Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dia de Clássico

MENU

 

Jogou-se para a Taça, este fim de semana. São jogos a eliminar, "mata-mata", como dizia o outro. Se estiverem empatados, há prolongamento para desempatar. Se depois do prolongamento o empate se mantiver, vai para penaltis.

Tempos houve em que, em vez de penaltis, a coisa se resolvia por moeda ao ar. E outros em que o prolongamento terminava logo que fosse marcado o golo que desempatasse. Talvez por consistência com o "mata-mata" de Scolari, chamavam-lhe "morte súbita". Toda a gente se lembra daquela meia-final do europeu de 2000, e daquele famoso penalti do Abel Xavier, que deu o golo a Zidane, e tirou a selecção portuguesa da final. Foi assim: "morte súbita" dos sonhos daquela que terá sido, se não a melhor, umas das melhores selecções portuguesas.

Nesta quarta eliminatória da Taça houve desempates no prolongamento. E até nos penaltis. Normal. Mas também houve o regresso "morte súbita". O que, não sendo normal, já foi. Como se viu. O que já não é normal é que o árbitro dessa decisão não tenha reparado que o jogo não estava empatado. Nem que não mudaram de campo!

Pesquisar

Pesquisar no Blog

  • Benfica

  • Porto

Últimos comentários

  • Eduardo Louro

    Pode até ser cínica, mas não é mentirosa...

  • Anónimo

    hooligan não hooling

  • Anónimo

    o Jesus era o "rei" quando gozava com o Lopetegui.

  • Anónimo

    O hooling português não é apenas um membro daquela...

  • Sobolev

    A diferença é que no primeiro caso o problema é da...