Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

12
Dez19

O touro enraivecido

Dylan

Isto não é conversa para boi dormir pois segundo o treinador do Belenenses existe um touro enraivecido à solta e que dá socos lá para os lados do Estádio do Jamor. Esta nova espécie de bovino, pugilista e alucinado, já terá um historial de comportamentos agressivos à semelhança dos restantes ruminantes daquela conhecida ganadaria que costumam ser bravos, principalmente quando não ganham as corridas. Há quem não veja um boi à frente, mesmo com som e imagens televisivas e há quem queira transformar os corredores dos estádios de futebol num espectáculo tauromáquico de pegas.

23
Set18

Mentirosos

Eduardo Louro

Imagem relacionada

 

Resultados mentirosos sempre houve, no futebol. Mas este de hoje, em Setúbal, é daqueles que mentem com os dentes todos.

E que também se explica por, de um lado, ter estado um guarda-redes que defendeu tudo e, do outro, um que não defendeu nada. Mas também por (mais) uma arbitragem das antigas, daquelas que não enganam.

Quem não viu, poderá não acreditar. Mas o Porto rematou à baliza duas vezes, e fez dois golos. Na segunda parte, a ganhar por 1-0, estacionou o autocarro à frente de Casillas, que passou o jogo todo a queimar tempo (e só levou amarelo aos 83 minutos) e não teve outro futebol que não fosse pontapé para a frente. Quando defendia o 1-0 com unhas, dentes, e muito anti-jogo, o guarda-redes do Vitória conseguiu deixar entrar na baliza uma bola  rematada de um livre a 40 metros da baliza. 

E quem ouviu o Sérgio Conceição, também não. A culpa foi do relvado e, a arbitragem, que ainda a primeira parte não ia a meio não expulsou o impune Felipe (pontapé por trás no Heriberto, isolado, a entrar na área, direitinho à baliza e com a bola controlada) e, entre outras pequenas coisas, anulou ao Vitória o golo que seria do empate, foi excelente.  

Nem sei quem foi mais mentiroso: se o resultado, se o treinador do Porto.

05
Abr18

Olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço

Dylan

olhar.jpg

Alguém diga ao treinador do FC Porto para terminar com "este clima de suspeição sobre os jogadores" que tanto o incomoda, tem que dar o exemplo. Num jogo com o Tondela, acusou a  agressividade dos beirões em comparação com a passividade frente ao Benfica. Pode-se também deslocar à Senhora da Hora, no canal do clube, e mandar calar o director de comunicação que lança desconfianças sobre todos os agentes do futebol, acabando por arruinar o próprio negócio. Por outro lado, é ridículo ver o presidente do Sporting sentado na Assembleia da República, na "casa da democracia", quando está farto de atacar a comunicação social, censurando jornais, televisões, rádios, discursando sobre "violência vs valores", quando é o próprio a instigar o ódio, lembrando um incendiário a dar aulas a um bombeiro. Estas personagens são como o ditado: olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço.

13
Jan16

Sem pressas

Eduardo Louro

 

Mantêm-se altas as expectaivas sobre o novo treinador do Porto, que  demorou uma semana para fazer as contas com Lopetegui, que não perdoou um cêntimo. Uma coisa se percebe: o Porto não tem pressa!

Até domingo não há pressa nenhuma. É apenas tempo de ir alimentando a short list dos candidatos, cada vez mais short e cada vez mais com o nome de Sérgio Conceição. Cada dia mais favorito. Até domingo, como é fácil de entender...      

14
Mar15

Coisas estranhas

Eduardo Louro

 

Não admira que observadores do fenómeno do futebol tenham reparado na forma macia, há quem diga subserviente, como o Braga defrontou o Porto, há uma semana. Não admira que a muita gente tenha ficado convencida que o Braga jogou em poupança. Poupando jogadores para o jogo seguinte, muito mais importante. Poupando-os fisicamente e popupando a improváveis cartões amarelos muitos jogadores que estavam em risco de ficar de fora. E sabe-se como a intensidade posta no jogo desgasta fisicamente. E como faz aumentar o risco de entradas mais próximas da penalização disciplinar...

Não admira que o Sérgio Conceição se revolte contra essa gente, e grite nas conferências de imprensa que não admite isso a ninguém, como já gritara há uns meses atrás, por ninguém lhe dar o mérito que ele acha que tem. Não admira que o Sérgio, um rapaz com escola, ignore que este comportamento bracarense nos jogos com os do Porto não é novidade nenhuma. Que tem história...  São muitos anos... E que, com recurso aos velhos métodos da escola, aproveite a circunstância para mobilizar as suas tropas. O que, prova-o também a história, não é tarefa difícil. Até porque - diz-se por aí - o presidente Salvador, á última da hora, triplicou o valor do prémio de vitória!

Não admira que o Braga - o presidente, o treinador, os jogadores e os adeptos - queiram ganhar ao Benfica. E que tudo faça para que não haja duas sem três. Isso é que é competir!

O que admira é que tenha sido o próprio presidente Salvador a dizer em frente às câmaras, logo que terminou o jogo com o Porto, que os jogadores iriam fazer tudo, mas tudo, para ganhar o próximo jogo. Ora isto quer simplesmente dizer que, naquele, não o tinham feito... E isso, Sérgio Conceição não admite a ninguém!

06
Out14

Uma conferência de imprensa exemplar

Eduardo Louro

Depois de três vitórias consecutivas nas três primeiras jornadas do campeonato, três empates consecutivos. Ao primeiro, Lopetegui atribuiu culpas ao árbitro. Quem não chora não mama, e ao segundo repetiu a dose. Mamou Benquerença, que costuma dar jeito, mas nem assim evitou o terceiro... E Lopetegui continuou, como se de um disco riscado se tratasse. Só que agora com um reforço de peso: Pinto da Costa chegou-se também à frente.

E pronto, lá teve que chegar a vez de Pedro Proença!

E para quem acha que não é nada assim que as coisas funcionam, aí está a conferência de imprensa depois do jogo do Dragão a explicar tudo bem explicadinho. Uma conferência de imprensa exemplar, é para isso, para explicar tudo bem explicadinho, que devem servir. E não para queixas de arbitragem...

Lopetegui desta vez não falou do árbitro, falou só do jogo para dizer que aquele era um jogo chave, que há muito tinha assinsalado no calendário: um jogo de alto risco, depois de um jogo da champions e antes da paragem para as selecções... E Sérgio Conceição não conseguiu deixar de falar no árbitro, para dizer que Pedro Proença não tinha tido coragem de assinalar o penalti ao minuto 92, e que sabia bem que é muito difícil um árbitro marcar um penalti contra o Porto no Dragão...

Não tenho dúvidas que Sérgio Conceição sabe do que fala. Só tenho de o corrigir no problema da coragem. Quando a Pedro Proença falta nuns casos a coragem que lhe sobra noutros, o problema não é certamente a coragem! 

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D