Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

Dia de Clássico

Visto da bancada Sul

25
Fev20

Mareguistas

Dylan

image.jpg

Este histerismo em volta do suposto episódio racista sobre um jogador de futebol foi tanto que várias estátuas da cidade do Porto escorreram lágrimas azuis. Só lamento que no meio de tantos indignados não se tenha dado idêntico destaque com casos semelhantes no passado e outras tantas carpideiras não se lembrem quando foi a última vez que fizeram piadas pretensamente engraçadas com negros, ciganos e judeus.  A sociedade portuguesa não é racista nem xenófoba mas devemos combater diariamente qualquer forma de discriminação com base no preconceito e não esperar pelo mediatismo dos "mareguistas" de ocasião, empolados pelos pedantes da comunicação e das redes sociais. 

04
Jan16

"Lopetegui será um espirro na História do futebol português", disse Hugo Gilberto na RTP 3

helderrod

 Chega! Basta!

Haja respeito pela pessoa! Jamais um jornalista se pode dar ao luxo de profetizar o destino de alguma pessoa, à guisa das audiências ou seja lá do que for!

Um jornalista deve numa perspectiva deontológica limitar-se a transmitir factos, evitando as opiniões que emitem juizos de valor.

Não me recordo de ter visto nenhum treinador ser tão maltratado como Lopetegui em Portugal. A pessoa Lopetegui tem família e filhos. A questão ultrapassou todos os limites do aceitável à boleia do futebol. Somos um país de emigrantes e parece-me perigoso enxovalhar assim todos os dias um indivíduo como o Basco, o Espanhol ou mesmo trocar-lhe as sílabas do seu nome. É péssimo o exemplo que se transmite para os mais jovens. É isto que queremos? É isto, Hilberto Jugo?

Já nas conferências de imprensa de Julen Lopetegui a Antena 1 faz uma vergonhosa tradução simultânea, sobrepondo-se à sua voz, como se de um chinês se tratasse. Sinceramente não me recordo que tenham procedido de igual forma com Camacho, Quique Flores ou Trapatoni...é lamentável.

No Trio de Ataque de 3 de Janeiro de 2015 foi-se longe demais. É por isso que eu gostava mesmo que esse putativo espirro se tornasse Campeão Nacional. É por isso que este campeonato poderá ser ainda mais saboroso, porque desta feita muitos mais teriam que se ajoelhar perante a ridícula conduta.

Ainda neste programa em troca de 0,60 cêntimos mais IVA já se perguntava pelo substituto de Julen Lopetegui, quando este não se demitiu. É uma tremenda falta de respeito pela pessoa (repito) e pela Instituição que a mesma representa.

Se estivesse no lugar de Miguel Guedes, levantar-me-ia e sairia do programa. 

Aliás, o comentador equivocou-se alegando que Lopetegui se referiu ao Porto como  OPORTO. Com efeito, o treinador do FC Porto tentou pronunciar com o seu sotaque o artigo definido português "O" que soou a "ó". Nervoso, Lopetegui quis claramente dizer o Porto e não OPORTO.

 

Já dizia o poeta que mais vale ficarmos em silêncio do que sermos vítimas das nossas palavras e o português de Gondomar Hugo Gilberto foi longe demais.

 

Força, Porto!

Hélder Rodrigues

 

20
Mai15

Epístola Aberta ao senhor Rui Gomes da Silva

helderrod

Caro Ex Ministro,

Não sou amigo pessoal de Lopetegui, mas como sócio do melhor clube português sinto-me na obrigação de lhe corresponder neste muito nobre género epistolar. Na verdade, sou um assíduo espectador do programa Dia Seguinte. Gosto de ver para poder criticar com propriedade o péssimo serviço que o senhor presta à verdade. Ou melhor, devo adir que não presta um serviço por si só. Revela uma rara capacidade de manipular as evidências para conduzir os seguidistas da sua retórica a crerem efectivamente na calúnia impostora que tanto gosta de cultivar. Penso inclusive, que o senhor ex ministro teria sido um fabuloso e decisivo elemento na Alemanha Nazi de Hitler. Se Hitler o tivesse conhecido, tê-lo-ia contratado imediatamente pela forma soberba como é capaz de enfatizar a propaganda de uma mentira, de uma ilusão. A psicanálise do seu behaviorismo traria, com certeza, elementos riquíssimos no que ao fundamentalismo diz respeito.

Porém, deixe-me dizer-lhe algo. O senhor tem filhos. Como tal não quererá que os mesmos percebam que o sucesso individual e/ou colectivo possa ser feito à guisa da batota. Provavalmente, conhecerão as regras básicas do futebol. Se assim for, rapidamente descobrirão que o título que agora festejam não é mais do que a celebração daquilo que podemos denominar como a personificação da batota.

E não vale a pena sugerir escutas. Sabe porquê? É que quando se pesquisa no Google as tais escutas, aparecem também como entrada na pesquisa as escutas do Senhor seu Presidente e, apesar de não lho revelarem, muito provavelmente também já ouviram Luís Filipe Vieira a escolher árbitros para a Taça de Portugal. E aí hão-de pensar que o pai não lhes conta toda a verdade. E isso é mau. Pense!

Depois perceber que se dirige na carta a um imigrante que foi alvo dos maiores laivos de xenofobia que nós assistimos nos últimos anos. Aliás, é vergonhoso ver um ex ministro português (ou melhor um secretário de estado de trazer por casa) cultivar esta cultura chauvinista que foi tão propalada à boleia do futebol. Devo adir que não foi o único responsável por isso. Mas a sua postura provocatória de permanente cuspidela no prato onde nasceu tem sido municiadora de ódios.

Como tal, do baixo dos meus 36 anos, permita-me um conselho: seja mais comedido e construtivo. Infelizmente há muita gente que come da sua palha. Paralelamente, há muitos consócios seus que não se revêem nesse radicalismo exacerbado. Pense neles. Pense naqueles que perceberam que afinal vão ganhar mais um campeonato ficando apenas a três pontos de um clube que competiu na europa até meados de abril, enquanto que o seu benfica passeou desastrosas exibições na Europa do futebol e está desde Janeiro concentrado univocamente no campeonato. Mas mesmo aí foi preciso subtrair jogadores fundamentais no Restelo (os mesmos que estiveram muito bem no último jogo entre o FCP e o Belenenses) entre outras arbitragens maravilhosas que conduziram ao sucesso da sua equipa. Espero que diga em off que não é assim que devemos ser na vida.

Devemos, isso sim, ser bem sucedidos com a verdade, a humildade e o trabalho. Recordo que os seus filhos terão visto como todos os pseudo 60% que apenas venceram o Mónaco na Luz porque o árbitro de baliza fez vista grossa à mão de Jardel na grande área do Benfica. Os seus filhos terão visto também aquele remate de Benito para a sua própria baliza que obrigou a um já amarelado Júlio César a fazer uma defesa que implicaria inexoravelmente o segundo amarelo, a consequente expulsão e o impedimento de estar presente no jogo do Dragão. Essa é que é a verdade que a sua propaganda retórica procura esfumar. Mas vá lá, amigo! Festeje! Mas festeje na mesma medida da vergonha da pequenez do sucesso. 

Explique que em 10 anos, ganhar 3 títulos é o mesmo que 30% de sucesso. Isso equivale a um nível medíocre. Não queira hiperbolizar aquilo que ainda é exíguo.

 

Um abraço,

Hélder Rodrigues (sócio número 119223 do Futebol Clube do Porto, com sete taças Europeias, com tricampeonatos, TETRAcampeonatos, PENTAcampeonatos e com um orgulho imensurável de ser do melhor clube português)

 

P.S.: Responda lá a esta pergunta: Como comenta o facto do jogo em Guimarães ter iniciado quase dois minutos mais tarde relativamente ao de Belém na segunda parte?

12
Mai15

Atenção que aquilo que o Manão Sarrel diz não se escreve!

helderrod

Acho lamentável a ideia plasmada por Manuel Serrão no programa Prolongamento. Na verdade, e apesar de ser um sócio mais pobre do que ele, porque apanho chuva às vezes quando vou ao Dragão quero dizer a esse consócio que ele foi um dos pioneiros a trocar o nome ao nosso treinador. Como se diz em bom português, mais vale cair em graça do que ser engraçado. Contudo, Manuel Serrão não é dono da verdade e, como é óbvio, tem todo o direito à sua opinião. Mas dizer que não houve problemas de arbitragem nos jogos entre o FCP e o Benfica, alto e pára o baile. Na jornada anterior, Júlio César devia ter sido expulso pois já tinha um amarelo no jogo e depois disso defendeu um atraso de Benito que ia dar golo. Por isso, não jogaria no Dragão! Depois o critério disciplinar em ambos os jogos deixou muito a desejar. Fejsa deveria ter sido expulso na Luz contra o Porto e Jackson Martinez sofreu uma grande penalidade de Luisão. O Serrão deve andar a dormir! Quanto à história do ADN, permitam-me o desacordo. Se o Manuel Serrão criticou o timing das declarações de Lopetegui, já considera oportunas as faixas exibidas pelos Super Dragões. Será o timing certo? Não seria mais justo criticarem o ADN da APAF? Se calhar o Lopetegui (LO-PE-TE-GUI para os mais pategos) disse o que disse para reagir àquelas palavras que considero injustas. Importa esclarecer que as outras palavras que surgiram correspondem a um membro de uma claque que foi assassinado por um polícia na Polónia. Andamos a ser muito mal representados no Prolongamento, mas lá se faz umas publicidades a umas camisas, não é? Deve ser dos ares alfacinhas. Enfim... Gostava mesmo de ser campeão para me rir na cara dele! Força, Porto! Lopetegui é para ficar! Hélder Rodrigues

11
Mai15

A xenofobia e a bola!

helderrod

Na conferência de imprensa que se seguiu ao Porto-Gil Vicente, Julen Lopetegui explodiu para verbalizar o seu grito de revolta perante a profunda injustiça de que a sua pessoa e a sua equipa têm sido alvo. Se por um lado foi claramente óbvia a empatia perpetrada pelos árbitros em função das necessidades benfiquistas, por outro houve na quase maioria (daí a referência aos 90%) dos opinadores e jornalistas que encetaram uma campanha anti-Lopetegui. Muitos deles são aqueles que se insurgiram energicamente contra a permanente agressividade da imprensa espanhola a José Mourinho, quando este parava por Madrid. Com efeito, basta verem um programa Contra-Golpe em que o Manuel Queiroz e Joaquim Sousa Martins são impotentes para parar aquela avalanche antilopeteguiana. Ou verem Rui Santos no seu programa Tempo Extra, cujo solilóquio mais parece um tratado antilopetegui. Aliás devo adir que eu (Hélder Rodrigues) continuo a ser impedido de fazer comentários pela gestão da página do Tempo Extra no facebook (parece a censura de outros tempos). Depois é ouvir a raiva interior de Octávio Machado na CMTV que dispara contra o FCPorto como ninguém. Tudo isto para não falar da Bola TV, designadamente no programa Quinta da Bola em que se pretende menorizar tudo o que os azuis e brancos fazem. Enfim. Mas o que é mais grave é vermos pessoas responsáveis como João Gabriel e Rui Gomes da Silva que têm a clara consciência do "seguidismo" que desencadeiam nos benfiquistas menos informados continuarem a alimentar a xenofobia e a repulsa perante um imigrante. Lopetegui tem toda a razão no que dizia. Ainda hoje no Jornal de Desporto da Antena 1 das 18:30, dão tempo de antena a António Figueiredo (antigo presidente do Estoril que mudou um jogo da equipa que presidia para o Algarve cujo opositor se tratava do seu Benfica) que insultou o treinador Basco do Porto, chamando-o canário, papagaio e trocando-lhe propositadamente o nome. Nesse mesmo programa não houve a intervenção de ninguém a exercer o direito de resposta nesse mesmo jornal de desporto! Isso na minha opinião está já a ter consequências graves no país. Trocar propositadamente as vogais de um nome da pessoa, chamar-lhe o Basco e coisas do género não me parece a solução mais adequada perante uma sociedade que passa pelas dificuldades que todos sabemos. Chegou a altura de todos pararem para pensar na responsabilidade e nas consequências daquilo que dizem. Ninguém merece ser vilipendiado desta forma. Deixem lá isso! Pois a continuar assim qualquer dia o Pai Le Pen diz-se benfiquista e vem para Portugal formar um Partido! Pensem nisso! Hélder Rodrigues

03
Mai15

Há Sempre Alguém Que Resiste

helderrod

Acreditar! Trata-se de um verbo fundamental neste fenómeno futebolístico. É isso que o FC Porto deve fazer perante a forma desesperada como a generalidade dos media e dos comentadores têm procurado achincalhar a pessoa de Lopetegui. Volto a reiterar que à boleia do futebol se esteja aqui a gerar a ideia de que é porreiro vilipendiar um trabalhador estrangeiro, vulgo imigrante. A juventude não está a receber um bom exemplo. É preciso ter elevação. É preciso perceber que é possível criticar sem pôr em causa a idoneidade e a identidade de quem quer que seja. Lopetegui (LO-PE-TE-GUI para os mais pategos) foi capaz de estar 12 jogos sem perder na Champions, arrancando uma portentosa exibição contra o Bayern na primeira mão dos QUARTOS DE FINAL, perdeu por muitos em Munique, mas talvez se houvesse mais seriedade Neuer, Bernat e Boateng não jogariam na segunda mão; Badstuber entra de pés juntos a Quaresma ainda na primeira parte e leva apenas um amarelo quando deveria ser expulso. Ainda haveria uma segunda parte bem diferente em Munique. Lopetegui esteve no Mundial de 94 defendendo as cores espanholas; Lopetegui tem com a sua equipa deste ano a defesa menos batida dos últimos vinte anos de FCP (nada mau para quem segundo alguns não percebe nada de mística e de futebol português); Lopetegui está (apesar de todas as vezes em que o Benfica foi levado ao colo e o Porto ter sido prejudicado em Guimarães, no Estoril e até em Alvalade nos últimos minutos quando Maurício dá mão na grande área ante um remate de Jackson) apenas a três pontos de um Benfica enrascado, apesar de ter saído aprioristicamente da Europa e Taça de Portugal em casa com um Braga que deu a volta na Luz! Lopetegui merece inequivocamente ficar no Dragão porque foi capaz de bater o pé ao egocentrismo de um JJ provocador. A nomeação de Capela foi hilariante e, apesar dos cinco golos, aconselho vivamente a analisarem mais devagarinho a falta de Luisão (as coisas passam depressa na televisão quanto a esse lance). Assim foi também na Luz com a BTV em que Luisão põe a mão na cabeça, no ombro e na camisola de Jackson. Inclusivamente Rui Santos cometeu a proeza de dizer que Luisão "toca mas não puxa". Mas o mais interessante foi terem ignorado que Fejsa deveria ter sido expulso na Luz contra o Porto. Nem falaram. Enfim é o desespero....Já o Danilo foi impedido de jogar hoje em Setúbal apesar de nem falta ter feito na Luz. No programa Contragolpe, os senhores comentadores passam cerca de uma hora a atacar Lopetegui. Aliás, o programa deveria chamar-se Contralopetegui. Há lá um senhor de nome de Paramés que, apesar de se dizer do Braga, mais parece o Diabo de Gaia a palrar contra o FCP. Digo tudo isto porque nestes momentos ainda me apraz ser mais portista. É aqui que atesto a sua GRANDEZA efectiva. O Porto é o melhor clube português dos últimos trinta anos. A ansiedade de JJ que almeja ser bicampeão não é mais do que a proeza alcançada por Vítor Pereira. A potativa hegemonia do Benfica reduz-se à possibilidade de igualarem o feito do actual treinador do Olympiakos. O que devo dizer como conclusão neste post é que "há sempre alguém que resiste" e que, mesmo que não ganhemos o campeonato há algo que deve ficar registado para memória futura: CAMPEONATO FURTADO NÃO PODE SER HOMOLOGADO! Força, Porto! Hélder Rodrigues

26
Abr15

A Maldição da Xenofobia

helderrod

Estou estupefacto com o que vi e ouvi nos programas de hoje. Assim, de repente, o Jorge Jesus tornou-se um gentleman português que nunca agrediu jogadores em campo, nunca agrediu agentes da PSP e nunca provocou treinadores em competições da UEFA. Isto aflige-me. Aflige-me ver seis milhões de cidadãos (não é cidadões como diz o Cavaco) tornarem-se uns chauvinistas plenos de rancor perante um treinador estrangeiro. Poderá estar aí a génese da maldição do Bella Guttmann como se fosse um reflexo de todo este consenso anti-Lopetegui! O Vítor Pereira precisou de dois anos para concretizar aquilo que o Jorge Jesus almeja em 6 anos. Lopetegui é um excelente treinador. Temos é maus árbitros neste país de trazer por casa que, até por causa do futebol, se torna um reino de chauvinismo e xenofobia!

Seguir

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D