Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

23
Ago16

Porto e Pavia. Tudo se fez num dia!

helderrod

PRICELESS. Não tem preço a noite europeia do FCPorto. Para lá dos milhões e das contas do fair-play de que muitos vão falar, o jogo de hoje transcendeu os valores materiais. Emergiu o valor da crença num jogo muito complicado que se tornou fácil. Tornou-se mais fácil porque, desta feita, houve um árbitro que cumpriu as regras disciplinares num jogo europeu. As claras e inequívocas expulsões foram importantes num momento em que o FC Porto já vencia e pretendia racionalizar o resultado. 

Esta vitória teve igualmente o dom de calar as profecias da desgraça e poderá catapultar a equipa para grandes voos.

Todavia, apesar deste dia memorável há ainda muito fazer numa equipa que carece de afinações nos diferentes sectores do terreno. Se eu pudesse, trazia já no avião de regresso o Nainggolan para vestir de azul e branco...

Espero que o Maxi consiga suprir a lesão rapidamente, para que possa contribuir para a uma vitória na visita a Alvalade que, embora bastante apriorística, vem em boa altura considerando o resultado desta noite.

O Dragão está de regresso! 

Parabéns a todos! 

Força, Porto! #euqueroéganhar

 

Hélder Rodrigues

29
Abr14

Uefa ou Fífia? Uma questão de equidade....

helderrod

Acho tudo muito bonito, mas fale-se também da mão de Vata nas meias-finais, fale-se do golo em fora-de-jogo do Lima na Grécia, fale-se no penalty não assinalado a favor do Tottenham na Luz, fale-se na agressão de Perez como um penalty por marcar. Fale-se no golo anulado ao Porto no Porto-Nápoles, fale-se do penalty oferecido ao Sevilha, fale-se do quarto golo irregular do Sevilha que ganha a bola com a mão dando origem ao golo. Fale-se de tudo isso para serem imparciais.

Joguem à bola!

 

 

 

 

Hélder Rodrigues

29
Abr14

Respect

Eduardo Louro

Não sei o que irá acontecer na próxima quinta-feira em Turim, onde o Benfica retribui a visita da passada quinta-feira da Juventus, num jogo com vista para a final da Liga Europa. Literalmente, porque é mesmo ali, em Turim, no Del Alpi, que se irá realizar. Mas sei que o que já está a acontecer …

A Juventus de Platini, la vechia signora, que em português se traduziria por puta sabida, com uma história tão salpicada de glória quanto de batota, queixou-se à UEFA de Platini de uma atitude de Enzo Perez no jogo de Lisboa. Não se queixou da provocação do Chielini, que induziu o argentino do Benfica àquela reacção. Nem da arbitragem do senhor que veio da Turquia para, às ordens do Sr Platini, começar, logo na Luz, a afastar o Benfica da final.

A UEFA de Platini, contra todas as rotinas, antecipando-se a tudo o que é a sua prática corrente, antecipando a reunião de avaliação da queixa e deixando apenas 24 horas para o Benfica apresentar a defesa, tudo está a fazer para dar provimento à queixa italiana, e impedir a utilização do fundamental Enzo Perez.

Não sei o que irá acontecer. Mas sei que Platini teve a lata e o descaramento de anunciar publicamente que gostava de ver a equipa italiana na final. Que, se o Benfica atingir e ganhar a final, Portugal garante o terceiro lugar no ranking europeu, justamente por troca com a Itália. Que Platini tem atrás de si, em impunidade total, um largo rasto de batota. Que nem sequer esconde que usa arbitrária e mafiosamente o poder. Que as cúpulas dirigentes do futebol europeu e mundial há muito trocaram a independência e a transparência pelos interesses obscuros, pelo negócio torpe e pela corrupção. Que Platini e Blatter, como antes Avelange, são tudo menos gente respeitável...

Gente que, atrás de campanhas de fair playrepect ou no to racism, conspira permanentemente contra todos os valores da verdade. Gente que come a banana, mas que lança a casca para o chão!

07
Nov13

Dá-lhe GÁS...PROMovam a consistência...

helderrod

Dizia-me um Dragão de Caracas que tinha muita fé na equipa para o jogo com o Zenit. Durante os primeiros minutos e enquanto via a mancha branca sobre a grande área russa pensava na confirmação do optimismo apresentando. Mas depois tudo cai numa falha difícil de entender entre o sector defensivo e o Helton...Fica a sensação de que a expulsão de Herrera no jogo do Dragão deu um GÁS extra à despenalização de Witsel que, indubitavelmente, marca a diferença nesta equipa. E são estas as gaseificações que esfumam a alegria e a esperança de um plantel que merecia estar melhor classificado no seu grupo. O poderio apresentado no Dragão, quer com o Atlético de Madrid, quer com o Zenit até aos últimos minutos de cada jogo deixa-nos um amargo de boca nesta Liga dos Campeões. Um golo irregular, uma expulsão prematura de um conluio de italianos, uma despenalização em cima do joelho parecem demonstrar a vontade da UEFA em continuar a contar com um dos seus principais patrocinadores nos oitavos de final. Eis o tal Gás...para PROMover os milhões da Liga dos Campeões.

Por outro lado, a tristeza do Cha Cha Cha em campo. A assertividade que o caracteriza parece estar a ser ameaçada por essas vicissitudes mercantis e isso condiciona muito o meu FC Porto. É certo que muitas vezes ele se vê forçado a recuar, mas noutros tempos Jackson recuava com mais alegria e vigor. A ver vamos em Guimarães. Vestidos de azul e branco como manda a lei, temos uma hipótese de dar um murro na mesa e catapultar-nos para a consistência que é a nossa imagem de marca.

 

Força, Porto!!!!!

 

 

 

Hélder Rodrigues

 

 

 

30
Out13

Blatter, Portugal, Europa, Mundo

joshua

Ao longo dos anos, FC Porto, outras equipas nacionais, e Mourinho têm tido manifestas razões de queixa da UEFA. Ronaldo começa a ter razões de queixa grossas da FIFA, com o último deslize tresloucado e parcial de Blatter, que certamente não foi por acaso, mas corresponde a uma cultura ociosa e satírica de cúpula.

 

Há, notoriamente, um lóbi anti-português nesses dois organismos pela simples razão da inveja e da escala. Para efeitos europeus, a escala portuguesa parece desprezível e fazem-nos o desfavor de no-lo darem bastas vezes a entender, e muito mais nestes tempos de egoísmo e salve-se-quem-puderismo europeu.

 

No entanto, para efeitos do grande balanço histórico e da grande inveja entre as nações europeias relativamente a Portugal por causa da sua influência linguística, cultural e mesmo por causa da nossa expressão demográfica, não no rectângulo, mas no resto do mundo, Portugal e o enorme continente de afectos português têm um peso cada vez mais não desprezível nos espaços materiais e imateriais do Planeta, coisa que a França não tem, a Bélgica não tem, a Alemanha não tem, e muitos outros países europeus poderosos e ricos, manifestamente não têm nem terão.

 

Isso e um legado secular fora da Europa, no Oriente, em África, na América, na Oceania, ou seja, virtualmente em todo o lado porque estar em todo o lado sempre foi e continua a ser eminentemente português. Era preciso que tais países tivessem sido e feito, nos séculos passados, o que Portugal, Espanha e Reino Unido fizeram de ímpar no Planeta, sobretudo Portugal, atendendo às suas dimensões, e nenhum outro Povo pôde ou soube.

 

Posto isto, que a UEFA, a FIFA e todos os invejosos e desprezivos de Portugal se fodam e façam bom proveito.

09
Out13

Estupidez

joshua

Não pode haver maior forma de imbecilidade e indigência que expor o Futebol Português, em matérias resolúveis entre cavalheiros, às instâncias europeias do Futebol. A AFL comporta-se mariquescamente e confunde a sua estratégia de luta pela hegemonia e controlo do futebol nacional com tiros no pé e partes de fraco no olhar externo sobre o produto "futebol português". Se para a AFL tudo é uma questão de política e nada é futebol os clubes da Capital, mormente o choramingas SLB, nunca mais sairão da cepa torta. Espero que o FC Porto responda à altura com mais um título nacional e prestações prestigiantes na Europa. É o mínimo.

27
Jun12

EURO 2012 (XXIV) - Convicção e suspeição

Eduardo Louro

Tinha aqui dito quando escrevia sobre o jogo Itália – Inglaterra, que apurou os transalpinos para as meias-finais deste euro, que Pedro Proença regressaria a casa, depois de mais uma brilhante actuação para a imprensa e comentadores portugueses, mas de nada disso do meu ponto de vista.

Normal seria que assim fosse, que tivesse regressado para umas férias que eu desejaria fossem inspectivas e de auto crítica, na perspectiva de preparar uma nova época em que se esforçasse por ser isento e competente, mas que seriam certamente de deslumbramento e de reforço do seu sentido de parcialidade que lhe acentuarão a sua vocação, natural ou trabalhada, para interferir activamente nas decisões do títulos indígenas. A selecção nacional está envolvida na discussão deste campeonato da Europa e o normal, repito, seria que, independentemente dos juízos que a UEFA e os jornalistas e comentadores nacionais façam da sua competência, ele estivesse naturalmente impedido de arbitrar qualquer dos três jogos que faltam.

Surpreendentemente, ficou! E, com o inglês Howard Webb e com o italiano Nicola Rizzoli, forma o trio de árbitros de prevenção para a final…

O que quer isto dizer?

Simplesmente que, para a UEFA, a hipótese de uma final entre a Itália e Portugal nem sequer se coloca. Quer dizer que o Sr Platini tem a forte convicção que a final é mesmo entre a Alemanha e a Espanha. Que o seu desejo é uma ordem!

Aumentam por isso as razões para a suspeição levantada com a nomeação do turco Cuneyt Çakir para o jogo de hoje com a Espanha. As ligações deste árbitro a Angel Villar - o eterno patrão do futebol espanhol e manobrador mor na UEFA –, neste contexto, cobrem esta nomeação de suspeitas.

Por mim, tenho a forte convicção que há motivo de suspeição. Tão forte como a que tenho que a selecção nacional, daqui a poucas horas, vai conseguir ganhar à Espanha, ao árbitro turco, à UEFA e ao Sr Platini!

 

06
Abr12

Apreensões Comuns

joshua

Estou em completa em sintonia com as razões para algum orgulho do Daniel. Perante um Chelsea menor e menorizado, o SLB foi esbulhado pelas arbitragens, para lá de minudências analíticas. E estou em sintonia com as suas dúvidas bem como com as do Ricardo: para além da embirração do sistema platinista com as equipas portuguesas [não podemos esquecer os desabafos do francês acerca do que pensa das nossas equipas para além da desculpa queixosa com o excesso de sul-americanos], tivemos esta época a materialização objectiva dessa embirração. FC Porto sentiu-a, por muito que tenha pago caro inesperadas fragilidades próprias nesta edição da Liga dos Campeões, e sentiu-a logo a começar na Supertaça Europeia, onde também foi empurrado para baixo. Sport Lisboa e Benfica acaba de sentir o mesmo ferrão tendencioso de arbitragens manifestamente platinistas, isto é, absolutamente tendenciosas, pelo que é de temer o que o platinismo terá na manga para o Sporting Clube de Portugal de Sá Pinto. É bom que nos preparemos para tudo. Isto já não é só o Sporting. É Portugal que precisa de uma nova vitória sonante, de um título erguido na porra do Continente. Isto não pode ser só andarmos a morder revoltas.

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D