apenas deixar aqui um pequeno recado aos senhores jornalistas "portofóbicos", que parecem querer desvalorizar os adversários do Porto na Champions. Hugo Gilberto menorizou este Copenhaga, tal como Rui Pedro Braz, mas importa lembrar que o Brugge foi campeão da Bélgica (país em retoma na Europa do futebol) e a Dinamarca já assumiu o estatuto de Campeões Europeus, tal como nós. Enfim...

Para além destes, temos ainda outro douto jornalista chamado Rui Santos que foi capaz de afirmar no seu programa que o Sporting CP esteve bem nesta edição da Champions. Relembro os mais desatentos que a equipa de Alvalade já vai na quarta derrota nesta competição. 

Em suma, não deixa de ser curioso o facto de não ter falado da arbitragem. Eu gosto mesmo muito de falar de futebol. Valha-nos a Champions League. 

 

Agora há que apontar o foco para Belém para continuarmos na luta pelo campeonato!

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

P.S. Parabéns ao nosso grande Bibota de Ouro Fernando Gomes pelo seu sexagésimo aniversário!

cavaleiro-da-dinamarca-5-728.jpg

 

22
Out16

Carta Aberta à SIC Noticias

helderrod

CARTA ABERTA À SIC NOTÍCIAS Exmos. Senhores, Sou admirador do canal supracitado atendendo ao facto do mesmo ter introduzido em Portugal um conceito inovador, no que à transmissão permanente de notícias diz respeito! Todavia, é com profunda tristeza, frustração e espanto que atesto um galopante paradigma da perda de qualidade da Sic Notícias. Não obstante a respeitabilidade que todas as opiniões merecem, parece-me excessiva a constante perseguição obsessiva ao Futebol Clube do Porto, plasmada na soliloquial crónica de Rui Santos no programa Tempo Extra. Com efeito, princípios como a imparcialidade e o rigor jornalísticos são constantemente feridos de morte. Não é de todo aceitável que, num canal cujo propósito não tem índole clubística, ver-se a permanente insinuação contra a respeitável instituição Futebol Clube do Porto, visando a pessoa de Pinto da Costa. Tal como dizem no programa Tempo Extra "a sua opinião conta" permitam-me o reparo. Nem todas as opiniões contam. Estou há um ano impedido de comentar no Facebook do programa referido, porque pura e simplesmente questiono a seriedade e a acuidade de alguns comentários aí exarados. Porém, nunca fui esclarecido de tal impedimento. Nunca usei o vernáculo, nem insultei nenhuma pessoa. Apenas cultivo o usufruto do direito ao contraditório. Solicito que considerem este procedimento a bem da liberdade de expressão e da natureza impoluta da Sic Notícias! Penso que está na hora de acabar com esta xenofobia de índole antiportista! Gostava de ser superiormente esclarecido, tendo em conta a idoneidade de Vossas Excelências! Atentamente e ao dispor Hélder Rodrigues.

10
Jan16

Barros Kasparov VS Jorge Sousa: o de Jesus!

helderrod

Consumada que está a saída de Julen Lopetegui, há que virar página e crer na mudança. Se, para uns "quem muda Deus ajuda"; para outros que perdem ao intervalo muda o Jorge ajudando o Jesus. Tudo espiritual, portanto. Na verdade, o FC Porto que se apresentou no tumultuoso Estádio do Bessa esteve mais pragmático do que o costume. Não foi um golpe de Midas do grande Rui Barros, mas um ajustamento que Luís Freitas Lobo soube ler de forma superior na transmissão do jogo, designadamente no facto de não se obrigar, nem André, nem Herrera a ter que vir construir jogo atrás. Este facto, permitiu que Danilo fizesse lembrar um pouco o Fernando que varria tudo (na boa acepção da palavra) à frente da defesa. Este pormenor permitiu ao FC Porto chegar à área com muito mais jogadores do que o costume. Chapeaux para Barros que soube montar com perícia o seu xadrez na noite chuvosa de Janeiro. Mas o futebol é isto. Enquanto no Dragão não se marcam penalties favoráveis ao visitado, já em Guimarães se favorece o visitante e em Alvalade se inventam coisas. Hoje não houve Tonel para resolver. A coisa estava complicada e, com a ajuda do video-árbitro que Bruno de Carvalho tanto apregoa com o seu amiguito Rui Santos, foi possível vislumbrar uma mão além do aquém. E assim se fazem os campeões (relatavam na Antena 1). Sinto-me tentado a concordar. A roubar assim se fazem os campeões da primeira volta. Estou a registar tudo desde o Arouca-Sporting! Por essas e por outras é que alguns saem do Porto sem quaisquer títulos, quando durante uma ano e meio são apenas claramente favorecidos num célebre e repetido até à exaustão penalty da Choupana... Por falar nisso. Já temos jogo na Madeira? Aqui jaz mais um caso a rever no turbulento campeonato nacional! Talvez um coberto não seria má ideia! Que dizes, Machado? Força, Porto! Hélder Rodrigues

11
Mai15

A xenofobia e a bola!

helderrod

Na conferência de imprensa que se seguiu ao Porto-Gil Vicente, Julen Lopetegui explodiu para verbalizar o seu grito de revolta perante a profunda injustiça de que a sua pessoa e a sua equipa têm sido alvo. Se por um lado foi claramente óbvia a empatia perpetrada pelos árbitros em função das necessidades benfiquistas, por outro houve na quase maioria (daí a referência aos 90%) dos opinadores e jornalistas que encetaram uma campanha anti-Lopetegui. Muitos deles são aqueles que se insurgiram energicamente contra a permanente agressividade da imprensa espanhola a José Mourinho, quando este parava por Madrid. Com efeito, basta verem um programa Contra-Golpe em que o Manuel Queiroz e Joaquim Sousa Martins são impotentes para parar aquela avalanche antilopeteguiana. Ou verem Rui Santos no seu programa Tempo Extra, cujo solilóquio mais parece um tratado antilopetegui. Aliás devo adir que eu (Hélder Rodrigues) continuo a ser impedido de fazer comentários pela gestão da página do Tempo Extra no facebook (parece a censura de outros tempos). Depois é ouvir a raiva interior de Octávio Machado na CMTV que dispara contra o FCPorto como ninguém. Tudo isto para não falar da Bola TV, designadamente no programa Quinta da Bola em que se pretende menorizar tudo o que os azuis e brancos fazem. Enfim. Mas o que é mais grave é vermos pessoas responsáveis como João Gabriel e Rui Gomes da Silva que têm a clara consciência do "seguidismo" que desencadeiam nos benfiquistas menos informados continuarem a alimentar a xenofobia e a repulsa perante um imigrante. Lopetegui tem toda a razão no que dizia. Ainda hoje no Jornal de Desporto da Antena 1 das 18:30, dão tempo de antena a António Figueiredo (antigo presidente do Estoril que mudou um jogo da equipa que presidia para o Algarve cujo opositor se tratava do seu Benfica) que insultou o treinador Basco do Porto, chamando-o canário, papagaio e trocando-lhe propositadamente o nome. Nesse mesmo programa não houve a intervenção de ninguém a exercer o direito de resposta nesse mesmo jornal de desporto! Isso na minha opinião está já a ter consequências graves no país. Trocar propositadamente as vogais de um nome da pessoa, chamar-lhe o Basco e coisas do género não me parece a solução mais adequada perante uma sociedade que passa pelas dificuldades que todos sabemos. Chegou a altura de todos pararem para pensar na responsabilidade e nas consequências daquilo que dizem. Ninguém merece ser vilipendiado desta forma. Deixem lá isso! Pois a continuar assim qualquer dia o Pai Le Pen diz-se benfiquista e vem para Portugal formar um Partido! Pensem nisso! Hélder Rodrigues

03
Mai15

Há Sempre Alguém Que Resiste

helderrod

Acreditar! Trata-se de um verbo fundamental neste fenómeno futebolístico. É isso que o FC Porto deve fazer perante a forma desesperada como a generalidade dos media e dos comentadores têm procurado achincalhar a pessoa de Lopetegui. Volto a reiterar que à boleia do futebol se esteja aqui a gerar a ideia de que é porreiro vilipendiar um trabalhador estrangeiro, vulgo imigrante. A juventude não está a receber um bom exemplo. É preciso ter elevação. É preciso perceber que é possível criticar sem pôr em causa a idoneidade e a identidade de quem quer que seja. Lopetegui (LO-PE-TE-GUI para os mais pategos) foi capaz de estar 12 jogos sem perder na Champions, arrancando uma portentosa exibição contra o Bayern na primeira mão dos QUARTOS DE FINAL, perdeu por muitos em Munique, mas talvez se houvesse mais seriedade Neuer, Bernat e Boateng não jogariam na segunda mão; Badstuber entra de pés juntos a Quaresma ainda na primeira parte e leva apenas um amarelo quando deveria ser expulso. Ainda haveria uma segunda parte bem diferente em Munique. Lopetegui esteve no Mundial de 94 defendendo as cores espanholas; Lopetegui tem com a sua equipa deste ano a defesa menos batida dos últimos vinte anos de FCP (nada mau para quem segundo alguns não percebe nada de mística e de futebol português); Lopetegui está (apesar de todas as vezes em que o Benfica foi levado ao colo e o Porto ter sido prejudicado em Guimarães, no Estoril e até em Alvalade nos últimos minutos quando Maurício dá mão na grande área ante um remate de Jackson) apenas a três pontos de um Benfica enrascado, apesar de ter saído aprioristicamente da Europa e Taça de Portugal em casa com um Braga que deu a volta na Luz! Lopetegui merece inequivocamente ficar no Dragão porque foi capaz de bater o pé ao egocentrismo de um JJ provocador. A nomeação de Capela foi hilariante e, apesar dos cinco golos, aconselho vivamente a analisarem mais devagarinho a falta de Luisão (as coisas passam depressa na televisão quanto a esse lance). Assim foi também na Luz com a BTV em que Luisão põe a mão na cabeça, no ombro e na camisola de Jackson. Inclusivamente Rui Santos cometeu a proeza de dizer que Luisão "toca mas não puxa". Mas o mais interessante foi terem ignorado que Fejsa deveria ter sido expulso na Luz contra o Porto. Nem falaram. Enfim é o desespero....Já o Danilo foi impedido de jogar hoje em Setúbal apesar de nem falta ter feito na Luz. No programa Contragolpe, os senhores comentadores passam cerca de uma hora a atacar Lopetegui. Aliás, o programa deveria chamar-se Contralopetegui. Há lá um senhor de nome de Paramés que, apesar de se dizer do Braga, mais parece o Diabo de Gaia a palrar contra o FCP. Digo tudo isto porque nestes momentos ainda me apraz ser mais portista. É aqui que atesto a sua GRANDEZA efectiva. O Porto é o melhor clube português dos últimos trinta anos. A ansiedade de JJ que almeja ser bicampeão não é mais do que a proeza alcançada por Vítor Pereira. A potativa hegemonia do Benfica reduz-se à possibilidade de igualarem o feito do actual treinador do Olympiakos. O que devo dizer como conclusão neste post é que "há sempre alguém que resiste" e que, mesmo que não ganhemos o campeonato há algo que deve ficar registado para memória futura: CAMPEONATO FURTADO NÃO PODE SER HOMOLOGADO! Força, Porto! Hélder Rodrigues

16
Abr15

WUNDERBAR

helderrod

Maravilhosa. Assim foi a noite de gala no Estádio do Dragão. Com 50092 espectadores quase todos pintando a casa de azul e branco escrevendo a frase "Road to Berlin". E é isso mesmo. Demonstrámos ter estofo de campeões...EUROPEUS! Esta casa habitua-nos a plasmar a superior evidência de sermos de longe a melhor equipa portuguesa. A força incessante da equipa foi sublime, mesmo com um árbitro muito indisciplinado na aplicação da lei que levou um Neuer ao colo para a segunda mão uma vez que a sua opção penalizou o FC Porto não só para o que restava do jogo, mas para toda a eliminatória. Contudo, uma palavra para esta grande equipa que sabe estar acima de toda a arrogância da maioria da imprensa e da televisão. Sabe estar acima de alucinações de comentadores que tentam menorizar aquilo que é maior. Aliás deixo aqui um desafio ao senhor Carlos Daniel para fazer uma nova estimativa, tendo em conta os 20% das hipóteses atribuídas ao FC Porto perante um Domingos impaciente no programa Grande Área da RTP Informação. Uma palavra para LOPETEGUI (LO-PE-TE-GUI, para os mais pategos), que apesar da permanente sobranceria do chauvinismo antiporto, mantém a equipa em grande rendimento nas frentes que realmente interessam (apesar dos coeficientes filosofados por Rui Santos). O treinador basco tem vindo a revelar uma enorme capacidade de leitura no jogo e parece estarmos a colher os frutos do tal rotategui tantas vezes criticado. Posto isto, é com um imenso orgulho que escrevo estas palavras, porque durante as minhas 36 primaveras este clube já me deu tanto, mas tanto que dispenso quaisquer lirismos para procurar engrandecer aquilo que efectiva e palpavelmente já é imenso: o meu FC PORTO que hoje me deu mais uma grande alegria, mais uma vitória categórica aos bávaros que nunca tinham perdido em solo luso. E assim fazemos a história com factos e com argumentos de momentos sublimes. Obrigado por me fazeres tão feliz, FC Porto! Força, Porto!!!!! Hélder Rodrigues

26
Mar15

O Estofo insustentado e a Amnésia dos Santos

helderrod

Após o agitado fim-de-semana pude assistir a diversos fenómenos que evidenciam a ginástica mental dos comentadores. Vamos lá reflectir sobre alguns casos flagrantes: Rodolfo faz um discurso solene que espoletou vários sorrisos inflamados ao Rui Santos e restantes participantes no programa. Era vê-los a vibrar com a referência do comentador associado ao FC Porto que afirmou que a equipa não tem "estofo" de campeão. É lamentável ver um velho capitão pactuar com um alinhamento antiportista que nem sequer promoveu a referência ao facto da presença dos Dragões nos quartos de final da Champions. Ribeiro Cristóvão enxovalhou o Porto na Bola Branca das 22:30, dizendo que só por muita sorte não perderam na Choupana! Esqueceu-se de referir as bolas no ferro e a excelente exibição do guardião Gotardi. Mas esse tem um desconto.... No programa Grande Área, Manuel José e os seus pares desencadearam uma miríade de factores para menorizar o treinador do Porto e a equipa. Todos eles ignoraram as bolas nos ferro do FC Porto (nunca foram referidas no programa); destacaram-se apenas as duas oportunidades do Nacional. Apesar da minha insistência na participação interactiva, as minhas questões sobre o lance de Quaresma na grande área do Nacional nunca foram referidas. Há algo que sai sempre ferido com esta onda vermelha. Chama-se verdade. Omitem-se ocorrências, critica-se deliberadamente Julen Lopetegui, apresentando-se laivos de chauvinismo nunca antes vistos com outros treinadores estrangeiros no futebol português. Criticam o treinador Basco por reproduzir palavras após orientações do clube. Mas esses críticos esquecem-se de que o Presidente do Clube que parece que até ganhou este fim-de-semana necessita inexoravelmente de um papelinho para dizer duas ou três frases com algum nexo. Em suma, este PORTO tem estofo de campeão, tem um grande treinador, tem a hipótese de ganhar apenas por 2-0 porque a golaverage está bastante aproximada, uma vez que basta uma goleada caseira para ultrapassar o SLB. Este PORTO que, apesar de uma exibição menos conseguida, mandou duas bolas aos ferros da baliza de Gotardi que fez uma excelente exibição. Espero que não venham agora anunciar que o Benfica também estará interessado neste guarda-redes, tal como fizeram com o guardião do Arouca. Falaram tanto na gastroenterite de Tiago Rodrigues que até se esqueceram de reflectir sobre a bárbara entrada de Pizzi sobre Ukra que lhe daria vermelho directo. É comparar essa entrada à de Maicon no jogo contra o Boavista. E o que ainda é mais hilariante é a omissão da análise do lance em que Quaresma é claramente empurrado antes de sair das quatro linhas aos 86 minutos. Talvez aí todos se lembrariam de que o BENFICA PERDEU e o Porto ganhou mais um pontinho quando em Paços de Ferreira a equipa da Luz poderia distanciar-se até ao 9 pontos. Por isso um conselho: Mais vale ser dono do silêncio do que vítima das palavras. Assim o foi no passado recente. Assim poderá ser no futuro, porque acredito muito no estofo do melhor clube em Portugal: o FUTEBOL CLUBE DO PORTO!!!! Hélder Rodrigues

24
Mar14

Os Santos, os labregos e o Palácio de Belém

helderrod

Nos programas desportivos podemos esperar tudo, mas ontem bateu-se o RECORD do discurso gravemente tendencioso. No meu post anterior, referi a persistência de João Rosado em exaltar a sorte do Porto, o azar do Nápoles e aquela esperançazinha até ao último momento da queda do clube do norte. A evidência é triste, mas é real.

Ontem, perante um douto António Oliveira, o grande avançado Manuel Fernandes enfatizou o facto de que a televisão dos labregos deve ser diferente da emissão de Sarilhos, reduzindo a exibição do FC Porto a um fraco desempenho por parte da equipa azul e branca. Depois, Rui Santos que voltou a reiterar a sorte do FC Porto na eliminatória com o Nápoles. Esqueceu-se de referir o golo mal anulado ao Porto que nos daria uma vantagem bem mais confortável. Esqueceu-se de enfatizar, isso sim, o penalty por assinalar a favor do Tottenham ou o fora de jogo na Grécia que deu a vantagem forasteira da Luz ou até da forma como o Rodrigo faz falta na obtenção do primeiro golo ante a Académica.

Não quero pôr em causa a força do SLB, mas o meu Porto atacou incessantemente perante um autocarro, duas torres e um Palácio de Belém. Marcou um golo limpo na primeira parte, não viu assinalada uma grande penalidade sobre Jackson Martinez e ainda assim no meio daquela esmagadora pressão surgem opiniões como esta.

Opiniões reprováveis e dignas não de um Play-off mas de um redondo e imenso offside na festa da segunda circular.

 

Posso ser labrego, mas não sou parvo!!!!

 

Hélder Rodrigues

 

28
Fev14

Alfa 3a3 com um cheirinho a Sevilha

helderrod

Sou um "alfista" confesso e aquele mítico emblema levou-me a recear que alguém mais nervoso se lembrasse de dizer que jogaram em Milão...mas não. Apesar daquele grande 2-3 em San Siro ser inspirador nas recordações para este jogo, há também neste jogo um cherinho na estoicidade de Sevilha...

A alma portista cresceu no segundo tempo e nem um árbitro mal amanhado, nem uma defesa sobre brasas foi capaz de bater a perseverança deste dragão de orgulho ferido.

Hoje transcreveu-se no futebol aquela história do velho burro que fora atirado ao poço e que com a terra acumulada para o enterrar lá obteve a base para voltar sair do mesmo. Muita terrinha atiraram esta semana ou mesmo logo após o empate no Dragão. O Porto já estava arrumado, morto e enterrado nesta Liga Europa. Mas afinal os da Liga do Pé Coxinho como o Rui Santos tanto gosta de dizer tiveram muita pedalada para estes alemães que até descansaram na pausa de Inverno. Foi uma vitória imensa.

Porém, tal como o Alfa que é conhecido pelo carro das duas alegrias: a de quando se compra e a de quando se consegue vender, espero que este Porto seja apenas a alegria una, uma vez que a permanência de Paulo Fonseca foi hoje legitimada. Espero que os fantasmas tenham ficado em Leverkusen, ou em Dortmund, ou em Munique, ou mesmo em Estugarda, vulgo RTP, para que da cidade berço ao Vesúvio este Porto nos possa presentear com a beleza daquele bailado de Sevilha e nos deixe acreditar de novo naquela mui nobre e Invicta "naçom" denominada por FC PORTO!

 

 

Viva a irreverência, viva a perseverança, vivam os profetas da desgraça alheia. Viva o FCP!!!!!

 

Hélder Rodrigues 

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D